<
>

NBA: Ultrapassar Kobe como cestinha em janeiro e mais; veja marcas que LeBron pode alcançar na temporada

Em 2019/2020, LeBron James fará sua 19ª temporada na NBA. Até aqui, foram 11 com a camisa do Cleveland Cavaliers, quatro com o Miami Heat e essa será a segunda pelo Los Angeles Lakers.

O ala não cansa de acumular recordes e posições nos rankings históricos da liga e deve alcançar novas marcas até o final da próxima temporada regular.

LeBron deve subir na lista de maiores cestinhas da história da NBA, passando outro ídolo dos Lakers, Kobe Bryant, além da lista de mais arremessos de quadra convertidos, seja de dois ou três pontos. James também pode subir no ranking de maiores assistentes, maiores reboteiros e em uma marca negativa, os que mais cometeram erros.

Passar Kobe ainda em janeiro

Atualmente, LeBron é o 4º maior cestinha da história da NBA. Para ultrapassar Kobe Bryant e assumir a terceira posição, o ala precisa de exatamente 1101 pontos na temporada.

Considerando a média de sua carreira, 27,2 pontos por jogo - e que foi menor do que a da última temporada, 27,4 -, LeBron precisaria de cerca de 41 partidas, ou seja, metade da temporada regular, para alcançar a marca. Mantendo a média, o ala passará Kobe Bryant ainda em janeiro.

Assumir a segunda posição, atualmente de Karl Malone, porém, é uma tarefa quase impossível. Se jogar os 82 jogos, LeBron precisaria ter média de 53 pontos por jogo, três a mais que o recorde histórico, estabelecido por Wilt Chamberlain na temporada 1961/1962.

Subir no ranking de assistências

LeBron é o décimo colocado na lista de assistências na história da NBA. O máximo que ele pode alcançar, realisticamente falando, é a sétima posição, atualmente de Chris Paul.

Para ultrapassar o nono, Gary Payton, ele precisa de 304 assistências. Se mantiver a média de sua carreira, 7,2 por jogo, passará em 42 jogos. Em oitavo está Isiah Thomas, 399 assistências acima de LeBron, marca que ele passaria em 55 jogos. Chris Paul, porém, é o maior desafio. São 519 assistências de diferença e Paul ainda está jogando.

Este ano, porém, LeBron deve assumir ainda mais a função de armador dos Lakers, o que pode aumentar essa média e diminuir a distância.

Entrar no top 50 de rebotes

LeBron James nunca foi pivô, mas sempre pegou rebotes e sua média na carreira é de 7,4 por jogo. Atualmente, o ala é o 62º segundo na lista de maiores reboteiros da liga. São necessários 447 rebotes para que LeBron passe Vlade Divac e assuma a 55ª posição.

Para entrar no top 50, porém, LeBron precisaria de 649 rebotes, ou uma média de 7,9 rebotes por jogo jogando os 82 jogos para ultrapassar Mel Daniels. Mesmo que não entre no top 50 ainda este ano, a posição histórica reflete o quão completo é o jogador.

Ser o jogador com mais erros na história

Nem tudo são flores na carreira de LeBron. Atualmente o ala é o quarto jogador que mais cometeu turnovers na história da liga. Para entrar no top 3, passando John Stockton, serão necessários apenas 82 erros, uma média de 1 por partida (a média da carreira é de 3,5).

Para ser o segundo colocado, passando Moses Malone, serão necessários 102 turnovers. Para ser "coroado" como o primeiro, LeBron precisaria de 362 erros, ou uma média de quase 5 por jogo, para ultrapassar Karl Malone.

Outras listas

LeBron é o 19º em arremessos de três na história. Para chegar ao top 15, ultrapassando mais uma vez Kobe, ele precisa de apenas 101 arremessos convertidos na temporada. Em roubos de bola, James é o 17º em roubadas de bola e precisa de apenas 14 para ultrapassar, pasme, Kobe Bryant. O top 15 também deve ser garantido, afinal é necessária uma média de 1,5 roubos por jogo.

LeBron é o 112º em tocos por partida. Para entrar no top 100, James precisa de cerca de 70 tocos, menos de um por jogo, para conseguir. E, por fim, LeBron é o 8º com mais arremessos livres convertidos e precisa de 194 para ultrapassar Michael Jordan e entrar no top 5.