<
>

NBA: como a disputa pelo 2º lugar no Leste para os playoffs será decidida

Enquanto o Milwaukee Bucks abriu alguma distância entre si e o resto da Conferência Leste da NBA, ainda há uma corrida significativa pelos playoffs. Estamos nos aproximando da metade da temporada, e os cinco times que vêm depois dos Bucks estão separados por, no máximo, 4,5 jogos. Além disso, teremos muitos confrontos diretos.

"Eles serão impactantes", disse Nick Nurse, técnico do Toronto Raptors, horas antes de sua equipe vencer um desses jogos contra o Boston Celtics no final de dezembro. "Eles realmente serão impactantes no final do ano, quando você olhar para trás.

"Haverá disputas por posição, não há dúvida sobre isso."

Na quinta-feira, o Boston Celtics, terceiro colocado, visitou o Philadelphia 76ers, quinto colocado, em outro desses confrontos. Supondo que o Bucks esteja fora de alcance, o vencedor dessa batalha entre cinco times evita enfrentar uma das outras quatro equipes na primeira rodada dos playoffs. Também garante evitar Milwaukee até a final de conferência.

Vamos desvendar esta corrida incomum e um tanto surpreendente:


Miami Heat

Campanha projetada: 55-27

Posição projetada: 2 (38,8% de chance)

Campanha contra os outros quatro times: 6-2

A temporada: O Heat tem sido uma reflexão tardia da NBA nas últimas temporadas, sem grandes estrelas ou sucesso nos playoffs. Esses dias parecem ter acabado. Depois de adquirir Jimmy Butler em julho e se livrar de Hassan Whiteside para abrir o tempo de jogo para Bam Adebayo, Miami agora tem duas peças de nível All-Star cercadas por um elenco de achados e jovens - uma fórmula que Pat Riley tem empregado repetidamente durante seu quarto de século no comando da franquia.

Alvos de troca: Como sempre, Miami é um assunto de especulação de trocas. O problema é que o Heat tem relativamente pouco valor que estaria disposto a negociar. Eles moveriam Winslow ou o novato promissor Tyler Herro para melhorar o seu time, por exemplo? Esse é o tipo de cálculo que Miami deve fazer nas próximas quatro semanas.

Jogos importantes:

  • LA Clippers (em casa 24/01, 05/02)

  • Boston (casa 28/01, fora 01/04)

  • Philadelphia (casa 03/02)

  • Milwaukee (casa 02/03, fora 16/03)

  • Indiana (fora 20/03, casa 07/04)

  • Toronto (casa 14/04)

Análise da tabela: o Heat, beneficiário de estar em uma divisão com quatro times de campanhas negativas, está empatado com os Nuggets com a oitava tabela mais fácil até agora, segundo o BPI da ESPN, e tem a terceira mais fácil até o fim da temporada.

Perspectivas presentes e futuras: O Heat está de volta. Miami restabeleceu sua identidade como uma equipe durona, cercando suas estrelas de bons jogadores e descobrindo Adebayo, um dos melhores jovens pivôs da liga. Só por isso, a temporada já pode ser considerada um sucesso.

Mas o Heat sempre foi agressivo. Se eles conseguirão encontrar uma maneira de melhorar o elenco mais uma vez determinará se podem saltar da loteria do draft para os melhores times da conferência em uma temporada.


Boston Celtics

Campanha projetada: 55-27

Posição projetada: 3 (27,0% de chance)

Campanha contra os outros quatro times: 3-4

A temporada: depois de uma temporada decepcionante, que culminou nas saídas de Al Horford e Kyrie Irving, Boston superou as expectativas no começo desta temporada, mas caiu de produção, penando para derrotar Atlanta e Chicago antes de cair para dois times com campanhas negativas, Washington e San Antonio.

