<
>

Norma Dumont revela ajuda de psicólogo para buscar primeira vitória no UFC

play
Dana White garante estar 'levando a sério' chance de Glover lutar por título: 'Não vou mais duvidar dele' (0:43)

Glover disse depois em entrevista coletiva que de qualquer jeito gostaria de esperar para disputar o título e não ter que fazer mais nenhuma luta antes disso: "Com certeza eu mereço uma chance pelo cinturão" (0:43)

A brasileira Norman Dumont busca sua primeira vitória no UFC no próximo sábado (28), quando encara Ashlee Evans em confronto válido pela categoria peso-galo (61 kg). Ao estrear na organização, em fevereiro deste ano, a mineira foi nocauteada por Megan Anderson e atribuiu grande parte da derrota ao seu psicológico. Para o próximo duelo, no entanto, a atleta revelou que faz acompanhamento com psicólogos para mudar sua mentalidade e, desta forma, garantir o primeiro resultado positivo no Ultimate.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Norman contou que deixou o nervosismo atrapalhar o desempenho em sua estreia na liga, mas garante que contra Ashlee será diferente. Além de poder realizar um camp mais tranquilo por estar mais familiarizada com o Ultimate, a mineira contou que o acompanhamento psicológico foi fundamental na melhora da sua mentalidade para o confronto e destacou que está ansiosa para ver as mudanças na prática.

“Eu sempre tive essa questão da cobrança muito grande em cima de mim mesma. Já tive até alguns problemas com excesso de treino, tive ‘overtraining’ duas vezes. E isso me fez perder a última luta, porque eu estava ganhando e o tempo todo dentro da minha cabeça eu ficava me cobrando: ‘Você tem que fazer alguma coisa, tem que fazer mais’. E esse ‘fazer mais’ me fez errar. Já sabia que isso era um problema meu que eu tinha que resolver”, destacou Norman antes de dar mais detalhes da sua preparação.

“Eu ficava querendo fazer demais, e na luta, principalmente contra um adversário tão experiente como a Megan, às vezes se você cozinhar um pouco e ter mais paciência para chegar num resultado final, conta muito. E essa cobrança excessiva que eu tenho comigo mesma, me atrapalhou. Foi onde eu procurei um psicólogo e a gente fez esse trabalho. Trabalhei muito essa questão de pressão da luta, entrar e querer fazer acontecer, isso me ajudou muito. Até eu estou ansiosa para ver a nova Norma que vai entrar no dia 28 de novembro”, concluiu.

Depois de estrear na liga pela categoria peso-pena (66 kg), Norma decidiu descer para os pesos-galos para a disputa do próximo sábado. No entanto, a mineira revelou que não planeja se manter na classe de peso mais leve por muito tempo, apenas o suficiente para se ambientar e depois retornar à sua divisão de origem e pedir uma revanche contra Megan.

“Acredito que não vou pedir a revanche imediata, porque ela ganhou de forma dominante e vai disputar o cinturão agora, então eu sei que tenho que esperar um momento também. Mas daqui a duas, três lutas na categoria até 61 kg, me sentindo mais confortável, mais adaptada ao UFC e tudo mais, com certeza quero subir para conseguir a revanche. Sei que dava para ganhar, até tranquilamente. A Megan é um grande nome, então ganhar dela é muito interessante. Como eu acabei de sofrer uma derrota, eu pretendo daqui há umas três lutas pedir a revanche, como eu já combinei com ela no dia e ela disse que daria sem problema nenhum”, finalizou.

Aos 30 anos, Norman Dumont soma quatro vitórias e uma derrota em sua carreira nas artes marciais mistas. Por sua vez, Ashlee vive um momento delicado na organização, com apenas um triunfo nas últimas quatro apresentações. No total, a americana acumula seis resultados positivos e quatro reveses em seu cartel.