<
>

Gaethje promete que não trocaria luta por título do UFC para encarar McGregor

play
Mackenzie Dern fala sobre lutar sem público e acha que isso influencia até juízes: 'Um soco com público é maior' (3:37)

Evento de sábado (30) será sem presença de público por conta da pandemia de coronavírus (3:37)

Após derrotar Tony Ferguson e conquistar o cinturão interino do peso-leve (70 kg), Justin Gaethje alcançou outro patamar dentro do UFC. Dessa maneira, o norte-americano agora fica em uma posição em que, em teoria, poderia 'escolher' entre encarar Khabib Nurmagomedov pela unificação dos títulos ou até uma superluta contra Conor McGregor, que já o desafiou.

No entanto, em declaração ao podcast 'Joe Rogan Experience', Gaethje destacou que não vai trocar a chance de ser o rei da divisão dos leves por uma possível 'money fight' contra McGregor. O norte-americano adiantou que, apesar de ter consciência de que ganharia muito mais dinheiro encarando o irlandês, seu objetivo dentro da organização é outro.

"Em termos de negócios, a atitude inteligente seria lutar contra Conor agora, porque é obviamente muito dinheiro. Mas ganho mais se vencer o Khabib e depois luto (com McGregor). E se Conor não estiver lá, lutarei com Poirier. Conor não está na minha lista. Khabib e Poirier são os dois da minha lista agora. Se eu luto contra os dois e faço boas bolsas, então estou bem", afirmou o atleta, confirmando seus planos.

“Tenho a oportunidade de fazer algo que pode ser inigualável na história do nosso esporte. Entrar lá e derrotar Tony, Khabib e Conor. Isso é lendário", completou.

Ao que tudo indica, o duelo entre Khabib e Gaethje vai acontecer em setembro deste ano - pelo menos foi o que Dana White, presidente do UFC, adiantou. De acordo com o mandatário, a ideia inicial era que eles se enfrentassem neste mês, mas o russo acabou de passar pelo mês do Ramadã e ainda se encontra em uma situação delicada na vida pessoal, com seu pai hospitalizado.

No UFC desde 2017, Justin Gaethje soma cinco vitórias, todas por nocaute, e duas derrotas no octógono mais famoso do mundo. Em todas as suas apresentações pela organização até o momento, o norte-americano foi premiado com algum bônus da noite, mesmo em seus reveses.