<
>

'Interminável', Vince Carter completa 1500 jogos na NBA: a história de amor e ódio de quem salvou o Toronto Raptors

Se entrar em quadra nesta terça-feira às 22h (Brasília), quando o Atlanta Hawks enfrenta o Miami Heat, Vince Carter alcançará uma marca histórica na NBA: os 1500 jogos.

Além de Vince, apenas outros quatro jogadores atingiram o número: Robert Parish, Kareem Abdul-Jabbar, Dirk Nowitkzi e John Stockton.

Para comemorar a marca histórica, relembraremos a carreira de um dos maiores jogadores de todos os tempos e o principal responsável pela transformação e consolidação do Toronto Raptors no mapa da NBA.

O começo em Toronto

Vince Carter entrou na NBA na quinta colocação do draft de 1998, selecionado pelo Golden State Warriors. O ala, porém, já havia sido trocado para o Toronto Raptors antes mesmo da escolha ser anunciada.

Em suas primeiras temporadas, Vince já demonstrava suas principais características: a explosão atlética e enterradas sensacionais que o faziam uma presença constante no Top 10 do SportsCenter e lhe deram o prêmio de Calouro do Ano em 1998/1999.

A criação da "Vinsanity"

Foi em 12 de outubro de 2000 que Vince Carter entrou de vez para a história da NBA. Em uma noite de sábado no final de semana das estrelas em Oakland, nasceu a "Vinsanity", apelido que o ala carrega até hoje.

No Torneio de Enterradas daquele ano, Vince Carter competiu com seu colega de equipe Tracy McGrady, Ricky Davis, Steve Francis, Larry Hughes e Jerry Stackhouse e mudou a história da liga.

Dois anos antes, a NBA havia cancelado o torneio de enterradas por "falta de interesse". Em 99, um locaute evitou que o fim de semana das estrelas fosse realizado. O fim de semana de 2000 era a última esperança do torneio.

Sabendo disso e sendo um dos jogadores mais atléticos da história da liga, Vince Carter fez a "melhor participação da história" de um torneio de enterradas.

A primeira enterrada foi um 360º "de aquecimento". Na sequência, uma enterrada com o auxílio de McGrady que levou o público à loucura.

Na terceira, Vince colocou metade de seu braço dentro do aro após enterrar e comemorou com a icônica celebração dizendo "acabou, acabou".

O que não sabíamos era que o que estava acabado era a forma como enxergávamos o torneio de enterradas. Nascia ali a "Vinsanity" e o culto ao torneio de enterradas.

As enterradas de Vince Carter em 2000

A maior enterrada "de jogo" da história

Durante as Olimpíadas de 2000, os Estados Unidos enfrentaram a França e o jogo ficaria marcado para sempre. Faltavam pouco mais de 16 minutos para o final quando Vince Carter aproveitou uma bola sobrada no perímetro.

Com toda a sua explosão, invadiu o garrafão e viu na sua frente o pivô Frédéric Weis, de 2,18 metros e não pensou meia vez: pulou por cima do gigante e cravou sem piedade.

Até hoje, a enterrada é quase unanimidade nas discussões de "maior enterrada durante um jogo" na história do basquete.

Se os Raptors ainda existem, agradeçam a Vince

Além de ser comemorado por suas enterradas, Vince Carter marcou sua história de outra maneira: durante muito tempo, Vince Carter foi o Toronto Raptors e o Toronto Raptors foi Vince Carter.

Criada em 1995, a franquia encontrava muitas dificuldades para se estabelecer na liga e manter o Canadá no mapa, assim como o Vancouver Grizzlies.

Se os Grizzlies se mudaram para Memphis e os Raptors ficaram em Toronto, muito se deve a Vince Carter.

A chegada do ala em 1998 e a criação da Vinsanity em 2000 mudaram a história da franquia. A simbiose entre Carter, a diretoria e não só a torcida, mas a cidade de Toronto fez os Raptors se transformarem em um queridinho da liga e, portanto, uma franquia que valia a pena manter: era rentável e ainda adicionava o Canadá à liga.

