<
>

Bellator: Patrício Pitbull abre o jogo e diz que cogita abrir mão do cinturão do peso-leve: 'Meu objetivo é outro'

play
O homem, a lenda: os 10 momentos que tornaram Conor McGregor um lutador simplesmente sem precedentes (2:05)

Do nocaute inacreditável em Aldo aos memoráveis duelos contra Khabib e McGregor, relembre os grandes momentos do irlandês (2:05)

No início do mês de abril, Patrício Pitbull deu mais um passo para conquistar o GP do peso-pena (66 kg) do Bellator. O brasileiro finalizou Emmanuel Sanchez, na semifinal do torneio, e agora encara AJ McKee na decisão para manter seu reinado na categoria. Soberano na divisão, o potiguar também é campeão do peso-leve (70 kg), mas no que depender do lutador, seu foco pode ficar em apenas uma classe de peso.

Em entrevista exclusiva à reportagem da "Ag. Fight", Patrício afirmou que não tem a motivação de outrora para permanecer nos pesos-leves e, inclusive, adiantou que poderia abrir de mão do título. No entanto, o brasileiro revelou uma condição para realizar abdicar do posto – desde 2019, quando conquistou a coroa da categoria ao derrotar Michael Chandler, o potiguar não fez uma defesa de cinturão.

“Já era para eu ter defendido esse título. O GP (dos penas) já era para ter terminado, mas teve a pandemia e tivemos mais de um ano de atraso nos eventos. Entendo o momento da organização, mas, se for o caso, eu abro mão do cinturão do peso-leve. Todo mundo sabe que esse cinturão veio para as minhas mãos através de uma vingança com o Michael Chandler e para mim ele não é um objetivo. Meu objetivo é o peso-pena”, ressaltou, antes de revelar o que precisaria acontecer para que o título ficasse vago.

“Dependendo do que a organização decidir, quem passar para a próxima disputa, se meu irmão (Patricky) não tiver, eu não entregaria, porque entendo que ele é o lutador com mais vitórias seguidas, então merece. Às vezes a organização tem um queridinho e passa ele na frente. No caso do meu irmão, temos um motivo. Ele tem cinco vitórias seguidas e ninguém na divisão tem esse número. Eu abriria mão do título só se meu irmão estivesse na disputa”, completou o atleta.

A ida de Patrício para o peso-leve teve uma motivação extra: Michael Chandler. Depois de resolver as diferenças com o desafeto americano dentro do cage, Pitbull explicou que não vê nenhum adversário atual na categoria que o motive a seguir nela.

“Meu foco é realizar desafios. Onde tiver, eu encaro, mas não vejo muito sentido em ficar no peso-leve. Não vejo ninguém que queria enfrentar, de querer fazer história batendo em fulano. Então acho que é passar a bola e deixar a categoria destravar”, explicou.

Patrício Pitbull é um nome histórico do Bellator e também é considerado por parte dos fãs e da imprensa especializada um dos lutadores mais temidos fora do UFC. O brasileiro atua pela organização desde 2010 e é o atual dono do cinturão do peso-pena e do peso-leve. Os maiores triunfos do número um da organização no MMA foram diante de Daniel Straus (três vezes), Michael Chandler, Juan Archuleta e Pat Curran.