<
>

NBA: Trae Young realmente é um All-Star?

Quando a NBA divulgou os primeiros votos para o All-Star Game de 2020, Trae Young estava no topo da lista entre todos os armadores da Conferência Leste. Young merece ser um All-Star logo em seu segundo ano? Ele está tendo números impressionantes, ocupando o quarto lugar na NBA com 28,5 pontos por jogo e quinto com 8,3 assistências por jogo. Mas o seu Atlanta Hawks tem a pior campanha da liga.

O homem que eles chamam de 'Ice Trae' está apenas tendo números em um time ruim, ou ele é realmente o único ponto positivo em uma situação de reconstrução, ou seja, é digno de ser colocado nesse patamar?

Tudo passa por Trae Young

Poucos jogadores têm uma carga ofensiva maior do que a de Young nos Hawks. Ele ocupa o quinto lugar na NBA com 21,0 tentativas de arremesso por jogo e é o 15º com 56,1 passes por jogo, de acordo com o Second Spectrum. Não há jogadores à frente de Young nas duas listas, e Young também é o quinto na liga, com 21,8 passes levando a um arremesso por jogo. Sua 'taxa de uso' de 34,6% é menor apenas as de Giannis Antetokounmpo (37,8%), James Harden (36,7%) e Luka Doncic (34,6%).

A produção de Young tem mais a ver com volume do que com eficiência, e sua ineficiência, demonstrada por sua porcentagem de arremesos de campo efetivos (52,5%), pode ser atribuída aos tipos de arremessos que ele faz. Young tenta chutes muito difíceis, de acordo com a medida de qualidade de chute do Second Spectrum. Por outro lado, ele converte aquelas arremessos difíceis com certa frequência, ocupando a 61ª posição no qSI do Second Spectrum, que estima que seu % de eFG é 4,6% maior do que o esperado, dada a dificuldade de seus arremessos.

De acordo com o Second Spectrum, Young também usa mais o corta-luz do que qualquer outro jogador na liga quando tem a bola nas mãos. Seus 50,8 corta-luzes usados por jogo são 7,5 a mais do que o segundo colocado Devonte 'Graham, do Charlotte Hornets. Young usa essas jogadas para criar oportunidades para ele e seus companheiros, pois ele também lidera a liga com 35,6 corta-luzes que terminam em finalização de jogada (arremessos, passes que se tornam arremessos ou turnovers).

Assim, Young não é apenas o principal finalizador e preparador, mas utilizando tantos corta-luzes, ele também está trazendo seus companheiros de equipe para a partida, apesar de dominar a bola.

Ele 'estica' a quadra e invade o garrafão

Young é o quarto na NBA em tentativas de bolas de três pontos e o sétimo em bolas de três pontos feitas, acertando 35,3% de suas 8,9 tentativas por jogo. Mas essas estatísticas não capturam a distância real de seus arremessos de três pontos. Young é o chutador mais prolífico da NBA à distância, aumentando seu grau de dificuldade, mas também criando espaçamento. De acordo com o Second Spectrum, a distância média dos arremesoss de Trae Young foi de 8,4 metros, a maior marca da liga. Ele fez 48 cestas de três a mais de nove metros durante esse período, enquanto nenhum outro jogador fez nem 30 desses arremessos.

O alcance super longo de Young estica as defesas adversárias de maneira a abrir drasticamente a quadra para os companheiros de equipe operarem. Como vimos com os Splash Brothers, Harden e Doncic, Young é capaz de forçar os oponentes a esticar suas defesas muito além da linha dos três pontos, distorcendo o esquema defensivo de maneiras vantajosas para o ataque. Junte isso ao seu uso pesado do corta-luz e do pick-and-roll, e você verá defensores fora da sua zona de conforto.

Young aproveita essas defesas 'deformadas', usando sua rapidez para entrar no garrafão e fazer as coisas acontecerem para os Hawks. Segundo o Second Spectrum, Young lidera a NBA em infiltrações (19,9 por jogo) e infiltrações diretas (16,6 por jogo).

Impacto ofensivo x Fraqueza defensiva

O repertório ofensivo de Trae Young apresenta um caso convincente - pelo menos em um lado da quadra. O plus-minus ofensivo real de Yoing é de 4,26. Os únicos nomes à frente de Young no ORPM e, portanto, os únicos jogadores cuja presença na quadra coincide com um impacto mais positivo nas margens de pontuação ofensivas de seu time são Antetokounmpo, Harden, LeBron James, Karl-Anthony Towns e Doncic.

Por outro lado, no entanto, Young ocupa a sétima pior posição da NBA no plus-minus defensivo real, com uma marca de -3,7. Isso indica que a defesa dos Hawks é estimada em 3,7 pontos pior a cada 100 posses quando Young estiver na quadra, devolvendo boa parte dos pontos que ele gera no ataque.

Young é relativamente baixo e leve para a posição e não demonstrou a fisicalidade para lutar através dos corta-luzes da maneira que os melhores armadores defensivos fazem. Embora as deficiências defensivas de Young possam não entrar diretamente em jogo nas votações do All-Star, elas têm um impacto nas vitórias e derrotas, e os Hawks estão 7-28, com a terceira pior classificação defensiva da liga. Talvez a maior pergunta sobre Young no futuro seja se ele pode oferecer mais resistência no lado defensivo.

Conclusão

Young se destaca como um dos melhores, mais versáteis e mais impactantes jogadores ofensivos da NBA, mas também demonstra uma fraqueza defensiva que o tornou uma deficiência no outro lado da quadra.

Uma equipe forte poderia ser formada em torno de um armador com as capacidades de Young, enquanto suas deficiências defensivas poderiam ser escondidas de um jeito melhor. Por fim, suas estatísticas impressionantes se traduzem em um enorme impacto ofensivo. Assim, eu acredito que Trae Young merece, sim, estar no All-Star Game em sua segunda temporada.