Em 2001, Toronto chegou à segunda fase dos playoffs pela primeira vez na história da franquia e a série contra o Philadelphia 76ers entrou para a história.

Vinsanity vs Allen Iverson

Na segunda rodada da pós temporada de 2001, Toronto Raptors e Philadelphia 76ers mediram forças com Vince Carter de um lado e Allen Iverson do outro. As expectativas eram as maiores e foram atendidas.

Quando Iverson fez 54 pontos na segunda partida, parecia que os 76ers tinham recuperado o momento da série, que se mudava para Toronto, após a derrota no 1º jogo. No entanto, Vince Carter tinha outras ideias.

Na 3ª partida, o ala anotou 50 pontos, incluindo nove bolas de três, então um recorde da pós-temporada, e comandou a equipe a uma vitória de 102 a 78. As equipes trocaram vitórias até a sétima e decisiva partida.

No último jogo, Vince acabou ficando marcado por ter errado o arremesso no último segundo que teria dado a vitória aos Raptors. Além disso, uma parte da torcida o culpou por "falta de foco" - o ala havia participado da colação de grau de North Carolina, sua universidade, na manhã do jogo.

Relação desgastada e Vince Carter vira vilão

A eliminação diante dos 76ers começou a desgastar o que era uma relação bastante harmoniosa. A saída de seu primo Tracy McGrady após a temporada 1999/2000 também ajudou Vince Carter a se sentir cada vez mais insatisfeito.

O ala, então, começou a fazer de tudo para ser trocado até que a situação ficou insustentável e, em 2004, os Raptors mandaram Vince para o New Jersey Nets em troca de Alonzo Mourning, Eric Williams e Aaron Williams, além de duas escolhas de draft.

Alonzo Morning, porém, se recusou a jogar pela franquia de Toronto e sequer chegou a vestir o uniforme antes de ser mandado embora. Sem McGrady e Vinsanity e sem a reposição esperada, o futuro de Toronto parecia nebuloso e a franquia poderia ter acabado ali.

Com isso, Vince Carter passou de herói para o maior vilão da história dos Raptors.

O reencontro nos playoffs

Em 2006/2007, o Toronto Raptors já havia se recuperado graças a, em grande parte, o surgimento de uma estrela: Chris Bosh. Naquela temporada, os Raptors venceram a divisão do Atlântico e terminaram a temporada regular na 3ª colocação do Leste.

O adversário na primeira rodada dos playoffs? O New Jersey Nets de Vince Carter, sexto colocado e zebra.

Extremamente vaiado em todos os jogos em Toronto, Vince ajudou a equipe a fazer a zebra passear e venceu a série por 4 a 2.

A redenção

Vince Carter ficou nos Nets até 2009 e o melhor resultado foram as semifinais de conferência. Vinsanity, então, foi para o Orlando Magic e passou pelo Phoenix Suns antes de chegar ao Dallas Mavericks em 2011.

A redenção com os Raptors, porém, só viria em 2014, quando já jogava pelo Memphis Grizzlies. Depois de se consolidar como um veterano amado por todos, Vince voltou a Toronto em 19 de novembro de 2014 e recebeu uma linda homenagem dos Raptors, com um vídeo de tributo, e viu a torcida aplaudi-lo de pé.

Sem conseguir conter a emoção, Vince foi às lágrimas e a paz estava selada.

O 'Interminável'

Desde então, Vince passou pelo Sacramento Kings antes de chegar aos Hawks, aonde está até hoje. Atualmente com 42 anos, Carter é o primeiro jogador da NBA a atuar em 22 temporadas diferentes.

Além disso, se entrar em quadra depois de 1º de janeiro, Vinsanity será o primeiro jogador da história a atuar em quatro décadas diferentes da NBA.

E tudo isso foi possível graças às transformações em seu jogo. De maior enterrador da história e com base no atleticismo a um veterano especialista no arremesso e mentor de Trae Young, Vince se reinventou como poucos e, não a toa, será um dos únicos cinco, até hoje, a jogar 1500 partidas de NBA.