<
>

McGregor prevê fim da luta contra Cerrone no UFC 246, fala sobre império, polêmicas, Khabib, Mayweather e muito mais!

Antes de retornar ao octógono do UFC neste fim de semana, Conor McGregor abriu o jogo em entrevista exclusiva à ESPN e abordou diversos temas, como uma previsão de como será a luta contra Donald Cerrone, falou de sua fortuna, de uma possível luta contra Manny Pacquiao no boxe e muitos outros temas.

Antigo campeão dos pesos pena e leve da UFC, McGregor irá retornar à categoria neste sábado, em duelo com Cerrone no UFC 246 pelos meio médios. Ele não vai ao octógono desde 6 de outubro de 2018, quando perdeu para Khabib Nurmagomedov.

Uma confusão após a luta causou suspensões aos dois. Inclusive, o russo foi outro assunto da dinâmica entrevista com o irlandês, que o fã do esporte confere abaixo.

Faz um tempo que nós não nos encontramos pessoalmente, então é legal estar de volta neste lugar. É um pouco nostálgico. E é interessante, porque eu tenho falado bastante com vários membros do seu time e eu continuo ouvindo a mesma coisa: nós não víamos o Conor feliz há muito tempo. É um Conor diferente. Ele está tão engajado, tão motivado. Você concorda com essas falas? Se sim, por quê?

Sim, eu estou me sentindo muito bem. Estou aproveitando os treinos. Eu ouvi a mim mesmo sobre o que eu precisava fazer nos meus treinos, preparação e fora da academia também. E eu executei isso. Eu segui aquilo que eu falei para mim mesmo que precisava fazer. Isso tem me dado energia, tem me dado foco e eu estou feliz agora. Estou aproveitando os meus treinos.

Por que você está feliz agora?

Eu estou focado, estou comprometido. Sabe quando você diz para você mesmo, "Você sabe o que você tem que fazer". Nós sabemos o que temos que fazer. Você diz para si mesmo, "Eu deveria fazer assim, deveria fazer aquilo". Quando você não faz isso e continua.... Você sente que aquela dúvida foi removida por acidente. Se você não está caminhando para frente, é aí que a dúvida se estabelece. Eu sabia as coisas que eu deveria estar fazendo, as que eu não deveria estar fazendo. E eu as fiz e não as fiz, se é que você me entende. Agora, eu estou me ouvindo mais e estou seguindo as minhas instruções internas. Isso tem me dado mais vontade e mais foco. Eu estou mais motivado. Estou fazendo o que eu preciso fazer e me sinto bem. É isso.

Eu sei que você estava no tribunal em novembro. Você pagou a multa e se declarou culpado pelo incidente no bar. Nós conversamos sobre o que aconteceu em Miami. Existe algo mais pendente em sua vida agora, ou temos uma vida zerada em 2020?

Vida zerada. Vida zerada.

Lembro que você me disse que não faz muito tempo que você sentia que seu personagem estava sendo assassinado constantemente na imprensa. Você sente que esse ainda é o caso?

Sim, mas eu não presto atenção. Como eu disse, eu só olho para frente. Se eu vejo, eu rezo por eles. Mas é o que é. Faz parte da vida. Como eu disse, isso me irritava e eu reagia. Não mais. Eu tinha que chegar até aquele ponto.

Como você conseguiu parar de reagir e falar, “Para mim, deu”? É mais fácil falar do que fazer.

Porque olha onde eu vim parar, cara. Porque olha onde eu vim parar, cara, reagindo ao desrespeito e esses tipos de coisas. Eu aprendi lições muito valiosas nisso as quais sou muito agradecido. Eu vou usá-las daqui para frente.

Você falou com alguém que te ajudou a ver essa luz? Entender que você tinha que parar de reagir.

Ninguém em particular, mas eu tenho grandes pessoas na minha vida. Grandes pessoas na minha vida. Meus técnicos, meu time de empresários. Todos. Minha família, é claro. Eu tive boas conversas com essas pessoas e, mais importante, você tem que ter essas conversas internas. Porque, se você não consegue falar consigo mesmo, ninguém vai conseguir te falar. Eu sou grato pelo caminho que estou seguindo. De verdade. Tem sido um caminho fenomenal. Eu sou muito agradecido e estou muito animado por estar de volta.

