<
>

Ferguson aposta em retorno de Khabib após aposentadoria: 'Estou prevendo de novo: vai sentir falta'

No último sábado (24), Khabib Nurmagomedov anunciou sua aposentadoria do MMA após finalizar Justin Gaethje no UFC 254 e defender o cinturão peso-leve (70 kg), pegando a comunidade das lutas de surpresa. Mas, ao que parece, Tony Ferguson – um dos principais concorrentes da divisão – não parece convencido de que o russo conseguirá se manter afastado dos octógonos.

Em entrevista ao ‘Submission Radio’, o americano revelou que não se surpreendeu com a repentina aposentadoria do rival. Ferguson, que viu todas as cinco tentativas do UFC de promover o duelo contra Khabib serem frustradas, ainda apostou no retorno do russo, assim como aconteceu com Conor McGregor, outra grande estrela da companhia.

“Eu previ isso. Eu previ isso no meu post. Vocês podem ver isso. Eu previ que ele ia se aposentar. Quer dizer, Ali Abdelaziz (empresário de Khabib) fez seu trabalho. Ele manteve seu cliente seguro – o manteve longe de oponentes muito perigosos. É isso que um agente e empresário deve fazer – embora ele seja um pedaço de m***. Mas eu tenho que dizer, ele fez a coisa certa. Quer dizer, ele me evitou a todos os custos. Os russos, eles me evitaram a todos os custos. Isso é incrível”, declarou Ferguson, antes de completar.

“Quer saber? Eu fiz meu trabalho. Eles fugiram. Esse cara do Daguestão correu com o rabo entre as pernas. Mas quer saber? Ele está no pôr-do-sol. Tenho que lhe dar crédito. Vá cuidar dos negócios da família, e eu vou te ver quando você vier aqui. De volta, porque você vai sentir falta disso como Conor (McGregor). Quer saber? Eu estou prevendo de novo: ele vai voltar, então eu vou estar pronto”, concluiu.

O confronto entre Khabib e Ferguson foi agendado pelo UFC em cinco oportunidades, mas nunca chegou a se concretizar devido a vários motivos, como lesões, problemas de saúde e, na mais recente tentativa, uma crise mundial de saúde. Os pesos-leves estavam escalados para lutar no dia 18 de abril deste ano, mas a pandemia do novo coronavírus atrapalhou os planos da organização e impediu a realização do aguardado confronto.