<
>

UFC: Ngannou fala forte, cita 'cativeiro' e revela o 'que mais odeia' em relação com Dana White

play
UFC 270: Ngannou vence Gane na luta agarrada, mantém cinturão e segue à espera de Jon Jones (0:43)

O camaronês segue como campeão da categoria e dá ao rival francês a sua primeira derrota em 11 combates no MMA profissional. (0:43)

Camaronês vive imbróglio com Dana White por querer bolsas maiores por suas lutas


Francis Ngannou manteve o seu cinturão dos pesos pesados no UFC 270 no último sábado. Dessa forma, o camaronês ativou a cláusula de campeão e automaticamente renovou seu contrato com a organização por mais um ano. Porém, o seu imbróglio com Dana White está longe de ser resolvido.

Antes da luta Ngannou já havia dito que não entraria mais no octógono por bolsas de US$ 600 mil (R$ 3,2 milhões) como a que ganhou no sábado. A negociação por uma renovação vem se arrastando com Dana White, e a comprovação de que o clima entre as partes não era bom veio no momento do anúncio do vencedor da luta.

White não colocou o cinturão em Ngannou e sequer compareceu à entrevista coletiva como sempre faz em grandes eventos.

"Você pode ser livre e lutar pelo UFC, só quero ser livre. Nós somos contratados independentes, tecnicamente somos livres. E é por isso que precisa de ajustes no contrato, por isso que tenho lutado", disse Ngannou, ao programa "MMA Hour".

"Os termos do contrato, tudo que eles colocam lá. Eles te prendem num cativeiro, você não pode fazer nada, não tem direitos, é um contrato de um lado só. Você não tem nem seguro de saúde enquanto está fazendo isso, arriscando tudo, colocando seu corpo em jogo. Não tem nada, o que eu entendo como contratado independente, mas me trate como tal. Deixe isso claro no contrato, está muito confuso", afirmou o campeão.

"Essa é a coisa que eu mais odiei de tudo isso, como eles cortam o seu poder para te destruir. Eu não aceito esse tipo de coisa".