Agora você tem dois filhos.

Dois filhos.

Seu filho, Conor Jr, e a sua filha, que é sempre uma grande influência em um cara jovem. Como isso te mudou?

Minha filha, Croia McGregor. Meu coração está cheio, Ariel, com os meus filhos. Eles estão aqui comigo em Las Vegas, na minha casa em Vegas. É incrível estar de volta à nossa casa em Vegas com a Dee, minha irmã está aqui também. É muito incrível. Eu sou muito abençoado. Que momento para isso acontecer comigo. Foi no momento certo, eu precisava disso, das minhas crianças me ajudando. Eu estou muito feliz, muito orgulhoso.

De um jeito estranho, é possível dizer que eles ajudaram a salvar a sua carreira?

É isso que estou dizendo. 100%, quando eu mais precisava. Eu sou muito feliz e muito abençoado.

Claro que nós cobrimos em agosto muito do que aconteceu para você no ano passado. Mas coisas sérias foram escritas sobre você e foram alegadas em relação a você. Há algo que você gostaria de dizer sobre essas alegações que foram escritas sobre você e que foram ditas sobre você?

Cara... não. Eu não posso dizer nada sobre isso. Tinha que ter acontecido.

Te incomoda essas coisas estarem por aí e as pessoas te chamando...

Incomodaria a você?

Sim.

Pronto.

Tempo, tempo, tempo, Ariel. Paciência. Paciência é uma habilidade que devemos dominar. Paciência é uma das habilidades mais valiosas que um ser humano deve dominar. E eu estou trabalhando duro para dominar, estou chegando lá. O tempo vai mostrar. É isso. Agora, estou focado na luta, focado em positividade, bons pensamentos. E eu rezo por aqueles que tentam me machucar com esse tipo de coisa. É isso.

Como acabamos ficando com Donald Cerrone como seu oponente? Você tinha muitas opções. Por que ele?

Eu disse que lutaria com ele, certo? Eu e Donald temos uma história, uma longa história. Não tão longa, mas temos uma história. É uma luta empolgante. É uma luta que os fãs gostam, é uma luta que me empolga e é uma luta que eu disse que faria. Eu aprecio o Donald. Ele já lutou muitas vezes. Desde a última vez que eu o vi, naquela coletiva antes da luta contra o Aldo, ele já lutou tantas vezes, ele também é um homem de família, tem a avó dele e tudo mais. Eu aprecio isso e eu respeito isso. Eu também respeito o método com o qual ele lidou com o Proper Whisky. Tem muito trabalho nisso, e ver um pouco de respeito me fez apreciá-lo. Eu estou ansioso em fazer uma boa luta. Eu sei que você não quer saber disso, e que você disse que eu estava errado. Mas no momento atual da minha vida esse é o jeito certo. Especialmente agora. Eu estou feliz de voltar e de ter a minha luta de retorno, do começo da minha temporada, contra o Donald. Estou ansioso. Vai ser uma noite boa. Eu vou brilhar em 18 de janeiro. Eu vou fazer mágica dentro do octógono. Olhe o que eu já fiz muitas vezes antes, mas esta vai ser especial.

Oponente e peso foram decisões suas? Você poderia bater o peso leve?

Eu estou abaixo do peso agora.

Quanto está pesando nesta sexta, antes da luta?

Eu estou abaixo do peso. Eu diria 75, por aí.

Então, você poderia...

Eu sei. Eu poderia. Eu só não acho que ele fica bem nos 70kg. Ele não fica bem ali.

Você não queria que ele sofresse no corte?

Por que eu gostaria que alguém sofresse? Eu o derrotaria com 65kg. Eu o derrotaria em qualquer peso. Eu o derrotaria se estivesse gripado. Eu não ligo. Eu não preciso. Eu só quero estar focado no meu treinamento e me manter afiado. Não é cortar e ganhar, cortar e ganhar peso. Eu estou feliz onde estou. E a categoria dos 77kg é empolgante para mim. Eu gosto dos 77kg. Eu gosto do que está acontecendo na divisão dos 77kg neste momento. Tem o Jorge [Masvidal] com aquele cinturão, caras bons lutando pelo cinturão. Eu gosto do que está acontecendo nos 77kg. E eu me sinto bem com 77kg. Me sinto com energia, é o meu peso normal, e é isso. Abre tantas opções, certo?

