<
>

UFC pune Shahbazyan por entrar no octógono com bandeira de 'regime ilegal'

Além de perder a primeira luta na carreira, Edmen Shahbazyan sofreu outro golpe após sua participação no UFC Las Vegas, disputado no dia 1º de agosto. A jovem promessa de origem armênia foi punida pelo Ultimate por ter subido ao octógono, antes do confronto contra Derek Brunson, com uma bandeira da República de Artsaque, um território separatista, não reconhecido internacionalmente, que tecnicamente faz parte do Azerbaijão.

O episódio provocou irritação no governo do Azerbaijão, que através de seu Consul Geral nos Estados Unidos solicitou junto ao Ultimate a repreenda do lutador. E de acordo com o site ‘Axar.az’, a punição de Shabahzyan – por entrar com uma bandeira de um território não reconhecido pela comunidade internacional – se deu através da perda do repasse financeiro da Reebok, fornecedora oficial de material esportivo do UFC, ao qual os lutadores têm direito a uma porcentagem a cada luta disputada. Ainda de acordo com a publicação, um funcionário antigo do UFC – com 20 anos de serviços prestados – teria sido demitido por ter permitido a entrada do atleta com o objeto que descumpre as regras da entidade.

Composta majoritariamente por cidadãos de origem armênia, a região da ‘República de Artsaque’ foi alvo de disputa militar entre Armênia e Azerbaijão nos anos 90. Atualmente o local possui autonomia apesar de pertencer ao território do Azerbaijão, mas não é reconhecido internacionalmente como um país.

Os conflitos étnicos entre Armênia e Azerbaijão são resultado do genocídio da população armênia, liderado pela Turquia com o apoio de outros países da região. Até os dias atuais o assunto ainda é envolto em grande polêmica, com posições divergentes de ambos os lados.