<
>

NBA Playoffs: Por que Erik Spoelstra, técnico do Heat, é o grande 'gênio' dos finalistas de conferência

Miami Heat busca vaga nas Finais da NBA em duelo contra o Boston Celtics na decisão do Leste


Não há dúvidas de que um dos melhores técnicos ainda em atividade na NBA é Erik Spoelstra, do Miami Heat. E ter chegado mais uma vez na decisão da Conferência Leste, contra o Boston Celtics, é mais uma prova disso.

E isso não se deve apenas pelo simples fato de estar a um passo de mais uma final da NBA, onde pode conquistar seu terceiro título, tentando sua sexta final.

Mais impressionante é a forma como Spoelstra está levando o Heat tão longe. Ou com quem ele está levando o Heat tão longe.

O time titular do Heat atualmente conta com dois jogadores que sequer foram draftados: Max Strus e Gabe Vincent, que substitui o armador titular, Kyle Lowry, lesionado.

Dos 14 jogadores elegíveis a atuar pelo Miami nestes playoffs, 7 não foram draftados: Strus, Vincent, Duncan Robinson, Dewayne Dedmon, Omer Yurtseven, Caleb Martin e Hayward Highsmith.

Strus está com média de 12,5 nestes playoffs, quarto maior pontuador do Heat.

Ao todo, dos 107,1 pontos por jogo do Heat netes playoffs, 30,5% são de jogadores não draftados.

Jimmy Butler, a estrela do time, chegou a Miami como free agent. Mas as outras duas peças fundamentais do elenco (Bam Adebayo e Tyler Herro) sequer foram top 12 em seus Drafts.

Adebayo é um paredão na defesa, enquanto Herro foi eleito o melhor sexto homem da temporada regular com 20,7 pontos de média.

E onde entra o mérito de Spoelstra nisso? Há mais de 25 anos no Heat, ele começou no time como assistente e foi sendo promovido até técnico principal, substituindo ninguém menos do que o lendário Pat Riley, que se tornou presidente da franquia.

Spoelstra é um dos responsáveis diretos pela análise e scouting de novos talentos, tendo a benção de Riley para tocar tudo com relação ao basquete do Heat.

Durant os anos de LeBron James, Dwyane Wade e Chris Bosh, Spoelstra foi criticado por acharem que seu trabalho era fácil. Mas depois viram que estavam errados. O técnico do Heat é, sim, um gênio do basquete.