<
>

UFC: Treinador celebra redução da pena de Werdum por doping e projeta retorno do peso-pesado

play
Johnny Walker ainda se considera 'top contender' e explica por que Jon Jones teme ele e outros rivais (1:19)

Lutador brasileiro falou com exclusividade ao ESPN.com.br (1:19)

Recentemente, a USADA (agência americana antidoping) anunciou a redução em dez meses da pena aplicada ao brasileiro Fabrício Werdum, inicialmente de dois anos, por ter sido flagrado em exame antidoping em abril de 2018. Com isso, o ex-campeão peso-pesado do UFC poderá retornar aos octógonos a partir do dia 1º de abril. Em conversa com a imprensa – com a presença da Ag. Fight – nos bastidores do UFC 246, evento realizado no último sábado (18), em Las Vegas (EUA), Rafael Cordeiro, treinador do gaúcho, comemorou a notícia e revelou que seu pupilo está ansioso para voltar a lutar.

O veterano de 42 anos, que chegou a cogitar até mesmo a aposentadoria após a suspensão inicial de dois anos, tem aumentado o ritmo de treinos de olho em seu retorno, segundo Cordeiro. A idade avançada, ainda que não seja vista pelo treinador como um problema, não pode ser desconsiderada, e a equipe do peso-pesado trabalha para colocá-lo pronto para sua volta o mais breve possível.

“Recebi a notícia nesta semana, fiquei muito feliz, graças a Deus o gaúcho nunca parou de treinar, mas agora treina duas vezes por dia comigo. Está bem legal, curtindo treino. Treina comigo, Barral, Cobrinha, Babalu, Felipe, estamos neste projeto para botar o gaúcho para lutar. Vai ser o começo de uma nova trajetória na vida do gaúcho e, se Deus quiser, logo estará nas cabeças novamente. Se a suspensão acabar dia 1, dia 2 queremos lutar. Não que estejamos correndo atrás do relógio, o Werdum é um super atleta, com 41, 42 anos e dando pau na galera na academia, mas o tempo é agora. Werdum nunca deixou de estar no auge dele, tanto no jiu-jítsu, quanto na trocação. A gente acredita que agora é o momento dele voltar”, contou o líder da ‘Kings MMA’.

A ansiedade para voltar a lutar parte também de Werdum. De acordo com seu treinador, a competitividade do peso-pesado, demonstrada até mesmo em treinamentos, é o principal propulsor de sua carreira mesmo com a idade avançada. E de olho em um retorno do gaúcho no futuro próximo, Cordeiro afirmou que a ideia, até mesmo pela história construída por seu pupilo no MMA, é que o lutador encare um rival que esteja no topo da categoria.

“Continuar lutando (é o que motiva o Werdum). O gaúcho é competidor. Não gosta de perder nem brincadeirinha na academia. Sente falta de competir, da galera gritando nome dele, vaiando ele, de sentir a adrenalina e a emoção dali. Esse calafrio que dá quando está indo para a arena. Quando você tem isso, é como um vício, uma droga, e acho que abril vai ser um bom tempo de voltar e acabar com esse tempo parado”, contou Rafael Cordeiro, antes de especular sobre o próximo adversário do peso-pesado.

“Algumas pessoas falaram do Junior Cigano, mas acho uma falta de respeito falar isso agora, ele tem um compromisso agora. Tem muita gente na reta, tem o Francis (Ngannou), não sei se está com luta. Mas o Werdum não pode voltar a lutar com caras que não estejam nas cabeças. Vem de uma derrota, mas não apaga tudo que fez na carreira e acredito que o nome que cair estaremos preparados para fazer. Única coisa que posso garantir é que estaremos preparados pra uma grande guerra”, concluiu o treinador.

A última apresentação de Fabrício Werdum no Ultimate aconteceu em março de 2018, quando ele foi nocauteado pelo russo Alexander Volkov, em Londres (ING). No MMA profissional desde 2002, o faixa-preta de jiu-jitsu acumula 23 triunfos, oito reveses e um empate em seu cartel.