<
>

Ana Marcela Cunha busca vaga olímpica neste sábado

Ana Marcela Cunha busca mais uma vaga olímpica (Foto: Satiro Sodré/rededoesporte.gov.br

Líder do ranking após vencer três das quatro etapas do Circuito Mundial na temporada, a tetracampeã mundial Ana Marcela Cunha entra no mar neste sábado, às 20h (de Brasília), para seu maior e mais importante desafio do ano: os 10km da maratona aquática no Campeonato Mundial da Coreia do Sul. A prova acontece em Yoesu, a cerca de 86km de Gwangzu, e vale a vaga olímpica. Apenas as dez primeiras colocadas carimbam o passaporte para Tóquio 2020.

Ana Marcela é a maior medalhista da história em todos os esportes em Campeonatos Mundiais, tendo dez medalhas no currículo. Mas a baiana, de 27 anos, não esconde o foco em ampliar esta coleção e obter vaga para sua terceira participação nos Jogos Olímpicos. Ela esteve em Pequim 2008 e Rio 2016.

“Todo o planejamento desta temporada foi traçado com foco para o Mundial e está sendo executado 200%. Conseguimos alcançar tudo o que foi planejado, que era subir no pódio em todas as etapas do Circuito Mundial. Conquistamos o ouro em Doha (Catar), Setúbal (Portugal) e Balatonfüred (Hungria) e a prata em Seychelles. Certamente, isso dá confiança e mostra que estamos no caminho certo”, detalhou Ana Marcela, que elegeu a prova dos 10km como principal objetivo.

“É preciso manter o foco para garantir uma das dez vagas na seletiva olímpica e é claro que nossa meta continua sendo o pódio. Sem dúvida, a prioridade é a prova dos 10km as demais, (5km e 25km, nessa ordem) serão encaradas no momento adequado, passo a passo”, completa.

Ana Marcela e seu treinador Fernando Possenti viajaram para o Japão no dia 30 de junho para aclimatação. A dupla chegou na Coreia na última quarta-feira e esteve no local da competição. A temperatura da água gira em torno dos 22 graus e o mar está parado, sem ondas. As 64 atletas inscritas para a prova vão percorrer os 10km em seis voltas de 1.666 metros. Eleito melhor técnico do mundo pela Fina, Possenti prevê uma prova bem disputada.

“Será uma prova dura, com muita gente boa e bem preparada, todas as campeãs estão aqui. A nossa expectativa é não mudar o que vem sendo feito. Ou seja, repetir o que deu certo até aqui no sentido de estratégia, maneira de nadar e de como se posicionar durante o percurso. Se tudo isso for mantido, temos grandes chances de conseguir um bom resultado”, avaliou o técnico.