<
>

UFC: Anderson Silva ignorou 'castigo' de Dana e humilhou Forrest Griffin à la Muhammad Ali há 11 anos

play
Anderson Silva treina os filhos em sessão caseira; veja as dicas (1:59)

Kalyl Silva e Gabriel Silva se enfrentaram enquanto ouviam atentamente aos conselhos do pai, lenda do UFC | via @gabrielrmnl (1:59)

Dana White e o UFC aprenderam uma lição no dia 8 de agosto de 2009, há exatos 11 anos: não é nada fácil punir um gênio como Anderson Silva.

A história começa quatro meses antes. Em alta, Anderson foi colocado para enfrentar Thales Leites no Canadá. E não gostou muito. O rival era brasileiro e formado pela Nova União, equipe onde Spider havia treinado no passado. Ele venceu, mas foram cinco assaltos de muito respeito e nenhum grande highlight.

O presidente do UFC, então, resolveu dar uma lição em seu pupilo.

“Dana não gostou da luta e, como ‘castigo’, me escalou para enfrentar Forrest Griffin. Griffin é de uma categoria mais pesada, a dos meio-pesados, da qual ele já havia sido campeão”, relata Anderson Silva em sua biografia.

A ideia de um castigo, porém, ficou muito longe de dar certo. Não houve luta. Foram pouco mais de três minutos de um completo massacre.

De novo, o próprio Anderson Silva relata:

“Não precisei procurar Griffin, que abriu a luta com chutes e jabs em minha direção a fim de medir a distância. Ele me acertou um primeiro chute forte, e eu desfechei um golpe também potente com a mão direita. A luta teria acabado se eu pegasse em cheio. Pouco depois, acertei uma direita. Esta, sim, pegou pra valer! Ele foi ao chão. Griffin mostrou que era valente: levantou e me atacou. Pude me esquivar de todos os golpes. Logo o derrubei com outro soco, desta vez de esquerda. Ele se levantou de novo e veio para cima. Enquanto caminhava para trás, acertei mais um golpe de direita que o atirou de costas ao chão. Enquanto me aproximava para prosseguir o ataque, o juiz Kevin Mulhall encerrou a luta”.

"Dana não gostou da luta e, como 'castigo', me escalou para enfrentar Forrest Griffin. (...) Enquanto caminhava para trás, acertei mais um golpe de direita que o atirou de costas ao chão. (...) Gosto muito de uma foto do combate em que Ali tomou o título de Sonny Liston. Muhammad Ali está de pé, Liston no chão. Uma fotografia muito parecida me mostra de pé com Forrest no chão. Eu olho para ele de um jeito que lembra o olhar do Ali para Liston" Anderson Silva em sua biografia

De fato, a luta não foi nem competitiva. Anderson parecia no filme Matrix, tamanha era a facilidade de se desvencilhar de todos os golpes. E o soco definido foi perfeito, um dos lances mais icônicos da história do MMA. A precisão foi tamanha que a força nem precisou ser tão grande para desmontar o grandalhão Griffin.

“Tenho um grande exemplo que é o ex-campeão mundial dos pesos pesados Muhammad Ali (...). A luta (com Griffin) me marcou muito por uma coincidência. Gosto muito de uma foto do combate em que Ali tomou o título de Sonny Liston. Muhammad Ali está de pé, Liston no chão. Uma fotografia muito parecida me mostra de pé com Forrest no chão. Eu olho para ele de um jeito que lembra o olhar do Ali para Liston”, diz Anderson.

E o “tiro” do UFC acabou acertando um alvo inesperado. Anderson Silva não foi castigado, mas acabou se consagrando como a maior estrela comercial do evento.