<
>

Aliviado com troca de resultado, Werdum sugere uso de árbitro de vídeo no MMA

play
Cormier e Helwani se impressionam com festa para Ngannou no Camarões e dão novidades sobre próximo adversário do campeão (0:44)

Lutador camaronês foi recebido com muita vibração e até desfile no seu país de origem (0:44)

Aliviado e com o sentimento de que a justiça foi feita. Esse é Fabrício Werdum após saber que a Comissão Atlética de Nova Jérsei reverteu sua polêmica derrota para Renan ‘Problema’ para um ‘No Contest’ (luta sem resultado), em sua estreia no PFL, em duelo realizado na última quinta-feira (6). Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, o ex-campeão dos pesados do UFC destacou o bom senso da entidade ao anular seu revés.

Werdum subiu ao cage do PFL com a expectativa alta por ser a principal estrela da organização na divisão e com o favoritismo no torneio dos pesados. Durante o duelo, o brasileiro mostrou o motivo de ser um dos grandes nomes da arte suave no MMA e logo encaixou um triângulo no rival.

Após sentir o adversário fazer um gesto com a mão espalmada que, supostamente, remeteria à sua desistência, o gaúcho viu a disputa não ser interrompida pelo árbitro e terminar com a sua derrota, após sofrer duros golpes.

“A sensação foi de alívio. Foi um alívio muito bom por ter treinado bastante, me dedicado ao máximo durante quase três meses em Los Angeles (EUA), na equipe Kings MMA, longe da família para ter um resultado como esse? Não era o que eu estava procurando, como todo mundo viu".

play
0:19

Jon Jones aparece com 113 kg correndo a 32 km/h e mostra condicionamento físico assustador; veja

Lenda do UFC está se preparando para uma possível luta de título no peso pesado

"Queria os seis pontos e deu certo até um ponto que aconteceu o que aconteceu. Até o Renan bater estava certa a nossa estratégia e era aquilo que queríamos fazer. Peguei no triângulo e estava no automático. Com 43 anos todo mundo viu que tenho condições de lutar contra qualquer um”, desabafou, antes de completar.

“Eu já fiquei feliz por eles terem colocado um ‘No Contest’, pelo fato de como foi a luta. Óbvio que queria que me dessem os seis pontos, pois foi o que aconteceu, mas do jeito que está fiquei bem feliz. Os fãs acharam injusto, dizendo que os seis pontos teriam que ser meus, a vitória teria que ser minha”, completou o faixa-preta de jiu-jitsu.

Embora tenha passado por um episódio delicado, Werdum tirou lições importantes do acontecido e espera que ele sirva para a evolução do esporte. De acordo com o lutador, o MMA precisa iniciar o uso de uma espécie de árbitro de vídeo, como acontece no futebol, basquete e tênis, por exemplo, para a diminuição de erros crassos.

“Tenho certeza que vai ajudar em algumas coisas que acontecem no MMA, como no futebol tem esse VAR para poder ver o que está acontecendo realmente, ver o replay e decidirem, não no achismo. Dá para ver na imagem. Coloca quatro pessoas para ver a imagem e funciona assim. Em vários esportes está acontecendo isso e funciona. Isso vai ajudar muito o esporte. Não queria que tivesse acontecido comigo, mas foi assim. Não tem mais volta e vai ficar para a história. Foi boa para o esporte”, analisou.

Fabrício Werdum possui feitos importantes no MMA e é considerado por parte dos fãs como um dos melhores pesos-pesados de todos os tempos. ‘Vai Cavalo’ foi o único atleta a finalizar Cain Velasquez, Fedor Emelianenko e Rodrigo ‘Minotauro’.

O brasileiro, que iniciou sua trajetória no esporte em 2002 e integrou organizações importantes da modalidade como Pride FC, Strikeforce e UFC, disputou 34 lutas, venceu 24, sendo 12 por finalização, perdeu nove, empatou uma vez e tem um ‘No Contest’.