<
>

Woodley defende inclusão de Nick Diaz no Hall da Fama do UFC: 'Bad boy original'

A notícia do possível retorno de Nick Diaz ao MMA, embora ainda esteja só na esfera da especulação, já deixou alguns lutadores do Ultimate empolgados.

Além da oportunidade de enfrentá-lo dentro do octógono, atletas destacam a importância de contar com um nome histórico da modalidade na ativa novamente no octógono.

Em entrevista ao programa The Hollywood Beatdown, Tyron Woodley exaltou a trajetória que Nick Diaz fez no MMA. De acordo com o wrestler, a decisão final sobre o retorno às competições não altera a importância do atleta na modalidade. Além disso, o ex-campeão defendeu a entrada do veterano no Hall da Fama do UFC.

“Será bom ter um nome conhecido voltando a competir. Se não voltar, não importa. Acho que ele fez o suficiente em sua carreira para ser introduzido no Hall do Fama”, disse Woodley, antes de completar os seus argumentos para provar o merecimento de Diaz.

“Nick merece, porque é um dos ‘bad boys’ originais. Há alguns membros do Hall da Fama que nunca foram campeões. Ele veio do Strikeforce, tinha uma reputação enorme e isso tem que ser levado em consideração quando o assunto é o Hall da Fama. O UFC comprou a organização, absorveu os atletas, as lutas e os feitos deles vêm junto”, completou.

Aos 37 anos, Nick Diaz não compete desde janeiro de 2015, quando enfrentou Anderson Silva no UFC 183, em duelo que terminou originalmente com a vitória do brasileiro e, posteriormente, teve seu resultado modificado para no contest (luta sem resultado) após ambos os atletas testarem positivo no exame antidoping. O último triunfo de Diaz veio em 2011, diante de BJ Penn, na edição 137 do Ultimate.

Vindo de duas derrotas seguidas pela primeira vez na sua carreira, Tyron Woodley encara Colby Covington neste sábado (19), no UFC Las Vegas 11. O ex-campeão dos meio-médios busca a recuperação após ser superado por Kamaru Usman e Gilbert Durinho em suas últimas apresentações pela franquia.