<
>

UFC 253: Empresário explica por que Borrachinha foi mais cauteloso e diz: 'Foi o dia do Adesanya, não tem choro'

play
UFC | Promessa de morte, 'ele é burro' e muito mais: relembre as ofensas trocadas entre Adesanya e Borrachinha desde antes da luta ser marcada (1:04)

Rivais se cutucam há muito tempo pelo cinturão dos médios (1:04)

Paulo Borrachinha não conseguiu fazer frente a Israel Adesanya e acabou nocauteado logo no segundo round no UFC 253. E o que talvez mais tenha chamado a atenção foi o ritmo mais lento do brasileiro, que quase não conseguiu conectar golpes.

Wallid Ismail, empresário de Paulo, foi quem falou com a imprensa logo depois da luta para tentar explicar o que aconteceu.

"O Paulo estava esperando para ter um tempo maior, soltar mais no segundo ou terceiro round. Mas realmente os chutes na panturrilha incomodaram. Foi o melhor dia para o cara, aconteceu! Não tem desculpa, não tem choro. Estava falando para ele agora, ele continua sendo o número 1 do mundo. Continua nas cabeças", disse.

"O Adesanya fez o certo. Ficou chutando na panturrilha, incomodando. Quando o Borrachinha atacava, ele saía. Não tem que dar desculpa! O Paulo vai treinar e vai voltar mais forte. E acabou! Parabéns para o Adesanya! E a vida continua, a guerra continua! Perdemos essa batalha, mas a guerra continua. Podem anotar: Borrachinha ainda vai ser o campeão", completou.

Como mostra o ESPN.com.br, Adesanya de fato conseguiu fazer o plano de jogo perfeito, usou a sua envergadura e sempre acertou Borrachinha muito antes de ser acertado.

Borrachinha não falou com os jornalistas, mas teve uma linha de raciocínio parecida com a de seu empresário em sua primeira declaração.

"Retornarei melhor, como sempre!", postou no Instagram.

Foi a primeira derrota da carreira de Borrachinha. Ele chegou invicto para a disputa de cinturão, com 13 vitórias nas 13 lutas que havia feito até então.

play
1:04

UFC | Promessa de morte, 'ele é burro' e muito mais: relembre as ofensas trocadas entre Adesanya e Borrachinha desde antes da luta ser marcada

Rivais se cutucam há muito tempo pelo cinturão dos médios

Veja todos os resultados do UFC 253:

CARD PRINCIPAL

Israel Adesanya (NIG) nocauteou Paulo Borrachinha (BRA) aos 3:59 do 2º round – pelo cinturão dos pesos médios
Jan Blachowicz (POL) nocauteou Dominick Reyes (EUA) aos 4:36 do 2º round – pelo cinturão vago dos meio-pesados
Brandon Royval (EUA) finalizou Kai Kara-France (NZL) com uma guilhotina a 0:48 do 2º round - moscas
Ketlen Vieira (BRA) venceu Sijara Eubanks (EUA) na decisão unânime dos jurados (29-28, 29-28 e 29-28) – galos feminino
Hakeem Dawodu (CAN) venceu Zubaira Tukhugov (RUS) na decisão dividida dos jurados (28-29, 30-27, 29-28) - penas

CARD PRELIMINAR

Brad Riddell (NZL) venceu Alex Leko (BRA) na decisão unânime dos jurados (29-28, 29-28 e 29-28) - leves
Jake Matthews (AUS) venceu Diego Sanchez (EUA) na decisão unânime dos jurados (30-26, 30-26 e 30-26) – meio-médios
Ludovit Klein (SVK) nocauteou Shane Young (NZL) aos a 1:16 do 1º do 1º round - penas
William Knight (EUA) venceu Aleksa Camur (EUA) na decisão unânime dos jurados (29-28, 30-27 e 30-27) – meio-pesados
Juan Espino (ESP) finalizou Jeff Hughes (EUA) com um neck crank aos 3:48 do 1º round - pesados
Danilo Marques (BRA) venceu Khadis Ibragimov (RUS) na decisão unânime dos jurados (29-28, 29-28 e 30-27) – meio-pesados