<
>

Ex-campeã aposta em vitória de Amanda Nunes no UFC 259, mas alerta para possível zebra

play
Belfort cobra Wanderlei Silva por revanche: 'Ele tem que assinar o contrato' (1:03)

Luta entre os dois brasileiros teve nocaute espetacular de Belfort em 1998 (1:03)

Campeã indiscutível das categorias peso-galo (61 kg) e peso-pena (66 kg) do Ultimate, Amanda Nunes coloca novamente o cinturão até 66 kg em jogo no próximo dia 6 de março, pelo co-main event do UFC 259, em Las Vegas (EUA). Diante da australiana Megan Anderson, a ‘Leoa’ entra mais uma vez com enorme favoritismo no combate, expectativa compartilhada inclusive por suas principais rivais na liga, como Holly Holm.

Com a experiência de quem já mediu forças com ambas as lutadoras, Holm – em entrevista ao site ‘MMA Junkie’ – demonstrou confiança na vitória da brasileira sobre a desafiante, mas fez um alerta. Na visão da americana, a maior envergadura de Megan Anderson, que mede cerca de 1.83 m, dez centímetros a mais que a ‘Leoa’, pode trazer problemas para a campeã durante o confronto.

Mesmo assim, a veterana reforçou sua aposta em mais um triunfo por parte da baiana, ainda que tenha destacado que, pelo contexto do esporte, surpresas podem acontecer. Holm fala sobre o assunto com conhecimento de causa, tendo em vista que a própria foi responsável por uma das zebras mais marcantes da história do MMA feminino, quando nocauteou a então invicta campeã Ronda Rousey, em 2015, conquistando o cinturão peso-galo do UFC.

“Eu realmente sinto que Amanda vai ganhar essa luta, mas eu sou sempre aquela pessoa que acha que todo mundo tem uma chance. Eu não acredito que Amanda já enfrentou alguém tão alta como Megan – Megan é muito, muito alta. Ela é a pessoa mais alta com quem eu já lutei. Mas, até para mim, sendo do meu tamanho contra Megan, eu ainda me senti forte no clich. Eu ainda senti coisas desse tipo. Megan melhorou desde que eu a enfrentei também, então você nunca sabe o que vai ver. Mas eu sinto que Amanda vai vencer a luta”, ponderou Holm, antes de continuar.

“Estou empolgada para assistir a luta. Eu acho que, se Megan vencer, eu não quero dizer que vai ser com um golpe de sorte, porque quando você treina nesse nível eu não acho que exista sorte, mas eu não a vejo dominando Amanda em qualquer situação ou a vencendo em muitas dessas áreas. Mas eu não estou dizendo que não existe chance. Sempre existe uma chance de alguém vencer, sempre. Eu não me importo quem você seja”, afirmou.

Em sua curta passagem pelo peso-pena, Holly Holm derrotou Megan Anderson na decisão unânime dos juízes, em junho de 2018, pelo card do UFC 225. Pouco mais de um ano depois, a americana acabou nocauteada por Amanda Nunes, já de volta ao peso-galo, em disputa pelo cinturão da categoria. Atualmente, a veterana – segunda colocada no ranking da divisão até 61 kg – está escalada para encarar Julianna Peña no evento do dia 8 de maio, de olho em ampliar sua sequência de vitórias para três e se aproximar definitivamente de uma revanche contra a campeã.