<
>

Finais da NBA: 5 motivos para Warriors ou Cavaliers serem campeões

Elas chegaram. Finalmente, as Finais da NBA estão entre nós. E depois de uma temporada cheia de altos e baixos para Golden State Warriors e Cleveland Cavaliers, o que podemos esperar das equipes?

A ESPN separou para os fãs do esporte, 5 motivos para cada finalista levar o troféu e os anéis para casa, e você acompanha todos aqui. A lista conta com razões das mais supersticiosas, com estatísticas, e também às unanimidades. Warriors e Cavs brigam pelo título, e você acompanha tudo nos canais ESPN e WatchESPN.

5 motivos para Warriors e Curry serem campeões

1 - 'Big 4':

Ao longo da história, muitos times campeões (e também não-campeões) da NBA foram formados por 'Big 3', que consistia em três jogadores essenciais, como pilares, que eram o coração das equipes. O Miami Heat de LeBron James, campeão em 2012 e 2013), contava não só com LeBron, mas também com Chris Bosh e Dwyane Wade no auge de suas carreiras. Os Spurs, campeões em 2014, tinham três atletas como seus principais pilares: Tony Parker, Manu Ginóbili e Tim Duncan. E tantos outros campeões foram formados dessa forma.

Os Warriors até foram campeões em 2015 com seu próprio 'Big 3', formado por Stephen Curry, Klay Thompson e Draymond Green. Acontece que, após o vice em 2016, o time de Golden State teve uma adição 'barulhenta' ao seu elenco. O já astro Kevin Durant deixou o Oklahoma City Thunder e rumou aos 'Dubs', formando assim um 'Big 4'. Os números desses quatro atletas juntos assustam, e prometem pesar na hora da disputa pelo título da NBA em 2018:

2 - O line-up da morte, 'The Hamptons Five':

Para quem ainda não é familiar ao apelido, 'Hamptons Five' é o nome dado à escalação mais mortal dos Warriors, formada por Stephen Curry, Klay Thompson, Andre Iguodala, Kevin Durant e Draymond Green.

O grupo leva esse nome devido ao número de jogadores em quadra, e ao local onde Kevin Durant se reuniu com os Warriors para acertar seu contrato com seu novo time, após seu compromisso com o Thunder se encerrar. Hamptons é um conjunto de vilas de luxo, localizada em Nova York, que abrigou os representantes da equipe, juntamente com Curry, Iguodala, Green e Thompson, sem falar de Durant, obviamente.

A formação é temida justamente pela versatilidade dos atletas em quadra. Combinando tamanho e mobilidade, os jogadores conseguem provocar impacto na defesa e também no ataque. Com a formação em quadra, Golden State tem um saldo médio de pontos de +26.

3 - Terceiro período implacável:

Já famoso na NBA, o terceiro período dos Warriors é algo a ser estudado, e atua quase como se fosse um jogador só.

Nesses playoffs, toda a energia que vem dos vestiários dos comandados por Steve Kerr após o intervalo das partidas fez com que o time 'mastigasse' os Rockets nos jogos 6 e 7, reduzindo a diferença a pó, virando a partida, e deixando os 'Dubs' em posição de apenas conduzir a partida ao fim.

Voltando 'energizados', os Warriors são donos da melhor média de pontos da terceira etapa da partida, com 30,3 pontos. A diferença para seus adversários é de 19,8 pontos, empurrando a franquia de São Francisco ao comando da partida.

Difícil dizer se é uma orientação do técnico Kerr, o descanso, alguma 'sonolência' dos adversários, ou até as bolas de 3 pontos absolutamente improváveis e avassaladoras arremessadas por Stephen Curry. Fácil é ver que o 'Terceiro Quarto dos Warriors' é quase um jogador, que destrói seus oponentes

4 - Time de sorte:

Longe de diminuir a competência de Stephen Curry e companhia, mas é de se observar a curiosa sorte que os Warriors vem tendo nas últimas temporadas. Nos últimos anos, Golden State enfrentou equipes desfalcadas, que perderam peças-chave por lesões antes de enfrentá-los.

Vamos refrescar a memória: nas finais de 2015, contra os próprios Cavaliers, os Cavs ficaram sem Kevin Love e também Kyrie Irving durante as finais. Componentes vitais para formar o 'Big 3' com LeBron James. Nas finais da Conferência Oeste em 2017, diante dos Spurs, um choque com Zaza Pachulia tirou Kawhi Leonard do confronto, que abriu caminho para o Dubs rumarem a mais uma final.

