<
>

'Temido' por Canelo, problemas com drogas e doping: conheça o polêmico filho de lenda que vai lutar boxe com Anderson Silva

Neste próximo sábado (19) o ex-campeão do peso-médio do UFC Anderson Silva terá um desafio diferente pela frente. Em Guadalajara, no México, o brasileiro se aventura no boxe e enfrenta o mexicano Julio César Chávez Jr. O combate também marca o retorno de Spider à ativa após o seu adeus ao Ultimate, em outubro de 2020, depois de derrota para o jamaicano Uriah Hall.

E quem pensa que o desafiante de Anderson "caiu de paraquedas" para esta luta está muito enganado. Apesar de estar longe dos ringues também desde o ano passado, Chávez Jr., de 35 anos, tem uma trajetória vitoriosa no boxe. Além de ser filho da lenda Julio César Chávez, campeão mundial em três diferentes categorias e que manteve uma incrível invencibilidade de 90 lutas consecutivas no boxe até 1994.

Chávez Jr. manteve o título de campeão do peso-médio da WBC (Conselho Mundial de Boxe) entre 2011 e 2012 e tem um cartel invejável na modalidade. De 2003 até os dias de hoje, são 52 vitórias - 34 por nocaute - e apenas cinco derrotas.

No seu cartel, ainda estão lutadores de nome como o seu compatriota Canelo Álvarez, que enfrentou em 2017. Apesar da derrota por decisão unânime, Chávez nunca escondeu que o rival tem "medo" dele e que sonha com uma revanche.

"Tenho 57 lutas em que provei que posso lutar, o dia que não conseguir mais o ringue me dirá. Quero enfrentar os melhores rivais, incluindo Canelo, que sempre teve medo de mim", declarou Chávez Jr. em entrevista à EFE, em 2020.

Se nos ringues o mexicano impõe respeito, fora deles a situação é um pouco diferente. Ao longo da sua carreira, Chávez Jr. protagonizou muitas polêmicas, entre elas o fato de ter testado positivo duas vezes para substâncias consideradas ilícitas no doping, e que de alguma forma impediram que ele se mantivesse por muito tempo como campeão invicto no boxe.

A primeira delas aconteceu em 2009, antes de ser campeão mundial pela primeira vez, quando foi suspenso por nove meses por conta o uso da substância Furosemida, diurético utilizado para ajudar no corte de peso ou esconder o uso de anabolizantes. Depois, em 2013, foi suspenso após testar positivo para maconha.

As drogas, por sua vez, foram um outro capítulo da sua polêmica trajetória. Chávez Jr. já falou abertamente sobre o seu vício em álcool e cocaína, que inclusive o fizeram ser internado numa clínica de reabilitação. O mexicano já admitiu que este é o seu maior arrependimento na carreira.

"A única coisa que me arrependo foi ter caído no vício e perdido o foco. Quero estar bem, fazer as coisas bem, para aproveitá-las, mas não é possível ser feliz o tempo todo", disse.

Por último, agora já dentro dos ringues, Chávez Jr. também já foi vaiado algumas vezes pelo público. Uma delas em 2012, quando era o atual campeão dos médios e tinha defendido o seu cinturão três vezes seguidas com sucesso. Na ocasião, ele praticamente não apareceu na academia para treinar e acabou derrotado pelo argentino Sergio Martínez por decisão unânime.

O mexicano vem de vitória contra o colombiano Jeyson Minda, em novembro de 2020, também no México, e tenta aumentar a sua sequência de triunfos no boxe contra Anderson Silva, que já chegou a lutar na nobre arte, mas é muito mais reconhecido pelo seu desempenho no MMA.