Ainda assim, Kemba Walker tem sido a presença estabilizadora que Boston precisava. Jaylen Brown assinou uma extensão de contrato em outubro e imediatamente começou a jogar, sendo considerado para All-Star. Jayson Tatum já se tornou um queridinho de estatísticas avançadas aos 21 anos. Gordon Hayward parecia muito bom quando saudável. Daniel Theis substituiu admiravelmente Horford no pivô, jogando a um nível que ninguém esperava. E Brad Stevens restaurou sua reputação como um dos melhores técnicos da liga.

Alvos de troca: parece improvável que o Celtics faça alguma mudança antes do fim do período de trocas por duas razões.

Primeiro, o presidente da equipe, Danny Ainge, raramente faz acordos durante a temporada. Os únicos dois que ele fez nos últimos anos foram Isaiah Thomas em 2015 e a decisão de cancelar o contrato garantido da Jabari Bird no ano passado.

Segundo, o Celtics não demonstrou interesse em negociar nenhum de seus cinco jogadores de perímetro de destaque (Walker, Brown, Tatum, Hayward e Marcus Smart), e eles são os únicos jogadores da equipe que ganham mais de US $ 5 milhões por temporada. Embora Boston tenha muito capital para movimentar em negociações prospectivas, a falta de salário dificultaria um acordo.

Com todo o foco em saber se Boston deveria melhorar na posição de pivô, os Celtics poderiam realmente usar outro ala para aprofundar sua rotação. Independentemente disso, o caminho mais provável para melhorar o time é através da agência livre.

Jogos importantes:

  • Philadelphia (fora 09/01, casa 01/02)

  • Milwaukee (fora, 16/01 e 12/03, casa 05/04)

  • LA Lakers (casa 20/01, fora 23/02)

  • Miami (fora 28/01 e 11/04, casa 01/04)

  • LA Clippers (casa 12/03)

  • Indiana (fora 10/03, casa 08/04)

  • Toronto (fora 20/03)

Análise da tabela: até hoje, os Celtics tiveram a tabela mais fácil de toda a liga, segundo o BPI da ESPN. No entanto, daqui para frente, os Celtics têm a oitava tabela mais difícil de toda a liga. Entre os times do Leste, apenas os Hornets têm jogos mais complicados.

Perspectivas presentes e futuras: esta equipe do Celtics conseguiu uma reviravolta notável após o fracasso na última temporada, defendendo o valor da química da equipe. Só isso nesta temporada parece um sucesso. Mas agora que os Celtics têm a segunda maior probabilidade de conseguir a segunda colocação no Leste - e potencialmente evitar Bucks e Sixers no caminho para a final da conferência - os torcedores estão começando a sonhar mais alto.


Toronto Raptors

Campanha projetada: 54-28

Posição projetada: 4 (29,0% de chance)

Campanha contra os outros quatro times: 2-6

A temporada: Toronto tem se mantido na disputa apesar das saídas de Kawhi Leonard e Danny Green e das muitas lesões. Nick Nurse teve que colocar em quadra combinações de jogadores que ele, provavelmente, pensou que nunca usaria. Mesmo assim, está dando certo.

Alvos de troca: Toronto poderia seguir direções muito diferentes entre agora e o fim do período de trocas. Ibaka e Gasol têm grandes contratos vencendo que, se Toronto decidir ser um time vendedor, poderão ser trocados por outros lugares. Os Raptors assinaram uma extensão de um ano com Kyle Lowry, o que também o torna um alvo muito atraente para os times que querem vencer agora.

Ou os Raptors podem ser compradores, atacando enquanto Siakam, Lowry e sua profundidade e infraestrutura os mantêm posicionados para mais uma corrida para as finais da NBA.

Jogos importantes:

  • Philadelphia (casa 22/01, fora 18/03)

  • Indiana (casa 05/02 e 23/02, fora 07/02)

  • Milwaukee (casa 25/02 e 03/04, fora 01/04)

  • Boston (casa 20/03)

  • LA Lakers (casa 24/03)

  • Miami (fora 14/04)

Análise da tabela: segundo o BPI da ESPN, os Raptors tiveram, até aqui, a décima tabela mais difícil da liga até aqui - de longe a mais difícil entre qualquer um dos cinco times em questão. Até o fim da temporada, Toronto terá a segunda tabela mais fácil da liga, no entanto.

