<
>

NBA Playoffs: o que esperar de Celtics x Heat e Mavs x Warriors nas finais de conferência?

Finais de conferência começam nesta terça-feira


Restam apenas quatro times de pé nos Playoffs da NBA 2022.

Depois que o Milwaukee Bucks e o Phoenix Suns - finalistas do ano passado - foram eliminados em jogos 7 no mesmo dia, a temporada 2021-21 está um passo mais próxima de coroar um novo campeão.

O Boston Celtics superou uma performance de outro mundo de Giannis Antetokounmpo para chegar as finais da Conferência Leste. Do outro lado está o Miami Heat, um dos melhores times da temporada regular, que eliminaram o Philadephia 76ers no jogo seis.

O Dallas Mavericks superou o melhor time da fase regular, o Phoenix Suns, com uma das maiores vantagens da história da NBA, confirmando um duelo contra o Golden State Warriors nas finais da Conferência Oeste.

Jimmy Butler x Jayson Tatum. Stephen Curry x Luka Doncic. Qual grande estrela vai se sobrepor nas finais da Conferência? Quais planos serão criados pelas defesas para frear o ímpeto desses craques?

Aqui estão algumas observações sobre os quatro melhores times desta temporada.

HEAT x CELTICS

Basketball Power Index (BPI): Miami (51%)
Rating Ofensivo: MIA (113.0, 12º) | BOS (113.6, 9º)
Rating Defensivo: MIA (108.4, 4º) | BOS (106.2, 1º)

Desde 2005, nenhum time esteve mais vezes na final do Leste que o Heat e os Celtics.

Nesta terça-feira, a costa da baía de Biscayne será novamente o palco do duelo que definirá essa geração de basquete da Conferência Leste, com o Heat chegando à sua oitava participação em 18 temporadas, enquanto os Celtics chegam a sua sétima nas últimas 15.

Para o melhor classificado da temporada regular, o Heat terá a chance de chegar pela 6 vez na final da NBA nos últimos 12 anos e a primeira desde que venceu o Boston dentro da bolha de 2020 em Orlando, na Flórida.

Boston espera acabar com a sequência de quatro derrotas seguidas na final da conferência, incluindo duas diante do Heat (2011-12 e 2019-20).

A questão sobre o Heat chegando a essa série será a situação incerta do armador Kyle Lowry, que perdeu seis das últimas 8 partidas de playoff por conta de uma lesão que sofreu no jogo 3 da primeira fase.

Miami contratou Lowry para ajudar e fortalecer o ataque nas últimas fases dos playoffs depois que o Heat foi atropelado na primeira rodada da temporada passada pelos Bucks.

E enquanto o Miami conseguiu passar pelo Atlanta Hawks e Philadelphia 76ers com Lowry fora, o Boston vai oferecer um teste ainda mais difícil como a melhor defesa da NBA durante após os 35 jogos da temporada regular.

Os Celtics chegam vêm de 7 partidas dificílimas contra os Bucks relativamente saudável - presumindo que Robert Williams III estará em condições de jogo - e vão passar das tentativas de frear Giannis Antetokounmpo para o planejamento de jogo contra Jimmy Butler.

Depois de conduzir o Heal para as finais da NBA dois anos atrás, Butler tem sido o grande astro que Miami precisava nesses playoffs, com média de 28,7 pontos, 7,6 rebotes e 5,4 assistências, convertendo 52,5% de seus arremessos de quadra e tentando quase 8 arremessos livres por jogo.

O mais surpreendente, Butles tem acertado 36,4% de seus arremessos de 36,4% de seus arremessos para 3 pontos em mais de 4 tentativas por partida. Durante a temporada regular, ele acertou 23,3% em duas tentativas para 3 pontos por jogo. Nós vimos o quão importante são os arremessos de 3 para Miami na semifinal da conferência contra Philadelphia, onde os jogos de ida e volta tiveram muitos arremessos de longe para ambos os lados.

Boston provou durante a série contra Milwaukee que ele é capaz de jogar bem a qualquer momento, como foi comprovado no jogo 7. Com a quantidade de jogadores de elite defensivamente nos dois times - Boston e Miami terminaram a temporada como primeiro e quarto lugares no ranking de defesa, respectivamente - quem acertar mais de fora do garrafão vai ter uma vantagem enorme.

WARRIORS x MAVERICKS

BPI: Dallas (56%)
Rating Ofensivo: GS (112,1, 16º) | DAL (112,5, 14º)
Rating Defensivo: GS (106,6, 2º) | DAL (109.1, 7º)

Os Warriors sabiam desde cedo que Luka Doncic seria um problema. Então o fato de isso o encontrarem na final do Oeste em 2022 não é uma surpresa.

“Ele é inacreditável”, disse o armador Stephen Curry sobre Doncic depois de vencer o Dallas em janeiro de 2019.

“Da pra notar que ele tem experiência em jogar basquete de alto nível. Um cara que dita o ritmo. Tenho certeza que ele já ouviu muitos duvidarem dele e pessoas falando sobre seu estilo que, de verdade, não sabiam muito sobre ele, e ele mostrou quem é de fato. É divertido assisti-lo.”

Para Curry e o Golden State, não será mais tão divertido assim assisti-lo agora com Doncic e os Mavericks no caminho até a Final da NBA, a primeira desde que os Warriors perderam para o Toronto Raptors em 2019.

Enquanto que Doncic x Curry já faria desta série algo imperdível, o ponto muito mais intrigante pode ser como os Warriors conseguem montar um plano de jogo defensivo contra o astro de 23 anos dos Mavs.

Gary Payton II, o canivete suíço dos Warriors, que conseguiu um papel muito importante ao longo da temporada graças a sua defesa e finalização em volta do garrafão, não deve voltar para série enquanto se recupera de uma fratura no cotovelo.

Em seu lugar, é esperado que Andrew Wiggins jogue muitos minutos tentando fazer a vida de Luka a mais difícil possível.

Mas como é o caso de qualquer grande jogador, os Warriors vão sempre ter muitos olhos voltados para Doncic onde quer que ele vá. Draymond Green vai certamente dobrar a marcação sobre o armador, assim como Klay Thompson, que teve muita responsabilidade defensiva antes de suas cirurgias no joelho e Tendão de Aquiles, que o deixaram fora de quadra nas duas últimas temporadas.

Durante a temporada regular, Doncic conseguiu uma média de 31,5 pontos contra os Warriors, atrás apenas de LeBron James entre aqueles que tiveram pelo menos duas partidas contra eles, segundo a ESPN Stats & Information research.

Doncic marcou 126 pontos contra os Warriors em 4 partidas, o quarto maior número de um jogador em uma única temporada contra o Golden State desde que Steve Kerr se tornou treinador em 2014-15.

Para frear um jogador do calibre de Doncic, será necessário o tipo de esforço defensivo da equipe que Kerr debateu várias vezes ao longo dos anos contra jogadores como James e, antes e depois de seus três anos nos Warriors, Kevin Durant.

Essa é a companhia que a Doncic terá agora. Os Warriors, a segunda melhor defesa da NBA durante a temporada regular, precisarão lidar com ele dessa forma.