<
>

MotoGP: da maior inspiração ao bom início: uma conversa de Maverick Viñales com a ESPN Brasil

play
Maverick Viñales festeja oportunidade de correr ao lado do ídolo Valentino Rossi: 'Aprendi muito' (0:10)

O piloto da Yamaha Monster Energy contou que tem melhorado muito com a lenda da motovelocidade (0:10)

Maverick Viñales, da Yamaha, é mais um fruto da verdadeira paixão pelo motociclismo que há na Espanha, que abriga a MotoGP 2021 neste final de semana, com transmissão ao vivo do FOX Sports e cobertura total do ESPN.com.br - a corrida, a quarta da temporada, será domingo (2), às 9h (horário de Brasília), em Jerez de la Frontera.

Uma olhada no calendário, no grid e nos títulos recentes deixa esta relação de amor muito clara. Na atual jornada, a programação prevê quatro de suas 19 etapas em terras espanholas; são nada mais, nada menos que nove pilotos do país entre os 23 da competição (o alemão Stefan Bradl substituiu Marc Márquez, que ainda se recuperava de uma fratura, nas duas primeiras provas); e nos últimos oito anos, só deu espanhol campeão da categoria: Jorge Lorenzo (2012 e 2015), Marc Márquez (2013, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019) e Joan Mir (2020).

E Viñales, de 26 anos e vencedor do primeiro GP da temporada, no Catar, é um destes nove. Ele, terceiro colocado no Mundial com 41 pontos, atrás do italiano Francesco Bagnaia (46), da Ducati, e de seu parceiro de equipe, o francês Fabio Quartararo (61), deu entrevista exclusiva à ESPN Brasil, na qual, entre outras coisas, revelou quem são seus pilotos de inspiração, projetou o que espera neste ano e falou até da curiosa origem de seu nome.

O objetivo principal, claro, é ser campeão e manter o domínio incrível do país na modalidade: já são oito anos seguidos de títulos: Jorge Lorenzo (2012 e 2015), Marc Márquez (2013, 2014, 2016, 2017, 2018 e 2019) e Joan Mir (2020) - o último vencedor não espanhol, em 2011, foi o australiano Casey Stoner.

Leia na íntegra e assista a vídeos de trechos da entrevista abaixo:

Expectativa para temporada após 3 corridas

As sensações são boas. As duas primeiras corridas foram fantásticas. Sempre tendo a oportunidade de lutar por ganhar a corrida, que é o mais importante. Em Portimão, tivemos má sorte no qualifying porque se estivéssemos na primeira fila, nossa corrida teria sido muito diferente. Temos que ser conscientes que isso acontece e temos que estar tranquilos. E sobretudo sabemos que temos uma boa velocidade, que é o mais importante.

play
0:16

À ESPN Brasil, Maverick Viñales revela quem é a sua maior inspiração na MotoGP

O piloto da Yamaha Monster Energy citou Valentino Rossi, mas também lembrou de Daniel Pedrosa e Jorge Lorenzo

Vitória na 1ª etapa

No Catar demos muitas voltas e estivemos em um grande nível. De toda maneira, acredito que o mais importante foi que ninguém esperava esse domínio da Yamaha neste início de temporada. Mas temos que manter. Está claro que virão circuitos mais complicados para gente, mas estamos em um grande nível de forma neste ano e acredito que podemos ir muito bem.

Evolução desde que foi campeão de Moto3, em 2013

Sobretudo evoluí em certas características, que quando se é mais jovem não se tem, como a paciência e trabalhar um pouco mais. Coisas que quando é jovem talvez não preste tanta atenção, mas quando vai ficando mais velho e o nível é mais parecido, sempre tem que ser mais meticuloso e dedicar mais tempo. Então, aprendi a dedicar mais tempo, a ser mais disciplinado e principalmente a ter mais paciência e mais calma.

play
0:10

Maverick Viñales festeja oportunidade de correr ao lado do ídolo Valentino Rossi: 'Aprendi muito'

O piloto da Yamaha Monster Energy contou que tem melhorado muito com a lenda da motovelocidade

Início de temporada da Yamaha com 3 vitórias em 3 corridas

Muito bom. A verdade é que é um início muito bom. Estou muito contente pela Yamaha porque merece. Esteve muitos anos sofrendo. Como disse, estamos em um bom nível e temos que aproveitar principalmente nos circuitos em que realmente temos um grande potencial, como podem ser Jerez, Le Mans, Mugello… onde podemos ir muito bem. Esses são os circuitos para tentar fazer diferença. Depois certamente ganharemos alguns em que nos custará um pouco mais, mas acredito que nos circuitos que no ano passado nos custaram, neste ano vamos ser rápidos. E isso é o mais importante.

Diferença para as demais equipes

O que marca a diferença é a constância de poder ir sempre ao máximo. Acredito que isso faz muita diferença. Especialmente o qualifying é muito importante para a gente, como podem ver. Então, para a gente faz muita diferença fazer um bom qualifying.

GPs na Espanha

(É especial) principalmente por estar muito perto de casa. Não é necessário fazer grandes viagens de avião. Este ano é uma pena que não possamos ter torcida, mas a torcida espanhola é muito ativa. Você realmente sente o apoio de todos eles. E é isso que importa. Quando você corre em casa, a torcida é importante. Tem amigos e gente que vai te ver e isso é muito divertido. Te dá uma motivação extra para ir muito bem.

A paixão dos espanhóis pelo motociclismo

Acredito que é uma longa história, começando por Ángel Nieto. Sempre houve motociclismo na Espanha. Acredito que é um dos países que melhor faz o esporte de base do motociclismo. E como se pode ver agora na MotoGP, há muitos espanhóis. Então, acredito que é um país que apostou muito no motociclismo. E os torcedores sabem e vivem isso. É fantástico poder correr em Jerez, Montmeló, Aragón ou em Valencia. É incrível!

play
0:20

Maverick Viñales explica origem de nome em filme de Tom Cruise: 'Assisti pelo menos três ou quatro vezes'

O piloto da Yamaha Monster Energy é muito fã de "Top Gun - Ases Indomáveis"

A maior referência no motociclismo

Sempre foi Valentino. Valentino Rossi sempre foi minha referência desde que sou pequeno. Dani Pedrosa, Jorge Lorenzo… Há muitas pessoas que realmente inspiram os demais pilotos quando jovem. Mais ou menos essas foram minhas referências quando estava crescendo.

Como foi correr com Valentino Rossi?

Foi incrível. Foi um sentimento único e também uma oportunidade para melhorar e aprender. De todos esses anos com Valentino posso dizer que aprendi muito.

O que faz no tempo livre?

Adoro esportes, estou sempre praticando esportes. Gosto de andar de bicicleta, correr na montanha, também o mar. Minha vida se baseia muito… no fim, nesta vida com o campeonato mundial, também não há muito tempo. Quando não está correndo, está treinando. É um estilo de vida. Não há muito tempo livre, há pouco. Talvez um dia na semana. E esse dia aproveito para ir à praia ou estar tranquilo com meu pessoal.