<
>

Covington abre as portas para duelo com Nick Diaz e provoca: 'Eu o aposentaria'

Após vencer Tyron Woodley na luta principal do UFC Las Vegas 11, evento realizado no último sábado (19), Colby Covington não demorou para ligar a sua metralhadora de provocações contra seus possíveis rivais.

Após ironizar Gilbert Durinho, que vai lutar pelo cinturão dos meio-médios (77 kg) do UFC, e provocar seu desafeto Jorge Masvidal, chegou a hora do Chaos alfinetar os irmãos Diaz.

Apesar de já ter demonstrado preferência em ter sua revanche contra o campeão meio-médio Kamaru Usman ou lutar com Masvidal, Colby não descarta a possibilidade de um confronto contra Nick Diaz. Em coletiva de imprensa após o evento, o lutador afirmou estar mais do que disposto a recebê-lo de volta – isso caso o ‘bad boy’ retorne em 2021.

“Ele é um lutador de alta pressão. Eu adoraria lutar com ele e seria uma luta fácil. Eu definitivamente o aposentaria assim como aposentei Tyron Woodley. Nick Diaz nunca mais lutará, prometo a vocês, depois que eu terminar com ele” disse Colby, antes de continuar alfinetando o rival. “Assinei para lutar com ele no Madison Square Garden em 2018, mas ele desistiu no último minuto. Ele não quer se meter comigo porque ele sabe que eu vou tirar a vida dele dentro do octógono, ele nunca vai ser a mesma pessoa de novo” completou.

Com a chance de ter seus planos iniciais frustrados, pois Usman enfrenta Gilbert Burns em dezembro e Masvidal está vinculado a uma revanche contra Nate Diaz, também em dezembro, o falastrão questionou a escolha do ‘Gamebred’ por esse combate. De acordo com o ex-campeão interino da divisão, um confronto de amigos que viraram rivais teria apostas muito maiores.

“Uma luta contra mim seria muito maior. Todo mundo sabe que Nate Diaz está acabado. Ele não foi relevante em cinco, seis anos. Ele luta uma vez a cada dois anos, nem deveria estar lutando mais, é uma vergonha. Eu me sinto mal que os treinadores dele ainda o deixam entrar no octógono” provocou Colby.