<
>

Anderson Silva pede que youtubers 'respeitem' o boxe, mas não descarta encarar Jake Paul

play
Cormier explica discussão com Jake Paul e diz: 'Eu queria agarrar a cara dele, mas eu teria problemas com o UFC' (3:07)

Dupla tem se estranhado desde a semana anterior e treta ficou quente durante o UFC 261 (3:07)

Apontado como um dos maiores nomes de todos os tempos do MMA, Anderson Silva decidiu voltar às origens em uma nova etapa da sua carreira.

Depois de se desligar do UFC no final de 2020, o "Spider" agora vai voltar a lutar boxe, quando no dia 19 de junho enfrenta o ex-campeão mundial Julio Cesar Chavez Jr., em um duelo que acontece no México, no evento "Tribute to the Kings".

Em fase de treinamento para a superluta, o veterano se mostrou incomodado com uma nova tendência na modalidade.

Nos últimos meses, youtubers passaram a se aventurar em duelos de boxe de olho em bolsas milionárias. Essa tendência virou uma febre, impulsionada principalmente pelo sucesso de Jake Paul, que recentemente nocauteou Ben Askren, ex-atleta do UFC.

Tal "moda" chamou a atenção de "Spider". O brasileiro, em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, relembrou sua ligação com o esporte e pediu por "respeito".

"Vemos muitos youtubers desrespeitando um esporte antigo, tradicional. Atletas demoram anos para conquistar seu espaço e fizeram história para tornar o que esse esporte é hoje", afirmou.

"Comecei a treinar boxe no Corinthians, há muitos anos. Fui para fazer um teste de futebol, cheguei atrasado e estava rolando um treino de boxe. Fui lá assistir a aula e o professor Vitor Ribeiro me perguntou se eu treinava alguma coisa, me deu o equipamento e mandou treinar. Comecei a treinar, depois participei dos Jogos Abertos em Bragança Paulista. Tem uma história e referência por trás. Além de ir lá e lutar, me testar, é tar o boxe. É o mais importante", acrescentou o ex-campeão do UFC.

Com a intenção de dar sequência à sua carreira na modalide após enfrentar Julio Cesar Chavez Jr., Anderson Silva analisou a possibilidade de encarar alguma dessas celebridades dentro de um ringue.

Apesar de abrir as portas para o cenário, o brasileiro voltou a alfinetar personalidades que usam a nobre arte como trampolim para ficarem mais famosos.

"Tudo é possível, mas antes de mais nada todos os esportes têm seus ídolos e foram criados com pessoas que deram parte do seu tempo, da sua paixão e amor para tornar um esporte valorizado e reconhecido. O boxe tem milhões de lutadores que fizeram história, morreram praticando esse esporte. Não acho que qualquer lutador que lutou MMA, como eu, ou algum cara que não lutou nada e começou a treinar, ache que pode entrar no esporte e fazer algumas coisas", salientou.

"Tudo tem que ter um respeito. Tem uma tradição. Tem que respeitaram pelos os que estão lá. Assim que eu penso", concluiu.

play
3:07

Cormier explica discussão com Jake Paul e diz: 'Eu queria agarrar a cara dele, mas eu teria problemas com o UFC'

Dupla tem se estranhado desde a semana anterior e treta ficou quente durante o UFC 261

Após mais de 23 anos de carreira no MMA profissional, Anderson Silva se despediu da modalidade com um cartel de 34 vitórias, 11 derrotas e um no contest (luta sem resultado).

De 2006 a 2013 o brasileiro foi soberano no peso-médio do UFC, com 10 defesas de cinturão seguidas.

Em sua última apresentação, "Spider" foi superado por Uriah Hall, em outubro de 2020, em duelo que marcou a sua despedida do octógono.