<
>

TJ Dillashaw admite interesse em revanche contra Cejudo e provoca: 'Ele deu sorte'

play
Brasileiros fazendo história, lendas se aposentando e muito mais: os grandes momentos do UFC em 2020 (2:43)

Movimentado ano ainda teve a criação da Ilha da Luta e muita provocação (2:43)

Após cumprir dois anos de suspensão por ter sido flagrado no exame antidoping em janeiro de 2019, TJ Dillashaw já está apto a retornar ao octógono do UFC. Enquanto ainda não tem seu próximo compromisso definido pela organização, o ex-campeão peso-galo (61 kg) especula sobre suas opções e admite que um de seus alvos é um velho conhecido.

Ao podcast ‘Real Quick with Mike Swick’, Dillashaw admitiu interesse em enfrentar novamente Henry Cejudo, seu algoz na última luta disputada antes da suspensão por doping, em 2019. Derrotado pelo ex-bicampeão do UFC na ocasião, o americano justificou seu desejo pela revanche pelo fato de acreditar ser um lutador melhor do que o rival e, portanto, com condições de igualar o placar em um novo encontro entre os dois.

Sem perder a oportunidade, TJ ainda provocou o algoz, afirmando que o mesmo contou com o fator sorte para ser bem-sucedido em sua carreira. Vale lembrar que Cejudo anunciou sua aposentadoria em maio do ano passado, mas todos os indícios levam a crer que aceitaria retornar ao octógono do UFC caso receba uma proposta financeira vantajosa por parte da entidade.

“Eu ainda não pensei sobre uma lista de alvos exatamente, mas sim, ele (Henry Cejudo) está nela. Só de você falar o nome dele é tipo: ‘Oh Deus’. O rei da vergonha alheia fez um bom trabalho sendo estranho. É uma dessas lutas que eu era muito melhor antes da luta, sem tirar o mérito dele. Eu acho que ele é um atleta incrível por ganhar a medalha de ouro na Olimpíada. Eu dou mais crédito para ele por ser um medalhista de ouro olímpico do que por ganhar um título do UFC e isso é algo significativo porque eu lutei wrestling minha vida toda, isso é bem espetacular”, declarou TJ, antes de completar.

“Mas eu sou um lutador muito melhor do que ele, mais completo. A forma como a carreira dele deu certo e o jeito como ele se retirou foi tipo, ele deu sorte. Então, essa é uma luta que eu quero fazer novamente porque eu não acho que ele é tão bom quanto ele acha que é, então com certeza ele está na minha lista de alvos. Primeiro de tudo, a lista de alvos para mim é só recuperar meu cinturão. Independentemente do caminho que eu tenha que percorrer para chegar lá, se for lutando com todos os caras no top-5 primeiro, se for lutar direto pelo cinturão, e depois tendo a certeza que vou defendê-lo e passar uma mensagem”, concluiu.

À época campeão dos galos, TJ Dillashaw encarou Henry Cejudo em janeiro de 2019, com o cinturão peso-mosca em jogo, sendo derrotado por nocaute técnico após pouco mais de 30 segundos de luta.

O americano foi flagrado no exame antidoping tanto antes quanto depois do combate, sendo suspenso pela USADA (agência americana antidoping) por dois anos e, posteriormente, abdicando de seu cinturão até 61 kg.

Após defender com sucesso o cinturão dos moscas diante de Dillashaw, Cejudo entrou para o seleto grupo de atletas campeões em duas categorias de peso diferentes simultaneamente no UFC, ao conquistar o título dos galos na sequência, em duelo contra o brasileiro Marlon Moraes.

Já depois de abdicar da cinta até 57 kg, ‘Triple C’ manteve a soberania da divisão dos galos com uma vitória sobre Dominick Cruz, em maio do ano passado, anunciando sua aposentadoria logo em seguida.