<
>

Daniel Dias atinge marca especial no Parapan e faz homenagem a Clodoaldo Silva

O nadador Daniel Dias foi campeão no Parapan-Americano dos 50m borboleta da classe S5 na noite da última quinta-feira e ostenta, agora, o impressionante retrospecto de 100% de aproveitamento nas 32 apresentações nesta competição nos últimos 12 anos. Nenhum outro brasileiro conquistou tantas medalhas de ouro como ele – quatro angariados nos Jogos de Lima 2019, iniciados no sábado.

Ele ostenta o impressionante retrospecto de 100% de aproveitamento nas 32 apresentações nesta competição continental nos últimos 12 anos (Foto: Washington Alves/EXEMPLUS/CPB)

A quarta vitória de Daniel veio com tranquilidade, após ter concluído a prova em 36s31, mais de quatro segundos de diferença para o adversário mais próximo, o colombiano Miguel Narvaez. Nenhuma dessas conquistas individuais mencionadas teve vantagem inferior a quatro segundos. Ao sair da piscina, ele fez questão de homenagear Clodoaldo Silva, potiguar que encerrou a carreira nas piscinas nos Jogos Paralímpicos do Rio 2016.

“Nunca deixei de falar, porque eu sei da importância que é ser motivo de inspiração. Nunca vou negar a importância que o Clodoaldo teve para o movimento paralímpico e nem tampouco para mim, pessoalmente. Se eu não tivesse visto a ele nadando lá em 2004, talvez eu nem estivesse aqui e conquistando 32 medalhas de Parapans para o Brasil”, analisou.

Após seis dias de disputa, o Brasil soma 222 medalhas, sendo 88 de ouro. Só a natação foi responsável por 21 pódios apenas nesta quinta, com Daniel Dias, Phelipe Rodrigues, Maria Carolina Santiago (duas vezes), Wendell Belarmino, Lucas Mozela, Joana Neves, os irmãos Douglas e Thomaz Matera e o paulista Carlos Farrenberg garantiram os dez ouros do dia.

Sua última prova individual em Lima acontece nesta nesta sexta-feira, nos 200m livre na junção das classes funcionais S4/S5/S6, às 19h10 (de Brasília). As provas que ele já venceu no Parapan foram os 50m livre, 100m livre, 50m costas e revezamento 4x100m medley 34 pontos (soma da classificação funcional dos competidores), além dos 50m borboleta desta quinta.

Outros resultados

Além de Daniel Dias, o pernambucano Phelipe Rodrigues alcançou o quarto ouro em cinco provas, nos 100m borboleta (S10). Joana Neves, a Joaninha, chegou ao seu terceiro, nos 50m borboleta na junção das classes S4/S5/S6, em uma dobradinha, com Estephany Oliveira. Wendell Belarmino também tem três ouros, o desta quinta saiu nos 50m livre masculino da classe S11 (cegos), acompanhado da prata de Matheus Rheine. Belarmino acumula também uma prata, e ainda compete outras duas provas até o sábado, 31.

A pernambucana Maria Carolina Santiago e a paraense Lucilene da Silva Sousa subiram ao pódio juntas nas duas vezes em que nadaram nesta quinta. A primeira vez foi nos 400m livre da junção das classes S12/S13. Este resultado se repetiu cinco horas mais tarde, nos 50m livre. A atleta de Recife já tem três ouros. Na versão masculina dos 400m livre da junção das classes S12/S13, novo pódio duplo verde-amarelo. Douglas Matera foi o primeiro, e Guilherme Silva, o terceiro.

Regiane Nunes foi prata nos 50m livre (S11) assim como Gabriel Geraldo, nos 50m borboleta (S1/S2/S3). Talisson Glock foi prata nos 100m costas (S6). O dia da natação se encerrou com três brasileiros no pódio. Carlos Farrenberg foi ouro nos 50m livre (S13). A diferença para os compatriotas e companheiros de pódio foi centesimal. Enquanto que o campeão nadou para 24s96, Douglas Matera ficou 70 centésimos atrás, seguido de Guilherme Silva, 82 centésimos após.