<
>

UFC: Kayla Harrison desce para divisão de Amanda Nunes: 'É ela que estou perseguindo'

play
UFC: Shogun fala sobre revanche com Paul Craig e reitera que acredita ter vencido em empate polêmico contra o escocês (1:18)

Shogun enfrenta Craig no UFC 255 neste sábado (1:18)

Bicampeã olímpica e ex-campeã mundial no judô, Kayla Harrison migrou para o MMA em 2018 ao assinar contrato com o ‘PFL’. Desde o início tratada como uma promessa do esporte, a lutadora fez jus ao status ao reinar soberana na categoria peso-leve (70 kg) da organização. Companheira de equipe de Amanda Nunes na ‘American Top Team’, a americana já revelou planos de enfrentar a ‘Leoa’ no futuro – o que pode estar ainda mais próximo agora que ela vai descer para a categoria da brasileira.

Depois de realizar suas sete lutas como profissional de MMA na categoria peso-leve do ‘PFL’, Kayla fará a sua próxima apresentação em um novo evento e em nova divisão de peso. Diante de Courtney King, a americana estreará no peso-pena (66 kg) no Invicta FC 43, nesta sexta-feira (20). Apesar de ser o primeiro passo na direção de uma possível luta contra Amanda Nunes, a medalhista olímpica garante que não tem pressa, pois planeja adquirir experiência antes de encarar a melhor lutadora de todos os tempos – ao menos em sua visão.

“Foi um ano e tanto. Ela é a ‘GOAT’ (sigla em inglês para ‘melhor de todos os tempos’). Eu sou iniciante, mas é ela que eu estou perseguindo. Ela sabe disso, eu sei disso, todo mundo sabe disso. É nela que eu me inspiro. Esse é o objetivo, ser a melhor de todas. Agora, estou focada apenas em bater 145 libras (66 kg), vencer essa luta, ir para a próxima luta, para a próxima e para a próxima. Um passo de cada vez, é assim que acontece. Acho que no futuro…”, afirmou a americana em entrevista ao site ‘MMA Junkie’.

A ex-judoca fez questão de demonstrar respeito e admiração pela campeã peso-galo (61 kg) e peso-pena do UFC, que foi uma das responsáveis por sua escolha da ‘American Top Team’ como base de seus treinos. Caso o duelo se concretize no futuro, Kayla ressaltou que espera que esses sentimentos não se percam no meio do processo, como aconteceu com outros dois membros da ‘ATT’: Jorge Masvidal e Colby Covington.

“Nunca vou dizer não a essa oportunidade. Eu faria isso com respeito e o maior orgulho em poder lutar contra ela. Eu amo Amanda, acho ela incrível, acho que ela é uma boa pessoa e uma grande lutadora. Não tenho nada além de coisas boas a dizer sobre ela, então se acontecer, não será desagradável – como Colby e Masvidal. Vai ser como ‘eu te amo, mas temos que fazer negócios. Vamos as duas fazer algum dinheiro’”, finalizou.

Kayla Harrison mantém carreira invicta no MMA profissional, com sete vitórias. A ida da atleta de 30 anos para o Invicta FC é momentânea, uma vez que o PFL suspendeu suas atividades na temporada de 2020 por conta da pandemia de COVID-19. A organização planeja retomar os eventos em abril do ano que vem e contará com a americana.