<
>

Depois de Celtics, Cavaliers, Lakers e Nuggets, Isaiah Thomas recomeça na NBA com os Wizards

A NBA é repleta de grandes histórias de superação. Mas é impossível não destacar a contada por Isaiah Thomas.

O armador, hoje com 30 anos, dá seus primeiros passos com o Washington Wizards. E eles mostram o que poderia ter acontecido se não fossem as lesões.

Thomas fez uma temporada histórica em 2016-17, ainda com o Boston Celtics. Sua média de 28.9 pontos por jogo foi a terceira maior de toda a liga naquele ano e ajudou o time a ter a melhor campanha da Conferência Leste.

O sucesso fez o armador entrar até na briga pelo prêmio de MVP da NBA, e sua trajetória nos playoffs de 2017 é simplesmente surreal.

Chyna Thomas, irmã de Isaiah, morreu em um acidente de carro antes da estreia dos Celtics contra o Chicago Bulls. Mas ele transformou o luto em motivação e carregou o time até as finais do Leste. Mas no jogo 2 da série contra o Cleveland Cavaliers, a lesão no quadril que já incomodava o camisa 4 voltou a aparecer.

Os Celtics foram eliminados na série em que Thomas só atuou duas vezes. Ele nunca mais usaria o uniforme dos Celtics.

Nesta sexta-feira, os Wizards de Isaiah enfrentam os Cavs, ex-time do armador. A ESPN e o WatchESPN mostram o duelo às 21h (de Brasília).

Quatro times em quatro anos

A contusão mudou a carreira do armador de 1,75m. Semanas depois da queda nos playoffs, ele foi trocado para os próprios Cavs no negócio que levou Kyrie Irving para os Celtics.

"Passei por dias sombrios. A recuperação. Ficar nisso por dois anos foi difícil, não vou mentir. E isso acabou comigo algumas vezes", disse Thomas, em entrevista coletiva.

"Mas a tempestade precisa acabar. O sol precisa voltar a aparecer em algum momento."

Em Cleveland, a expectativa era de que ele se recuperasse da contusão e brilhasse com LeBron James do seu lado. Mas nada disso aconteceu. Thomas decidiu não operar o quadril, só fez sua estreia em janeiro de 2018, mas claramente não era o mesmo do ano anterior.

No fim das contas, os questionamentos fizeram com que os Cavs trocassem Thomas para o Los Angeles Lakers depois de apenas 15 partidas por Cleveland. E o rendimento no novo time também foi ruim: 17 jogos, só um como titular, até que enfim decidiu passar pela cirurgia no quadril.

2018-19 foi o ano de reabilitação física de Thomas. Ele assinou com o Denver Nuggets por um ano e U$ 2 milhões, valor mínimo para um veterano - muito longe do contrato máximo que era projetado nos tempos de Celtics.

Mas, novamente, frustração.

Ele demorou para se recuperar da cirurgia e não conseguiu espaço na forte rotação de Denver. Após 12 partidas na temporada regular e nenhuma nos playoffs, sua passagem pelos Nuggets chegou ao fim.

O próximo destino? Washington.

Recomeço nos Wizards

Thomas fechou com o Washington Wizards também por uma temporada. Mas os primeiros jogos mostram algo de diferente.

"Não vou desistir, não importa o que aconteça", comentou o armador. "Passei por situações que são muito maiores do que basquete. De verdade. Mas olhei nos olhos dos meus filhos, e isso me fez continuar", seguiu, se referindo aos garotos Jaiden e James.

Ver essa foto no Instagram

They will never switch up on me! Jaiden X James

Uma publicação compartilhada por Isaiah Thomas (@isaiahthomas) em

Agora dono da camisa 4 dos Wizards, que passam por um processo de reconstrução do elenco, ele tem médias de 13.6 pontos e 6.4 assistências em apenas 21.6 minutos por jogo. Os aproveitamentos nos arremessos de quadra (41%) e nas bolas de três (37,9%) são os melhores desde que deixou os Celtics.

A consequência? Ganhou a vaga de titular pela primeira vez em duas temporadas.

"Os últimos dois anos foram duros. Mas eu sei minha meta. Sei que quero ser um dos melhores jogadores da história. Tenho muita gasolina no tanque, ainda estou com 30 anos", completou Thomas.