Perspectivas presentes e futuras: os Raptors entraram nesta temporada como os atuais campeões, mas sem expectativa de bicampeonato por conta da saída de Kawhi. Mesmo assim, o time de Nick Nurse vem jogando como um time que tem um ponto a provar. As próximas semanas vão revelar se os Raptors ainda estão no modo "vencer agora".


Philadelphia 76ers

Campanha projetada: 52-30

Posição projetada: 5 (38,6% de chance)

Campanha contra os outros quatro times: 5-4

A temporada: no Natal, os Sixers dominaram os Bucks. Eles, então, perderam os quatro jogos seguintes. Por mais que Philly ainda esteja entre os 10 melhores times da liga em eficiência ofensiva, a atuação contra os Bucks é um lembrete do que esse time é capaz.

Alvos de troca: os Sixers estão apostando tudo no elenco atual para vencer o primeiro título da franquia em 37 anos. Jogadores que criam chances e chutadores são necessários, então será uma surpresa se o time não fizer trocas até o fim da temporada.

Jogos importantes:

  • Boston (casa 09/01, fora 01/02)

  • Indiana (fora 13/01, casa 14/03)

  • Toronto (fora 22/01, casa 18/03)

  • LA Lakers (casa 25/01, fora 03/03)

  • Miami (fora 03/02)

  • Milwaukee (fora 06/02 e 22/02, casa 07/04)

  • LA Clippers (casa 11/02, fora 01/03)

Análise da tabela: Philadelphia teve a 13ª tabela mais fácil até aqui, e terá a 5ª mais fácil até o fim da temporada. Se os Sixers precisarem de uma sequência de vitórias no fim da teporada, eles serão ajudados por um mês de abril que apresenta apenas uma partida contra um time que tem campanha positiva atualmente.

Perspectivas presentes e futuras: a natureza de altas e baixas desta temporada dificulta às vezes lembrar o que essa equipe pode ser quando está saudável e engajada. E a falta de consistência dos Sixers poderia deixá-los em uma posição ruim quando os playoffs chegarem, tendo que jogar todos os duelos sem o mando de quadra.


Indiana Pacers

Campanha projetada: 47-35

Posição projetada: 6 (70,8% de chance)

Campanha contra os outros quatro times: 3-3

A temporada: a ausência de Victor Oladipo - que se recupera de cirurgia no joelho - faz com que a presença de Indiana nesta lista seja incrível. O treinador Nate McMillan combinou bem os novatos e os veteranos, com Malcolm Brogdon assumindo maiores responsabilidades e a combinação de Domantas Sabonis e Myles Turner se comportando melhor do que o esperado - eles estão com um plus-minus de +7 a cada 100 posses quando estão na quadra.

Alvos de troca: times ao redor da liga têm prestado atenção na dupla Sabonis-Turner desde a última temporada, pensando em se os Pacers vão decidir abrir mão dela para reestruturar o elenco. Se uma troca fosse acontecer, ela envolveria Turner, dada a dificuldade de trocar Sabonis por conta do contrato assinado antes do começo da temporada. É improvável que isso aconteça.

Jogos importantes:

  • Philadelphia (casa 13/01, fora 14/03)

  • Toronto (fora 05/02 e 23/02, casa 07/02)

  • Milwaukee (casa 12/02, fora 03/04)

  • Boston (casa 10/03, fora 08/04)

  • Miami (casa 20/03, fora 07/04)

  • LA Clippers (fora 30/03)

  • LA Lakers (01/04)

Análise da tabela: os Pacers tiveram a quarta tabela mais fácil da NBA até aqui, mas terão a 12ª mais difícil daqui para frente.

Perspectivas presentes e futuras: um Oladipo saudável pode ser a maior adição que qualquer uma dessas equipes fará nas próximas quatro semanas. Se ele voltar 100%, Indiana pode disputar com qualquer time. Independentemente disso, os Pacers demonstraram que serão, no mínimo, duros adversários para o time que enfrentarem na primeira rodada.