<
>

Brasil vai à final do 4×200 livre com recorde Sul-Americano

Resultado também garantiu vaga nas Olimpíadas (Foto: Satiro Sodré/SSPress/CBDA)

Nesta quinta-feira, o Brasil caiu na água na última eliminatória do 4×200 livre no Mundial de esportes aquáticos e só conseguiria avançar à final caso batesse o recorde sul-americano da categoria. E assim o fez.

Luiz Altamir, Fernando Scheffer, João de Lucca e Breno Correia cravaram o tempo de 7m07s12 para garantir a vaga na decisão. Além disso, o resultado carimbou também o passaporte brasileiro nas Olimpíadas de Tóquio em 2020.

“A primeira etapa foi concluída, todo mundo tem mais gás no tanque. Agora é focar na próxima etapa que é a final. Todo mundo está conectado e bem pra final”, disse João de Lucca ao SporTV.

Nos 50m livre, prova considerada a nobre da natação, Bruno Fratus e Marcelo Chierighini garantiram vaga na semifinal. Atual líder do ranking mundial, Fratus fez o quarto tempo geral das eliminatórias, com 21s71, ao passo que Chierighini avançou com o décimo tempo (22s03).

Nos 100m borboleta, Vinicius Lanza também se garantiu nas semifinais, com 51s83, o sexto melhor tempo. Já no 800m livre, a brasileira Viviane Jungblut cravou 8m42s52 e não conseguiu a vaga.