<
>

UFC 248: Darren Till apela a Donald Trump para ter o visto e lutar contra Cannonier

Após demonstrar interesse em encarar Jared Cannonier no UFC 248, em Las Vegas (EUA), Darren Till revelou o motivo de não ter tido sua presença no evento confirmada até o momento: seu visto de entrada nos Estados Unidos. Em publicação na sua página do ‘Instagram’, o peso-médio (84 kg) apelou ao presidente norte-americano, Donald Trump, para que sua autorização para adentrar no país seja concedida e ele possa competir no show marcado para o próximo dia 7 de março.

Desde que expressou seu desejo de substituir Robert Whittaker, que se retirou do duelo contra Cannonier por motivos pessoais, Till acompanhou seu nome ser envolvido em especulações sobre o porquê de não ter confirmado ainda sua participação no UFC 248. Uma lesão no tornozelo e até uma discordância nas negociações contratuais com o Ultimate foram ventiladas como explicação. Porém, agora o lutador inglês esclareceu as dúvidas ao comentar sobre a dificuldade em conseguir o visto de entrada para os Estados Unidos, que já lhe causou problemas em um passado recente.

“Donald Trump, consiga o meu visto para o UFC 248, para que eu possa dar uma coça nesse homem (Cannonier)”, escreveu Darren Till em seu ‘Instagram’.

Ex-desafiante ao cinturão dos meio-médios (77 kg), Darren Till vem de vitória por decisão dividida dos juízes sobre Kelvin Gastelum no UFC 244, em sua estreia no peso-médio. Mesmo com apenas um combate na nova categoria, o inglês já ocupa a quinta colocação no ranking até 84 kg da entidade e com mais um triunfo pode se aproximar de uma disputa pelo título. Já Jared Cannonier conquistou três expressivas vitórias, todas por nocaute técnico, desde que desceu de divisão. O americano superou David Branch, Anderson Silva e Jack Hermansson na classe de peso que tem Israel Adesanya como seu campeão.