<
>

Holyfield dá sinal positivo para revanche com Tyson, se diz pronto e prevê cifras astronômicas: 'Será a maior luta que existe'

play
Demian Maia comenta sobre pedido de revanche e a despedida de Anderson Silva: 'Triste, mas não é culpa de ninguém' (1:52)

Brasileiro revela que imaginou fazer mais uma luta contra o Spider (1:52)

Se em novembro de 2020 Mike Tyson retornou aos ringues para enfrentar Roy Jones Jr., o veterano pugilista norte-americano pode ter um novo encontro marcado neste ano. Em entrevista ao jornal britânico The Sun, Evander Holyfield se mostrou mais do que aberto a um novo embate com o eterno rival no boxe.

Aos 58 anos, o compatriota de Tyson deixou claro que as conversas já estão em andamento para que uma nova luta entre os dois aconteça. Enquanto não há uma confirmação oficial, Holyfield segue treinando para a iminente revanche.

"O que posso dizer é que minha equipe está conversando com o agente do Mike, então estou esperando uma decisão. Eles estão se comunicando agora. Estou treinando para isso, sei que um dia esse negócio vai acontecer, e estou pronto. Estou bem", começou por dizer Holyfield.

O norte-americano também deixou claro que, se acontecer, a luta terá cifras astronômicas. Na sua visão, renderá, no mínimo, 200 milhões de dólares, cifra que ultrapassa o R$ 1 bilhão.

"Acredito que se eu lutar contra o Mike a luta vai render US$ 200 milhões. Será a maior luta que existe", finalizou.

Tyson, que voltou aos ringues aos 54 anos para encarar Roy Jones Jr., já enfrentou Holyfield em duas ocasiões até aqui. A primeira em 1996, que terminou com derrota de Mike Tyson, que no ano seguinte, no segundo embate, acabou desclassificado da luta após morder a orelha do rival.

Depois de largar a aposentadoria, que já durava 15 anos, Tyson encarou Roy Jones Jr, de 51, mas a luta de exibição terminou empatada. Com isso, o norte-americano deixou claro que pretende enfrentar novos adversários.