Neste ano, Chris Paul, que se tornou o grande jogador dos Rockets em momentos de baixa de James Harden, lesionou a coxa no jogo 5 das finais da Conferência Oeste, ficou de fora dos jogos 6 e 7, justamente os que deram aos Warriors e vaga na final. Para as Finais da NBA, Kevin Love, nos Cavs, segue em protocolo de concussão, e deve perder o primeiro jogo. Nada grave para o time capitaneado por LeBron James, mas, não custa ficar de olho, já que a bruxa está solta.

5 - Ausência de James Jones:

Essa é para os mais supersticiosos: pode parecer brincadeira, mas não é. LeBron James esteve nas últimas OITO Finais da NBA. Fato absurdo, certo? Pois é, mas não exclusivo. Junto dele, esteve também o ala James Jones, que hoje está aposentado das quadras, e atua como vice-presidente de operações de basquete do Phoenix Suns. Jones foi 'fiel escudeiro' de LeBron em no Miami Heat e também no Cleveland Cavaliers, estando assim, presente em todos os títulos conquistados por James. Neste ano, o ex-jogador não estará com 'The King' em quadra. Seria isso um presságio favorecendo os Warriors?

5 motivos para Cavs e LeBron serem campeões

1 - LeBron James:

Não tem para onde fugir: LeBron James é o maior de todos os motivos para os torcedores dos Cavs acreditarem em mais um título.

LeBron insiste, ano após ano, em provar que está no patamar mais alto dos astros da NBA. Este ano, 'The King' atuou em todos os 82 jogos dos Cavs na temporada regular, além de atuar em todos os minutos no decisivo jogo 7 na final da Conferência Oeste, tornando uma tarefa árdua torcer contra ele. Se não bastasse o desempenho assustador de LeBron com 33 anos, ele ainda é absoluto nos números nas últimas finais contra os Warriors:

2 - 'Profecia' de Alabama:

Mais uma para quem gosta de superstições. LeBron James parece ter alguma relação com o time de futebol americano da universidade de Alabama. Coincidentemente, os títulos de LeBron na NBA vieram juntos com os títulos do Alabama Crimson Tide no campeonato nacional:

2011-12: Alabama campeão, LeBron James campeão (Miami Heat)
2012-13: Alabama campeão, LeBron James campeão (Miami Heat)
2013-14: Alabama cai nas finais, LeBron perde nas Finais (Miami Heat)
2014-15: Alabama cai nas semifinais, LeBron perde nas Finais (Cleveland Cavaliers)
2015-16: Alabama campeão, LeBron James campeão (Cleveland Cavaliers)
2016-17: Alabama cai nas finais, LeBron James perde nas Finais (Cleveland Cavaliers)
2017-18: Alabama campeão, LeBron James...

3 - Superação nos playoffs:

Azarões? Sem dúvidas, a temporada dos Cavaliers foi de superação. Com uma reformulação quase completa em seu elenco na free agency, os Cavs chegaram aos playoffs aos trancos e barrancos, e foram tidos como eliminados precocemente diversas vezes.

Diante dos Pacers, muitos duvidavam que LeBron e companhia conseguiriam superar o empolgante time de Victor Oladipo: passaram. Contra os Raptors, a franquia de Toronto prometia finalmente derrubar Cleveland: LeBron varreu os Raptors. Na final de conferência, o jovem e bem-treinado Boston Celtics ficou a um jogo do título do Oeste: LeBron jogou quase todos os minutos possíveis e deu a vitória aos Cavs.

Nas Finais deste ano, muitos já dão o título dos Warriors como certo, mas LeBron e time vêm aí mais uma vez para provar o contrário.

4 - Warriors nunca ganharam títulos em sequência

Em seus 62 anos de existência, o Golden State Warriors já faturou 5 títulos da NBA. No entanto, nenhum deles veio de forma consecutiva. 1947, 1956, 1975, 2015 e 2017. A escrita não ajuda, e pode ser que os Cavs mantenham esta escrita este ano.

5 - 'Displicência' dos Warriors:

Esse talvez seja um dos fatores mais subjetivos da lista, mas dá para afirmar, com tranquilidade, que os Warriors parecem jogar apenas 'quando querem'.

Após o título de 2015, os 'Dubs' fizeram uma campanha histórica com 73 vitórias e apenas 9 derrotas, igualando recorde dos Bulls de Michael Jordan. Nas Finais contra os mesmos Cavs, Curry e companhia chegaram a abrir 3 a 1 na série. O resultado? Virada inacreditável e título dos Cavaliers.

Nos últimos 2 anos, mesmo com a chegada de Kevin Durant, o que coloca Golden State em um patamar totalmente novo na NBA, o time de Steve Kerr parece ter campanhas turbulentas na temporada regular, e complicando jogos que deveriam ser 'fáceis'. Cabe aos Cavs se aproveitar de uma eventual negligência dos Warriors, e levantar o troféu no lugar deles.