<
>

UFC: Poirier critica postura de McGregor após derrota e dispara: 'Fraco mentalmente'

play
Chael Sonnen deixa rivalidade de lado e manda 'conselho de aniversário' para Jon Jones (0:59)

Americanos protagonizaram uma das maiores rivalidades da história do UFC (0:59)

Dustin Poirier é um homem feliz. Além de concluir a trilogia com Conor McGregor em vantagem, já que derrotou o rival pela segunda vez no UFC 264, evento realizado em julho, em Las Vegas (EUA), The Diamond também encheu o cofre.

Agora, o americano passou a liderar a corrida para ser o próximo desafiante ao título do peso-leve (70 kg) da organização e analisou o mais recente e importante triunfo da carreira.

Em entrevista ao canal THE FIGHT with Teddy Atlas no YouTube, Poirier minimizou o comportamento de parte dos fãs de MMA, que aponta que a luta deveria se tornar ‘no contest’ por conta da lesão no tornozelo de McGregor, que o impediu de permanecer no duelo.

Ainda no octógono, o astro irlandês não se conformou e desafiou The Diamond para um quarto embate que, prontamente, interessou Dana White, líder do UFC.

Apesar de não descartar a possibilidade de medir forças com Notorious pela quarta vez, o foco de Poirier passou a ser a chance de disputar o título do peso-leve com Charles Oliveira.

Mas, ao tomar conhecimento de que McGregor e sua equipe revelaram que o mesmo atuou lesionado na trilogia, o americano classificou tal reação como desculpa de perdedor e lembrou que tal atitude também foi vista na revanche entre eles, realizada em janeiro, em Abu Dhabi (EAU). De acordo com o ex-campeão interino da categoria, o irlandês deixou de ser o lutador intocável e temido de outrora.

"Mentalmente, sinto que McGregor está fraco. É uma desculpa, mas estou tentando não ler e ver muito sobre isso e o que as pessoas estão dizendo. Voltei para a casa com a minha família. É uma vitória no meu cartel. Eu sei que fiz e o que precisava fazer no camp, no pré-luta e na luta. Verifiquei tudo que eu precisava, lutei e dei tudo de mim. As pessoas podem dizer o que quiserem. Saí saudável, seguro, vitorioso e ainda sou o candidato número um. Esses são os fatos. Houve desculpas na anterior também. Ele estava se preparando para lutar boxe com Manny Pacquiao, não estava focado no MMA. São muitas desculpas. Esse cara irá longe”, declarou The Diamond, antes de completar.

"Não há limites para o trash talk dele e para o hype que gera. Fiquei surpreso que, mesmo com a perna quebrada, ele ainda estava sentado falando, mas não fiquei surpreso com o que falou, porque ele se fez de maluco a semana toda. Ele é um artista marcial incrível, que deixa as pessoas interessadas por qualquer coisa que faça. Ele é um dos melhores promotores. Eu nunca vi um atleta promovendo a próxima luta sentado, segurando a perna quebrada. Foi uma loucura. Normalmente, você vê um vislumbre de pessoa normal quando a buzina toca ou em uma lesão como essa, mas não havia nenhum lá. Foi o personagem. Talvez, seja ele. Não o conheço pessoalmente”, concluiu.

Dustin Poirier, de 31 anos e ex-campeão interino do peso-leve do UFC, é um dos lutadores mais condecorados na história da categoria. No MMA desde 2009 e no UFC dois anos depois, The Diamond superou nomes importantes como Anthony Pettis, Conor McGregor (duas vezes), Dan Hooker, Eddie Alvarez, Jim Miller, Justin Gaethje e Max Holloway (duas vezes).

Atualmente, o atleta ocupa a primeira posição no ranking da divisão e possui um cartel composto por 28 vitórias, sendo 21 pela via rápida, seis derrotas e um ‘no contest’.