<
>

OPINIÃO - Kevin Durant ficar 'pipocando' de um time para o outro na NBA só prejudica seu próprio legado

Ala dos Nets pediu diretamente ao dono do time para ser trocado


Não há problema em trocar de time na NBA. Aliás, em lugar nenhum. Qualquer funcionário deve ser livre para sair do seu atual empregador desde que os lados honrem com aquilo que foi cumprido.

E não parece ser o caso de Kevin Durant. Não faz nem um ano que ele aceitou a renovação de estratosféricos US$ 198 milhões e mais quatro anos com o Brooklyn Nets, que o manteria no Brooklyn, em teoria, até 2026.

Se ainda os Nets assumissem desde já que estariam "tankando", ok. Mas não parece o caso. Trouxeram James Harden há pouco tempo, não deu certo. Rechearam o elenco com veteranos decadentes (LaMarcus Aldridge, Blake Griffin e cia), trocaram Harden por Ben Simmons, viram Kyrie Irving exercer sua opção de renovação...enfim.

Existe o rumor de que mesmo com Kyrie Irving tendo exercido a opção de renovação por um ano, ele ainda estaria tentando ser trocado. E com isso o pedido de Durant seria para se adiantar à debandada que estaria por vir. Mas, afinal, KD joga pela franquia ou pela amizade que tem com Irving, que foi o que fez ele deixar o bicampeão Golden State Warriors para ir para o Brooklyn?

Não parece justo com a franquia.

Durant entrou na free agency em 2019 com um tendão de Aquiles estourado, com sérias dúvidas, aos 31 anos, se conseguiria voltar a seu alto nível no futuro, e ainda assim os Nets deram um contrato máximo para ele, mesmo sabendo que ele não pisaria em quadra em 2019-20.

Ou seja, Brooklyn pagou US$ 37 milhões para Durant mesmo sabendo que ele não jogaria naquele primeiro ano de contrato. Brooklyn ofereceu quase US$ 200 milhões no ano passado para o atleta e ele aceitou. Então, que Kevin Durant faça a sua parte, não?

Os Nets sabiam que ao pegar o atleta, ele provavelmente não jogaria todas as partidas possívels do time.

Foram 90 jogos de temporada em 226 possíveis desde que ele assinou com os Nets, 39,8% de assiduidade para ser mais exato.

Essa iminente saída dele do Brooklyn apenas prejudica seu legado e o torna mais odiado pelos fãs ao redor da NBA. Novamente, não tem "problema" trocar de time, mas depende da forma que é feito. As saídas de Durant sempre soam como uma ruptura até desrespeitosa com a equipe que ele deixa.

Primeiro trocar o Thunder meses depois de ter 3 a 1 contra os já poderosos Warriors 73-9 em 2016 para se juntar a Golden State na "panela" mais apelona que a liga já viu.

Depois, justamente para deixar os Warriors, após discussões em quadra com Draymond Green. alegando querer novos ares para se reunir com seu amigo Kyrie Irving.

E agora com os Nets, menos de um ano após ter renovado por mais quatro anos com o seu contrato não tendo chegado ao fim.

Um bom exemplo de como deixar seu time? LeBron James. Ok, o "The Decision" realmente não pegou bem. Mas ele cumpriu sua promessa, voltou para Cleveland, ganhou um título lá. E os torcedores que um dia queimaram sua camisa certamente entendera o amam até hoje mesmo após ele ir para os Lakers.

Em Los Angeles, a mesma coisa. LeBron já cumpriu seu papel, entregou um título, tem carregado um time que definha em quadra além do limite de um senhor de 37 anos e se não fizesse mais nenhuma cesta pelos Lakers o torcedor já seria grato a ele.

Que Durant tenha mais gratidão do que teve com os Nets em seu próximo time....