<
>

Gregg Popovich sabe o segredo para os Estados Unidos vencerem o Mundial de Basquete: amor

A seleção americana não perdeu tempo para começar a treinar nas quadras australianas, fazendo um treinamento leve no Centro Aquático e Esportivo de Melbourne apenas horas depois de chegarem de Los Angeles.

"Como todo mundo estaria, acho eu", respondeu o técnico Gregg Popovich quando perguntado sobre como o grupo estaria lidando com o jetlag.

"Provavelmente é mais difícil em alguns do que em outros, mas é por isso que viemos treinar, para meio que acabar com isso, se livrar do avião, fazer uma boa refeição".

Com uma mensagem parecida com os treinamentos dos donos da casa, criar química no time é o grande foco dos americanos enquanto vão para a Copa do Mundo com um time sem experiência internacional, de acordo com os padrões dos EUA.

Com tempo limitado de treinamento, Popovich deixou claro a importância de sua equipe se conectar em um nível pessoal durante o tempo junto na Austrália.

"Como sabemos nos esportes coletivos, quando você se sente responsável, quando você ama alguém, quando você tem empatia por alguém, as coisas saem melhor", explicou Pop.

"Sair para jantar e se reunir fora das quadras, apenas aprender sobre eles e suas famílias. Nós não conhecemos suas esposas, namoradas e crianças como conhecemos nossos próprios colegas de NBA, então é um processo lento, mas tentamos nos familiarizar um pouco mais a cada dia".

"Nós vamos jantar sem celulares e as pessoas de fato conversam entre elas, perguntam coisas e ficam sabendo como cada um cresceu e esse tipo de coisa. Afinal é um time completamente novo que temos que começar, sem pular etapas, tentando conhecer as pessoas e chegar o mais longe possível em um pequeno espaço de tempo".

O armador do Boston Celtics, Kemba Walker, é um dos únicos dois All-Stars no elenco de 13 jogadores (Khris Middleton, do Milwaukee Bucks, é o outro) e abraçou o desafio de ser um dos líderes de seus novos companheiros.

"Nossa camaradagem, nossa química, está ficando melhor e melhor a cada dia. Nós acabamos de fazer um voo de 17 horas até aqui, então estávamos fazendo piadas no avião, rindo, coisas assim. Tem sido ótimo, eu sou um dos únicos caras que tem mais experiência, então é divertido, apenas tento ser eu mesmo, trazer essa energia e entusiasmo", comentou Walker após o treino em Melbourne.

A expectativa de jogar para cerca de 50 mil pessoas trouxe muitos sorrisos para o elenco, mas talvez ninguém ficou mais feliz do que Middleton, que está em Melbourne pela segunda vez na vida, depois de visitar a cidade em 2016 com o programa "Basquete Sem Fronteiras" da NBA.

"É apenas outro teste, nós sabemos que será uma torcida louca, vai ser uma ótima experiência, com certeza seremos testados contra um ótimo time australiano então vai ser um bom jogo para nós aprendermos, vermos aonde precisaremos melhorar daqui em diante", comentou Middleton.

Tendo jogando múltiplas temporadas com Matthew Dellavedova em Milwaukee, Middleton quer desafiar seu antigo companheiro no Marvel Stadium ao final da semana.

"Delly foi um grande companheiro meu e também um ótimo amigo e sei que ele estava falando sobre isso ano passado, em como esse jogo vai ser importante para eles e para nós. Competir contra ele, ele é um guerreiro. Vai ser um ótimo teste e vai ser ótimo vê-lo e jogar contra ele", disse Middleton com um sorriso no rosto.

Apesar de grandes nomes desfalcarem ambas as equipes, qualquer possibilidade de subestimar os australianos antes da Copa do Mundo foi rapidamente encerrada pelos jogadores.

"Nós sabemos como esses caras são bons, o quão competitivos são", disse Walker sem hesitar.

"Eles ainda tem grandes jogadores, eles tem Patty Mills e Dellavedova, Aron Bayners, grandes jogadores. E eles jogam juntos por anos, então esperamos um ótimo jogo, um grande desafio".

Popovich foi um passo além, acreditando saber exatamente o que esperar da equipe australiana na noite de quinta.

"Exatamente o que eu vejo toda vez que eles jogam. O técnico Andrej Lemanis faz eles serem fisicamente incansáveis. Eles executam as jogadas ofensivas muito bem. É um time que realmente se ama, que está jogando junto, tem experiência e acho que isso era continuar, é o que eles fazem. É um baita de um grupo".

A seleção americana fará mais dois treinos antes do amistosos de quinta-feira.