<
>

NBA Playoffs: Os 76ers precisam que James Harden os carreguem, mas será que ele consegue?

Harden teve atuação abaixo do esperado sem Joel Embiid em quadra na série


Existem poucas coisas na NBA mais valiosas do que o tempo e o espaço. Há quatro anos, parecia que o Philadelphia 76ers tinha quantidades infinitas de ambos ao enfrentar o Miami Heat em uma série de playoff na primeira fase com um cenário estranhamente semelhante ao Jogo 1 das semifinais da Conferência Leste: O pivô Joel Embiid estava fora com um osso orbital quebrado e torcendo para que seus companheiros de equipe pudessem prolongar a série por tempo suficiente para ele poder jogar com uma máscara facial feita sob medida.

Ben Simmons era companheiro de Embiid em 2018, quando parecia que a jovem dupla tinha uma década à sua frente para descobrir como fazer jus ao "Processo", a visão radical de Sam Hinkie, ex-gerente geral dos Sixers, sobre a construção de uma equipe campeã.

O Heat estava em situação oposta, com pouco tempo e espaço, e tentando fazer uma última tentativa nos playoffs com Dwyane Wade, que já não estava no seu auge, antes de finalmente reconstruir o time em torno de um novato chamado Bam Adebayo.

Quatro anos mais tarde, muita coisa mudou.

A vitória de Miami de 106 a 92 contra o Philadelphia na segunda-feira na FTX Arena não foi apenas uma manifestação do quanto o Heat avançou em sua reconstrução, mas também do quão pouco tempo e espaço este grupo de Sixers tem para descobrir como se tornar um forte candidato ao campeonato.

Simmons está agora com o Brooklyn Nets, ainda lidando com as consequências das expectativas que vieram com o fato de ser um rosto da era do "Processo" dos Sixers.

Seu substituto, o MVP de 2018, James Harden, foi praticamente sufocado pela falta de espaço na segunda-feira enquanto tentava suprir a falta de Embiid, enquanto ele e seus companheiros de equipe erraram mais de 82% dos arremessos de 3 pontos (28 erros em 34 tentativas) que tentaram contra o Heat.

Muito será feito sobre a falta de impacto de Harden no Jogo 1. Ele terminou com 16 pontos acertando 5 de 13 tentativas, continuando sua série de ser mantido abaixo de 25 pontos por 11 jogos consecutivos, o período mais longo desde que se tornou titular no Oklahoma City Thunder no início de sua carreira.

Harden, de 32 anos, claramente tem tido dificuldades para superar defensores no Philadelphia, o que gerou dúvidas em toda a liga: Será que ele perdeu seu brilho? Sua lesão no tendão ainda é um problema? Será que ele pode recuperar sua explosão para justificar seu contrato máximo no valor de US$ 223 milhões?

Agora que Embiid está fora indefinidamente com uma concussão e fratura orbital sofrida no Jogo 6 da primeira fase dos playoffs que o Philadelphia venceu o Toronto Raptors, a pressão sobre essas questões girando em torno de Harden aumentaram.

Mas a exibição triste de segunda-feira à noite foi tanto uma uma prova sobre o estado lamentável em que os Sixers se encontram sem Embiid quanto sobre a capacidade atual de Harden, porque ele literalmente não tinha espaço para jogar.

Segundo os dados da ESPN Stats & Information, 12 das 13 tentativas de cestas de quadra de Harden foram contestadas. Ele também recebeu marcação dupla nove vezes.

Em média, o defensor mais próximo nas tentativas de arremesso de Harden estava a 1 metro de distância, de acordo com a Second Spectrum; foi a terceira menor distância de Harden em um jogo nesta temporada e a menor em um jogo de playoff para Harden em dois anos.

Se você acompanhou a carreira de Harden mesmo que só um pouco, você sabe porque isso é um problema: ele precisa de espaço para atuar. Ele mesmo pode criar esse espaço, mesmo sem a explosão que costumava ter, mas não quando a defesa não tem razão para respeitar o arremesso dos seus colegas de equipe.

"Acho que posso ser um pouco mais agressivo", disse Harden quando lhe perguntaram o que ele poderia melhorar a seguir. "Eles fizeram um trabalho realmente bom de apenas fechar o garrafão, usando seus corpos e pressionando a bola quando as janelas de arremesso apareciam.

"Mas eu acredito que a produção de arremessos é o que abre a quadra para toda a nossa equipe".

A forma exata como Harden fez essa avaliação foi tão importante quanto a ordem onde ele diagnosticou claramente o que deu errado para o Philadelphia no Jogo 1.

Primeiro, ele colocou parte da culpa em si mesmo. Em seguida, ele deu crédito à defesa do Heat. Depois ele disse a parte que realmente importa sem jogar nenhum de seus companheiros debaixo do ônibus.

Esse é o lado positivo para os Sixers: Para ter qualquer chance de voltar nesta série, eles precisarão que Harden mostre responsabilidade e liderança.

"É um jogo, mas as coisas podem mudar rapidamente", disse Harden, que estava tentando soar otimista a um vestiário relativamente jovem que foi obrigado a liderar com Embiid fora.

E existe algum otimismo que Embiid poderia voltar em algum momento desta série, mas isso se deve principalmente ao fato de ele ter se mostrado tão determinado a jogar apesar de lesões e dores nesta temporada.

Embiid estava em casa na Filadélfia ainda lidando com sintomas de concussão na segunda-feira, disseram fontes à ESPN. Para pensar em jogar novamente, ele terá que evoluir através dos protocolos de concussão da NBA e depois conseguir um bom relatório sobre uma fratura do osso orbital direito em sua consulta na quarta-feira, dia do Jogo 2 em Miami.

Se tudo der certo, fontes disseram que existe uma chance de Embiid jogar no Jogo 3 ou 4 na Filadélfia enquanto usa uma máscara protetora personalizada. Foi o que aconteceu em 2018, quando Embiid retornou no Jogo 3 do que acabou se tornando uma série de cinco jogos, vencendo o Heat e se declarou o Fantasma do Processo.

Mas embora as circunstâncias sejam semelhantes este ano, a sensação é totalmente diferente. Naquela época, os times pareciam mais equilibrados. Seus dois astros eram jovens e ainda estavam amadurecendo e juntos.

Agora existe uma sensação de urgência que Embiid está no seu auge e Harden está tentando manter o que resta do seu. Há também um fardo que não estava lá antes, por conta de tudo o que aconteceu ao longo do caminho.

Ainda há tempo para resolver os problemas. Existe espaço para ser criado. Mas agora muito menos.