<
>

UFC: Anthony Smith revela arrependimento por luta com Glover e cita problema familiar

Anthony Smith busca reencontrar o caminho das vitórias no próximo sábado (28), quando encara Devin Clark na co-luta principal do UFC Las Vegas 15, válida pela categoria meio-pesado (93 kg). O ex-desafiante ao cinturão se apresentou duas vezes nesse ano e em ambas as situações foi derrotado, diante de Glover Teixeira e Aleksandar Rakic, acumulando, pela primeira vez desde que estreou no Ultimate, uma sequência de reveses. De acordo com o americano, ele poderia ter evitado os resultados negativos se tivesse reconhecido que não era a melhor situação para lutar e apoiado a sua família, que vivia um momento conturbado.

Em abril deste ano, Anthony Smith teve a casa invadida por um ladrão durante a madrugada e, apesar de ninguém ter se ferido, sua família ficou abalada com a situação. Pouco mais de um mês depois, o atleta enfrentou Glover Teixeira no UFC Fight Night 171, quando foi amplamente dominado, chegando a perder dois dentes na disputa. Em entrevista no media day virtual do evento, o americano revelou que se arrepende de ter lutado contra o brasileiro, afirmando que deveria ter dado suporte à sua família.

“Esse não está sendo o ano mais fácil para mim… E talvez uma parte disso seja minha culpa. Talvez se eu tivesse sido mais homem, eu teria a coragem de recusar alguns desses confrontos e saber que não era a melhor situação para eu lutar. Mas eu não sou assim, eu não falo que eu não consigo fazer alguma coisa”, destacou o lutador, antes de comentar sobre a luta contra o brasileiro.

“Lutar com o Glover logo depois de ter a minha casa invadida, durante uma pandemia, a minha família estava estava um caos… Talvez eu teria sido mais homem se eu falasse: ‘Eu estou tendo problemas sérios em casa, não posso fazer isso agora’. Mas isso significa que eu teria que falar isso em voz alta e eu não consigo”, finalizou.

No MMA profissional desde 2008, Anthony Smith acumula 33 vitórias e 16 derrotas na carreira. O atleta de 32 anos disputou o cinturão dos meio-pesados em março de 2019, quando saiu derrotado pelo então campeão Jon Jones, por decisão unânime dos jurados.