<
>

NBA Playoffs: A atuação perfeita que colocou Jimmy Butler na história do Heat e salvou a temporada de Miami

Jogo 7 das finais do Leste acontece neste domingo; assista pela ESPN no Star+


Talvez o Miami Heat tenha que abrir espaço em seu Corredor dos Títulos.

É este o nome do caminho entre a quadra e o vestiário em Miami, que tem as grandes memórias da história da franquia espalhadas nas paredes. O arremesso de Gary Payton que começou a virada nas Finais de 2006 da NBA. Udonis Haslem sangrando em um jogo crucial nos playoffs. A encarada mortal de LeBron James em sua obra de arte contra o Boston Celtics no Jogo 6 de 2012. E muito mais.

Pat Riley, presidente do Heat, costuma levar convidados para um passeio pelo corredor, parando em frente às gigantescas imagens sobre o tapete vermelho para contar as histórias.

Talvez a foto da noite de sexta que vai para o mural seja de Jimmy Butler subindo para um arremesso em frente ao banco dos Celtics em seu 46º minuto em quadra no Jogo 6 que se tornou instantaneamente histórico. Marcus Smart, o defensor do ano, e Derrick White, que seria herói se Boston tivesse virado o placar, olhavam enquanto Butler estava no ar. E todos no TD Garden encaravam Butler.

Dois dias antes, ele não conseguia nem pular tão alto. Quatro dias antes, esquece. Mas nesta noite, seu joelho lesionado, que começou a melhorar depois de dois dias de tratamento agressivo e máximo de repouso possível, permitiu que isso acontecesse. Butler acertou o arremesso longo com 43 segundos restando, fechando a vitória do Heat por 101 a 103 e forçando um Jogo 7 no domingo – com transmissão pela ESPN no Star+.

"Não presto muita atenção à torcida. Quero vencer”, disse Butler. “Quero jogar basquete do jeito certo. Faço de tudo pelo meu time, meus colegas de time precisam disso.”

Depois de agravar a lesão no Jogo 3 da série – que ele está enfrentando durante todos os playoffs -, Butler não era mais ele mesmo. Jogou quando não deveria ter jogado, e isso ficou claro imediatamente. Sua explosão praticamente não existia. Na metade do Jogo 5, a defesa dos Celtics admitiu o que todos que estavam assistindo já tinham percebido: Butler não era uma ameaça.

Mas bastaram alguns minutos do Jogo 6 para Butler cortar uma linha de passe para o primeiro dos quatro roubos de bola que teve e cruzar a quadra para pontuar. Alguns momentos depois, ele pulou para um rebote no meio dos rivais. E a mensagem foi direta: Butler estava de volta – e o Heat também.

Ele carregou Miami durante o jogo, com 47 pontos, 9 rebotes e 8 assistências. Depois de ir para o lance livre seis vezes entre os Jogos 3 e 5, ele cobrou 11 no Jogo 6. E acertou todos. Além de ter feito quatro bolas de três, sua melhor marca na temporada.

Quando tudo acabou, ele igualou a 3ª melhor pontuação em um jogo contra a eliminação fora de casa nos 75 anos de história da NBA. Marcou ou deu assistências para 68 pontos, um recorde em jogos contra a eliminação nas finais de conferência.

“Jimmy Butler é um grande competidor, ele realmente é”, elogiou Erik Spoelstra, técnico do Heat. “Você pode errar a forma de defini-lo de várias formas, mas ele vai competir mais do que qualquer um consegue neste esporte. E ele colocou as digitais dele neste jogo.”

Spoelstra, um veterano com dúzias de jogos importantes na vida (especialmente em Boston), esteve confiante durante a semana. Mesmo que o Heat tenha perdido feio nos Jogos 4 e 5, sofrendo para marcar 80 pontos.

Na manhã de sexta, enquanto o Heat treinava perto do hotel e descobria que não poderia contar com Tyler Herro, Spoelstra estava procurando respostas, sabendo que teria que aproveitar uma “grande oportunidade” quando ele e seu time “se sentem mais vivos”.

Havia uma luz nos olhos de Spoelstra e uma confiança em seu comportamento. Ele vive sua vida com uma disciplina incrível, guiado por Riley, e treina desta forma. Ele usa o mesmo uniforme todos os dias e nunca para de fazer seu trabalho, não importa a situação.

A constância apareceu em Butler e no time durante toda a agitação. Kyle Lowry foi para a quadra três horas e meia antes da bola subir para tentar soltar a musculatura de sua coxa lesionada e lutou para fazer 18 pontos e dar 10 assistências. Depois de errar 19 bolas de três seguidas em mais de três jogos, Max Strus finalmente acertou uma no terceiro quarto – antes de converter outras duas.

“Não é como se fosse algo garantido. Mas sei como são os nossos caras”, comentou Spoelstra, horas depois da vitória, sem se empolgar. “Você espera que isso traga o melhor de cada um em um nível diferente. Às vezes, você perde no caminho.”

O Heat não podia mais perder, e parecia muito que isso iria acontecer. Até mesmo o rival que espera nas Finais disse isso ao vivo na TV, com Draymond Green afirmando que os Celtics avançariam para a decisão contra o Golden State Warriors.

Talvez eles ainda avancem. A vitória de Miami não fechou a série – só deu a eles mais uma chance.

“Estamos falando isso durante toda a série, ainda não acabou”, disse Butler. “Temos o Jogo 7 em casa.”