Então você não volta mais para a categoria de 70kg?

Não, eu vou voltar. Eu conseguiria bater 70kg para essa luta, sem problemas. Mas eu quero entrar novo, como eu sou. Deixemos que a luta aconteça como deve. E então eu pensarei nas opções.

Eu sei que você presta atenção no que os fãs dizem. Quando essa luta foi anunciada, diziam que você está evitando o [Justin] Gathje. Essa é a luta a ser feita. Gathje acabou de derrotar o Donald, como você vai enfrentar o Donald? Essa é a luta a se fazer! Qual a sua resposta para as pessoas que diziam que você está evitando o Gathje e que você escolheu a luta mais fácil?

Primeiro de tudo, eu coloquei nas mãos do UFC. Eles queriam fazer a luta, eu queria fazer a luta. O Justin estava pegando muito pesado em algumas coisas que ele estava dizendo. Muitas pessoas estavam seguindo essas narrativas, essas narrativas perversas que estavam rolando sobre mim. E eu fiquei tipo, vamos colocar isso em segundo plano por um minuto. Mas eu vou chegar até ele. Ele foi nocauteado pelo [Dustin] Poirier, foi nocauteado pelo [Eddie] Alvarez. É conveniente. Essa é uma luta bem conveniente para mim. Tanto faz.

Ele tornou as coisas bastante pessoais com você, né?

Ele não vai conseguir tornar as coisas pessoais comigo, com certeza não agora. Eu estive no auge das coisas ficando pessoais contra mim. Eu me tornei a prova de balas. Você não vai conseguir fazer isso. Não é nada. Eu vou lutar com ele em algum ponto, acho que vou lutar com ele em algum ponto.

Esse ano?

Possivelmente esse ano. Eu vou ficar ativo, vou ficar ativo. Isso é um sparring para mim. Eu vou lá para dar show para os fãs e conseguir uma linda vitória. Você não consegue ver? Olhe para mim. Três divisões de peso. Ninguém está fazendo isso. Estou muito animado, muito feliz. Tomara que os oponentes continuem vindo. Eu vou continuar a nocauteá-los.

Você está vendo essa temporada como uma de três lutas?

Talvez até mais.

Você pode explicar para nós? Porque todos estamos especulando...

É difícil fazer isso. Entendam como atividade. Eu nem sei o que.... Se eu nocautear o Donald em segundos, o que pode muito bem acontecer, eu posso muito bem estar no próximo evento. Esse é o tipo de pensamento que eu tenho. Depois da luta, vai ser a próxima. Eu não vou.… eu não vou tipo... não vou me afundar nisso. Porque você pode acabar sendo pego. Você venceu, você é demais, e tudo mais. Eu vou lá, depois vou para uma festa, tomar uns goles do meu Proper Whisky. Eu me abstive disso. Eu fiz uma promessa para mim mesmo. Fiz uma promessa à minha equipe. Fiz uma promessa aos meus fãs de que eu ficaria 100% totalmente focado em me abster disso. E sinto falta porque realmente amo meu líquido. Eu vou tomar um gole na festa depois da luta, tirar o dia seguinte para descansar, e no dia seguinte a esse eu vou entrar em uma sessão de treinamentos como fiz depois da segunda luta contra o [Nate] Diaz. Depois da segunda luta contra o Diaz, eu tive a minha festa, descansei no dia seguinte, e fiz corridas em uma máquina onde você puxa as cordas para baixo, porque as pernas estavam arrebentadas de tanto chutar os joelhos e as pernas do Diaz. Eu estava de muletas. Eu consegui fazer aquele treino e resetei a minha mente. Eu resetei a minha mente, voltei para o pensamento dos treinos. É tão fácil terminar uma luta, comemorar um pouco, descansar no dia seguinte, comer comida que faz mal, e depois fica difícil voltar. Então, eu tenho esse plano. Eu vou ter a minha comemoração, descansar, e voltar a treinar. E então decidir o próximo passo.

