<
>

LeBron James se envolve na disputa entre NBA e China

O astro do basquete LeBron James criticou, na segunda-feira, o diretor executivo do Houston Rockets, Daryl Morey, autor de um tuíte sobre os protestos em Hong Kong, que iniciou um desentendimento político entre a NBA e a China.

“Não quero entrar numa discussão verbal com Daryl Morey, mas acredito que ele não tinha conhecimento suficiente sobre a situação em questão e falou (…) ou estava mal informado”, declarou James antes da partida de pré-temporada de seu time, o Los Angeles Lakers, contra o Golden State Warriors.

“Muitas pessoas poderiam ter sido prejudicadas não só financeiramente, mas também física, emocional e espiritualmente, então é preciso ter cuidado com o que tuitamos, dizemos e fazemos”, continuou o astro. “Sim, temos liberdade de expressão, mas também pode haver muita coisa negativa que vem com isso”, completou.

Minutos depois destas declarações, James esclareceu alguns pontos no Twitter. “Eu não acredito que houve consideração para as consequências e ramificações do tuíte. Não discuto o conteúdo. Outras pessoas podem falar sobre isso”.

“Minha equipe e eu acabamos de passar por uma semana difícil. As pessoas precisam compreender as consequências que um tuíte ou declarações podem ter nos outros. E acredito que ninguém parou para pensar o que aconteceria. Ele poderia ter esperado uma semana”, criticou.

LeBron James e os Lakers estiveram na última semana na China para disputar dois jogos de exibição contra o Brooklyn Nets, em meio à comoção provocada pelo tuíte de Morey em apoio aos manifestantes de Hong Kong.

A região autônoma chinesa é palco de manifestações cada vez mais violentas desde junho entre as forças de repressão e cidadãos, que exigem menor controle do governo de Pequim. Para LeBron James, Morey foi egoísta ao postar o polêmico tuíte.

“Há ramificações negativas que podem acontecer quando você não pensa nos outros, quando você só pensa em si mesmo”, declarou o maior astro do basquete mundial, que viajou diversas vezes à China nos últimos anos para participar de ações de marketing e eventos de patrocinadores.

O governo e muitos internautas chineses expressaram seu repúdio ao tuíte de Morey, visto como uma intromissão em um assunto que diz respeito à soberania do país. O comissário da NBA, Adam Silver, se negou a pedir desculpas pelo ocorrido e agravou a crise.

“A NBA não se permite regulamentar o que os jogadores, funcionários e donos das equipes dizem ou deixam de dizer sobre esses temas”, declarou Silver, defendendo o direito de Morey de exercer sua liberdade de expressão.

Em relação ao possível cancelamento da exibição de jogos da NBA no lucrativo mercado chinês, o comissário afirmou: “É uma pena, mas se essas são as consequências de aderirmos a nossos valores, sentimos que é de vital importância aderirmos a esses valores”.