<
>

Sexta-feira tem três quebras de recordes mundiais, Caleb Dressel voando e Fratus indo à final

play
Brasil no Pan: Massacre no handebol e vitórias no vôlei de praia; veja o resumo do dia 2 (1:16)

Boliche e Squash tiveram derrotas brasileiras, mas saldo do dia foi positivo (1:16)

Mais três recordes mundiais foram quebrados no Mundial de Esportes Aquáticos, disputado em Gwangju, na Coreia do Sul. No total, seis recordes foram superados na competição.

Caleb Dressel se firma cada vez mais como sucessor de Michael Phelps e quebrou a marca da lenda americana nos 100m borboleta que durava desde 2009, época em que os trajes tecnológicos ainda eram permitidos.

Na semifinal da prova, Dressel anotou o tempo de 49s50 superando os 49s82 de Phelps no Mundial de Roma. Agora apenas uma marca mundial de Michael Phelps ainda não foi superada, os 400m medley.

Em outra semifinal, 200m costas, a americana Regan Smith estraçalhou a marca da compatriota Missy Franklin que já durava 7 anos. Smith primeira mulher a nadar a prova abaixo dos 2min04s. Ela terminou a prova com 2min03s35 (o recorde mundial era de 02min04s06) e recebeu os parabéns da antiga recordista.

Detalhe: Regan Smith tem só 17 anos.

View this post on Instagram

Well dear friend, we had a great run. Seven years and I couldn't be more honored to have my 200 back World Record broken by @regansmith4, one of the sweetest and hardest working athletes I've ever known. Keeping this World Record with an American flag by it means everything, and I was truly blown away watching Regan swim a 2:03.3 (yes, I typed that right) and absolutely smash it. I've said it before, and I'll say it again. People will forget your times, they'll forget the color of your medals, but they will never, ever forget how you made them feel💕 I truly couldn't be happier seeing my World Record go to someone who I believe at the bottom of my heart is one of the greatest inspirations and kindest humans in the world. Congratulations my dear @regansmith4💕 Thank you. For sharing your gift with us. You're beyond a joy to watch.

A post shared by Missy Franklin (@missyfranklin88) on

Na decisão dos 200m peito masculino Anton Chupkov foi o grande destaque ao cravar o tempo de 2min06s12, superando a marca estabelecida ontem, nas semifinais, pelo australiano Matthew Wilson, que foi de 2min06s67, a mesma que alcançou o japonês Ippei Watanabe, há dois anos, em Tóquio.

Os dois antigo recordista, além de verem a marcar ser pulverizada em 55 centésimos, ainda foram obrigado a se contentar com as medalhas de prata e bronze, respectivamente. Wilson terminou em segundo, com 2min06s68, e Watanabe em terceiro, com 2min06s73.

Além de Chupkov, dois outros russos brilharam ao subir no topo do pódio.

Yulia Efimova levou a melhor nos 200m peito, ao cravar tempo de 2min20s17, e ficar a frente da sul-africana Tatjana Schoenmaker e da canadense Sydney Pickrem, prata e bronze, respectivamente.

Já nos 100m costas, foi a vez de Evgeny Rylov sair da piscina como vencedor, ao nadar em 1min53s40, desbancando o americano Ryan Murphy, que ficou na segunda posição, e o britânico Luke Greenbank, que acabou em terceiro.

Entre os brasileiros, o destaque do dia foi Bruno Fratus, avançou para a final dos 50m livre com o segundo melhor tempo, 21s53. Ele ficuo atrás apenas de Claeb Dressel que fez a prova em 21s18.

Marcelo Chierighini, por sua vez, nadou para 22s19 e ficou em 16º, o que o deixa fora da luta por medalhas.

Na final do revezamento 4x200m livre, o time formado por Luiz Altamir, Fernando Scheffer, João de Lucca e Breno Correia fez tempo de 7min07s64 e terminou na sétima posição. O ouro foi para a Austrália, a prata para a Rússia, e o bronze para os Estados Unidos. .