<
>

Dominick Cruz questiona aposentadoria precoce de atletas invictos do UFC: 'Não podem se esquivar'

Dominick Cruz relembra carreira e diz como lesões o tornaram um lutador melhor


Veterano do MMA, Dominick Cruz já viveu de tudo um pouco no esporte. O americano conheceu a glória de ser campeão do peso-galo (61 kg) durante anos, mas conviveu com constantes lesões por um longo período. Agora, o ex-campeão da categoria do UFC, que atua como lutador e comentarista, opinou sobre os atletas que só conhecem o lado bom da história e decidem se aposentar da modalidade sem passar por qualquer tipo de sofrimento.

Em entrevista ao site ‘MMA Fighting’, Cruz relembrou dos momentos de angústia que atravessou em sua trajetória, porém garantiu que passar por essa experiência o fortaleceu em âmbito pessoal e profissional. Vale lembrar que, em duas oportunidades, o americano sofreu graves lesões nos joelhos, que o fizeram perder anos de carreira. Na primeira delas, ‘The Dominator’ ficou afastado no período entre 2011 e 2014 e, na segunda, de 2016 até 2020. Mesmo aos 36 anos, idade avançada para praticar esportes de combate, o veterano segue ativo.

É bem verdade que Cruz não apresenta o desempenho e resultados de outrora no octógono, porém, ao menos, é competitivo. De qualquer forma, o veterano garantiu que não se arrepende das decisões que tomou em sua carreira. Pelo contrário, ‘The Dominator’ contou que ficaria arrependido em se aposentar na primeira grave lesão que teve. Sendo assim, o ex-campeão do UFC não perdoou os atletas que saem de cena invictos, como Khabib Nurmagomedov. O motivo é simples, pois, de acordo com o americano, a derrota é necessária para o processo de amadurecimento e evolução de qualquer lutador profissional.

“Todos me abandonaram, nada dava certo, eu estava deprimido. Tive que encontrar uma maneira de fazer a diferença para sair do meu próprio caminho. Vejo este esporte de um estado de espírito completamente diferente hoje em dia, porque tive que reescrever minhas crenças conforme ganhei e perdi. Essa é uma das razões pelas quais estou aqui. Nunca senti tanta perda em dois anos da minha vida. Para voltar e vencer novamente depois de sentir aquela derrota, não há compreensão de si mesmo assim. Qualquer atleta que deixou o esporte invicto, eu questiono. Você está realmente invicto ou não se desafiou o máximo que poderia? E se você fez isso, como seria do outro lado?”, declarou o ex-campeão do UFC, antes de completar.

“Eu entendo, você está invicto, mas está invicto ou poderia apenas ter pressionado um pouco mais para chegar ao próximo nível e obter aquela perda? Então volte, se recupere da perda com uma vitória e veja qual é o seu próximo nível, sua próxima evolução na vida. Não se trata apenas de ganhar, perder e ser perfeito. Nada na vida é isso. Você não pode evitar a derrota, você não pode evitar a dor, você não pode se esquivar de nada disso. Então, qual é o ponto? Você pode muito bem ir direto ao ponto. A questão é: quando acontecer, o que você vai fazer? Você vai simplesmente desistir, dizer que está aposentado e desistir ou vai voltar a montar o cavalo e ver o que mais você pode fazer? Tive a sorte de ter essa experiência e ainda estou nessa jornada. Veremos o que vem a seguir”, concluiu.

Dominick Cruz, de 36 anos, estreou no esporte em 2005, disputou 26 lutas, venceu 23 e perdeu três vezes. Apesar do impressionante registro, o veterano ficou afastado durante boa parte de sua carreira por conta das constantes lesões. Mesmo assim, o ex-campeão do peso-galo do UFC é apontado por parte da comunidade do MMA como o melhor lutador da história da categoria. Atualmente, ‘The Dominator’ se encontra em décimo lugar no ranking da divisão e possui vitórias marcantes sobre Brian Bowles, Casey Kenney, Demetrious Johnson, Ian McCall, Joseph Benavidez (duas vezes), TJ Dillashaw e Urijah Faber (duas vezes).