<
>

Como o adiamento da Olimpíada impacta a NBA e o 'Dream Team' dos EUA

play
Karl-Anthony Towns faz relato emocionante sobre situação de sua mãe em coma com COVID-19 (2:04)

Astro dos Timberwolves ficou muito abalado depois de ver sua mãe em coma induzido (2:04)

Na terça-feira, os Jogos Olímpicos de Tóquio 2020 foram adiados oficialmente até 2021 devido à pandemia do coronavírus.

Para a USA Basketball, o adiamento dos Jogos significa que as seleções masculinas e femininas terão que esperar mais um ano para defender as medalhas de ouro que conquistaram no Rio de Janeiro em 2016.

A seleção masculina ficou na sétima colocação na Copa do Mundo da FIBA na China no ano passado.

Agora terá que esperar para vingar essa decepção, embora quem estará na equipe quando tentar fazê-lo seja apenas uma das muitas perguntas levantadas pelo anúncio de terça-feira.

As Olimpíadas e a temporada da NBA agora podem entrar em conflito?

Sim. O Japão e o Comitê Olímpico Internacional não sabem ao certo quando os Jogos Olímpicos de Tóquio ocorrerão. Embora o verão de 2021 continue sendo uma forte possibilidade, os Jogos podem passar para o início do calendário de 2021, possivelmente a primavera.

Além disso, o comissário Adam Silver disse na semana passada que o calendário da NBA pode mudar - o cronograma da NBA talvez possa avançar. Como resultado dessas mudanças em potencial, as Olimpíadas e a temporada da NBA poderiam ocorrer simultaneamente ou próximas.


O que vai acontecer com o elenco do time dos EUA?

play
0:24

Acha que já viu de tudo na quarentena do coronavírus? Pois Ibaka acaba de fazer as mais patéticas embaixadinhas com papel higiênico

Atleta da NBA mais parecia Ronaldinho Gaúcho nos tempos áureos... Faltou só ser de verdade

O elenco e a seleção dos EUA estão em fluxo completo. A USA Basketball nomeou 44 finalistas para a lista olímpica no início deste ano e planejava selecionar uma equipe de 12 jogadores desse grupo no final de junho ou início de julho, sem mais testes.

Agora que a lista preliminar provavelmente será reformulada ou descartada, e o processo começará novamente assim que houver uma nova data para os Jogos de Tóquio.

Havia um forte interesse entre as estrelas veteranas - incluindo LeBron James, que completará 36 anos no ano que vem, e Stephen Curry, que ainda não disputou as Olimpíadas - para jogar pela equipe neste verão, mas as prioridades de todos estão sendo redefinidas. Alguns jogadores podem retornar de lesão e competir por causa do adiamento, incluindo Kyrie Irving e Kevin Durant, ambos medalhistas com o Team USA em 2016.


É possível que a NBA não libere seus jogadores principais?

Sim. Mesmo que as Olimpíadas e a temporada da NBA não entrem em conflito diretamente, os jogadores podem estar saindo de um calendário cansativo de 12 a 15 meses, que pode incluir um aperto no restante da temporada 2019-20 e depois jogar a temporada 2020-21 em uma linha do tempo menor que a normal.

Para os melhores jogadores que normalmente disputam longas séries de playoffs, principalmente jogadores mais velhos, isso pode afetar o interesse. Por exemplo, Chris Paul terá 36 anos, Curry terá 33 anos e James Harden e Russell Westbrook completarão 32 anos no outono de 2021. Durant terá quase 33 anos.

Por outro lado, muitos dos melhores jogadores jovens da liga, incluindo Zion Williamson, Ja Morant, Trae Young, De'Aaron Fox e outros, ficaram de fora da lista de 44 jogadores. Se alguns veteranos optarem por não ir, isso pode dar às estrelas mais jovens a oportunidade de representar o Team USA.

Com o calendário de basquete universitário provavelmente não mudando - a NCAA já cancelou esta temporada e planeja começar a próxima temporada normalmente – é possível que os melhores jogadores universitários sejam recrutados, também.


O que acontecerá com Gregg Popovich? Ele continuará sendo o treinador da seleção?

Havia alguma incerteza sobre se Popovich seria o técnico do San Antonio Spurs após a temporada 2019-20 da NBA - alguns acham que ele terminaria a temporada da NBA, treinaria a equipe olímpica e depois partiria para uma merecida aposentadoria.

Na terça-feira, o diretor do Team USA, Jerry Colangelo, disse à ESPN que ele e Popovich permaneceriam no programa durante os Jogos de Tóquio. Colangelo havia dito anteriormente que 2020 seria seu último ano na USA Basketball.

Que Popovich gostaria de continuar treinando não é uma surpresa. Popovich é apaixonado por esse trabalho, tendo investido horas e horas no cargo nos últimos anos. Considerando o miserável sétimo lugar da equipe na Copa do Mundo no ano passado, é difícil acreditar que Popovich queira que esse seja o seu único desempenho como técnico da seleção nacional.


Quais países se beneficiarão deste adiamento? E quais serão prejudicados?

O atraso pode beneficiar o Canadá, que ainda não se classificou para as Olimpíadas. Os canadenses estavam programados para sediar um torneio de qualificação em junho - um que provavelmente teriam seriam favoritos para vencer. Mas esse evento estava em risco de ser cancelado devido a preocupações com o coronavírus.

Nesse cenário, as vagas olímpicas restantes seriam preenchidas pelo ranking mundial da FIBA - e o Canadá, atualmente no 21º lugar, não teria se qualificado. Além disso, os canadenses poderiam potencialmente ter vários jogadores - incluindo Tristan Thompson (agente livre) e Dwight Powell (lesão no tendão de Aquiles) - disponíveis para jogar no próximo verão que não estariam disponíveis este ano.

Uma equipe que pode sofrer consequências é a Austrália. Um forte candidato à conquista da primeira medalha de todos os tempos, os australianos têm uma equipe mais veterana liderada por Andrew Bogut e pelos armadores Patty Mills e Matthew Dellavedova.

O atraso não deixará os jogadores mais novos. Mas um ponto positivo poderia ser a condição da estrela Ben Simmons. Ele havia sido deixado de lado por conta de uma uma lesão nas costas antes da parada mundial, e o adiamento de um ano poderia lhe dar tempo suficiente para resolver esse problema.