<
>

NBA: Com Nenê, Felício, Caboclo e Raulzinho, o que os brasileiros podem fazer na temporada

A NBA está de volta e com ela as expectativas para os brasileiros que vão atuar na Liga nesta temporada.

Serão quatro em 2019-20: Nenê, Cristiano Felício, Bruno Caboclo e Raulzinho. O ala Caboclo é aquele que provavelmente terá a função de maior expressão em um Memphis Grizzlies, que ainda se reconstrói.

Didi, escolhido na posição 35 do Draft deste ano, está jogando pelo Sydney Kings, da Austrália, e só deve servir ao New Orleans Pelicans em 2020-21.

Nenê - Houston Rockets

Brasileiro há mais tempo na NBA, Nenê vai para sua décima oitava temporada. Jogador mais experiente do Houston Rockets, o pivô tem sofrido com lesões nos últimos anos e hoje é muito mais um mentor dos mais jovens em um time que briga pelo título, do que uma peça importante dentro da quadra.

Na temporada passada, o brasileiro atuou em apenas 42 partidas, sendo duas como titular, e teve médias de 3,6 pontos e 2,9 rebotes em 13 minutos por jogo. Números bem inferiores a média da carreira de 11,3 pontos e 6,0 rebotes por partida.


Cristiano Felício - Chicago Bulls

Felício não pode reclamar do contrato que assinou com os Bulls. Foram $32 milhões (cerca de R$ 131 milhões) por quatro temporadas. O pivô não se consolidou no elenco da franquia de Chicago e deve ser apenas o 4º da posição na rotação, atrás de Wendell Carter Jr., Luke Kornet, e o calouro Daniel Gafford. A G-League pode ser o destino do brasileiro.

Na temporada passada, Felício atuou em 60 partidas, nenhuma como titular, e teve médias de 4,0 pontos e 3,6 rebotes em 12,4 minutos por jogo. Na carreira de quatro temporadas na Liga, o brasileiro tem números semelhantes: 4,6 pontos e 4,1 rebotes.


Bruno Caboclo - Memphis Grizzlies

Caboclo é o brasileiro com mais expectativas para a temporada. Após uma boa reta final em 2018-19 em que foi titular dos Grizzlies, o brasileiro mostrou todo o seu potencial defensivo e pode marcar jogadores de várias posições. Pela pré-temporada, Caboclo deve vir do banco de reservas, o sexto homem de Memphis.

Na temporada passada, o ala atuou em 34 partidas, sendo 19 como titular, e teve médias de 8,3 pontos e 4,6 rebotes em 23,5 minutos por jogo. Foi a melhor temporada do brasileiro na NBA desde que entrou em 2014-15.


Raulzinho - Philadelphia 76ers

Único de casa nova, Raulzinho rumou para a Philadelphia para exercer um papel parecido com o qual fazia em Utah: ser o armador reserva. Com a saída de TJ McConnell dos Sixers, o brasileiro foi o escolhido por Brett Brown para ser o “cara do descanso” de Ben Simmons.

Na temporada passada, o brasileiro atuou em 37 partidas, sendo uma como titular, e teve médias de 5,3 pontos e 2,5 assistências em 12,8 minutos por jogo. O desempenho foi ligeiramente melhor do que as médias da carreira: 4,8 pontos e 1,9 assistências.