<
>

UFC: Jennifer Maia elogia estreia de 'Bate-Estaca' nos moscas e cogita duelo pelo título da categoria

No último dia 18 de outubro, Jéssica ‘Bate-Estaca’ estreou no peso-mosca (57 kg) com o pé direito, ao atropelar a então primeira colocada no ranking da categoria, Katlyn Chookagian, no co-main event do UFC ‘Fight Island 6’. Atenta à chegada da ex-campeã peso-palha (52 kg) na divisão até 57 kg estava outra brasileira: Jennifer Maia, próxima desafiante ao cinturão, atualmente sob posse de Valentina Shevchenko.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, Jennifer elogiou a estreia da compatriota e apostou no seu sucesso na nova divisão. A curitibana – atleta da tradicional equipe ‘Chute Boxe’ – ainda cogitou a possibilidade de ambas se encontrarem novamente, especialmente caso destrone a campeã Shevchenko no próximo dia 21 de novembro, no UFC 255.

Vale lembrar que Jennifer e Jéssica se enfrentaram em 2012, em confronto que terminou com vitória da lutadora da ‘Chute Boxe’, no evento ‘Samurai FC 9’, realizado em Curitiba (PR). Com ‘Bate-Estaca’ alçada ao primeiro lugar da lista top 15 do peso-mosca, após o convincente triunfo sobre Chookagian, uma disputa verde-amarela, desta vez no palco da principal liga de MMA do mundo, pode acontecer no futuro próximo.

“Assisti a estreia da Jéssica ‘Bate-Estaca’. Achei que ela teve uma excelente performance. Ela chegou com tudo na categoria, vai dar muito trabalho. Acredito que ela vai ficar ali no topo mesmo e conquistar o espaço dela. Vai ser uma categoria onde ela vai se dar muito bem. Pode ser que a gente se enfrente mais para frente”, analisou Jennifer Maia, antes de cogitar um possível duelo brasileiro pelo título.

“Eu sempre falo que prefiro lutar contra adversárias que não sejam brasileiras. Afinal, a gente está em um evento onde tem atletas do mundo inteiro. Por outro lado, eu fico feliz pelo Brasil estar no topo, sendo bem representado. Então, eu não vejo problemas de lutar contra ela novamente. Eu não olho como se eu estivesse dando uma revanche para ela, eu olho como outra luta. Hoje em dia nós somos outras atletas. Nós amadurecemos, pegamos experiência, aprendemos muito no decorrer dos anos. E acredito que seria um belo combate entre brasileiras. Ainda mais se eu for a campeã, eu vou defender o meu título contra quem for”, ponderou a curitibana.

A rápida ascensão de ‘Bate-Estaca’ no ranking da divisão e, principalmente, a especulação em relação a uma luta de cinturão tendo disputado apenas um combate no peso-mosca parecem ter desagradado a algumas atletas da categoria, como Cynthia Calvillo e Lauren Murphy, lutadoras do top 5, que já manifestaram publicamente sua desaprovação quanto ao possível ‘title shot’ da ex-campeã dos palhas. A ideia, no entanto, não parece incomodar tanto Jennifer.

Apesar de admitir que seria interessante ver ‘Bate-Estaca’ novamente em ação no peso-mosca antes de conceder a ela a oportunidade de lutar pelo cinturão da categoria, a curitibana relembrou uma possível ‘dívida’ do UFC com a compatriota para justificar o ‘title shot’ relâmpago. Em sua primeira defesa de título no peso-palha, Jéssica aceitou enfrentar Zhang Weili, que à época se encontrava fora do top 5 no ranking da divisão até 52 kg, e terminou nocauteada pela chinesa, encerrando seu reinado.

“Então, ela chegou agora na categoria. Eu acho que seria bom ela fazer mais algumas lutas para depois chegar a disputar o título. Mas pensando pelo lado de que na categoria anterior ela aceitou uma luta contra a chinesa, que não estava tão bem ranqueada, eu acho que pode ser justo dar essa oportunidade para ela. Até porque, querendo ou não, ela mostrou um bom trabalho na sua estreia na categoria”, concluiu Maia.

Aos 32 anos, Jennifer Maia se prepara para o maior desafio de sua carreira até o momento. No próximo dia 21 de novembro, a curitibana mede forças com Valentina Shevchenko, em disputa pelo cinturão peso-mosca do UFC, no co-main event da edição 255 do Ultimate. A ex-campeã do Invicta FC chega para o combate contra a quirguistanesa com o cartel de 18 vitórias, seis derrotas e um empate.