Ok. Nós não te vemos ativo assim há muito tempo. Se eu te perguntasse se você tem os oponentes em mente...

Não importa. Tem tantos. Justin está lá, Jorge, Kamaru [Usman]...

Você não tem preferência?

Eu não tenho.

Você diria que gostaria de terminar o ano contra o Khabib em Moscou?

Eu adoraria. Isso tem que acontecer. Tem que acontecer. Sabe? Tem que acontecer. Eu fui para Moscou.

E como foi?

Incrível! Moscou é um lugar ótimo, a Rússia é um lugar ótimo, eu fiquei impressionado.

Você não se sentiu inseguro lá?

Não. Os russos... você viu os fãs? Eles são boas pessoas.

Arremessaram alguma coisa em você.

E você reparou nos reflexos? Eu poderia até ter pego. Mas eu amo o jogo. Eu estou ansioso por essa competição. Estou totalmente focado. Você consegue ver, vamos lá. Você consegue ver a diferença. Todo mundo sabe. Todo mundo sabe. Não importa. Ele pode correr, mas não vai conseguir se esconder.

Na caminhada até aquela luta, muitas coisas foram ditas, tudo ficou muito pessoal entre vocês. Muito foi dito...

Não apenas dito. Ações fizeram coisas serem ditas. Não foram apenas palavras. Ações fizeram aquelas palavras saírem.

Tipo?

Coisas que aconteceram antes da luta. A situação com o Artem [Lobov]. Coisas que ficaram fora do radar, como se eu tivesse começado tudo isso. Tanto faz. Mas ficou muito, muito pessoal. Mas eu dei um passo para trás nisso e estou focando nas habilidades. É uma luta muito habilidosa. Ele tem um estilo bem específico e eu também. É um duelo interessante com dois lutadores totalmente focados, e é isso que vai acontecer na próxima luta. Estou ansioso para acabar com isso.

Eu fico curioso. Ficou muito pessoal. Coisas sobre a família dele, coisas que foram alegadas sobre você. Você se arrepende de algo? Você queria que não tivesse ficado tão pessoal assim, com religião, com o pai dele?

Eu posso ter ido longe em algumas das coisas que eu disse. Mas é assim. No fim do dia, é o negócio da luta. Foi do jeito que foi. E é isso.

Você acha que essa luta vai acontecer de novo? Quando você o vê falando que você precisa vencer 10 lutas e tudo mais. Qual a sua reação?

Ele está com medo. Medo. Ele não quer. É o que é.

Você mencionou algo rapidamente que eu quero te perguntar porque muitas pessoas ficariam surpresas. Você disse que não bebeu neste camp. Quando foi a última vez que você bebeu?

Há alguns meses. Três ou quatro meses atrás, eu acho.

É a primeira vez para você? Ou, pelo menos, primeira vez em um bom tempo?

Eu estava bebendo na semana da luta, se você me perguntar. Eu tomei um gole no programa do Conan O’Brien.

Antes da luta com o Khabib?

Sim.

Você bebeu antes da luta?

Sim.

Isso era comum para você?

Não muito. Não tanto quanto daquela vez.

Por que você fez isso?

Eu não sei. Eu tinha um veneno em mim ou algo do tipo. Não sei por quê. Eu tinha algumas pessoas no hotel daquela parte do mundo. Eu fazia a ligação e arrumava uma luta. Eles vinham do hotel para a academia e tínhamos uma luta, sem proteção de cabeça, luva normais. Uma luta mesmo. Eu vencia. Era uma guerra e eu vencia, eu nocauteava o cara. Eu ia lá e comemorava. E eu voltava em três dias.

Três dias? O que você ficava fazendo?

Não sei. Apenas o que eu não deveria estar fazendo.

Comemorando, festejando?

Não sei. Apenas vivendo a vida que eu não deveria estar vivendo. É isso. Não quero voltar lá. Estou em um ótimo lugar agora. Eu cometi erros e fui homem suficiente para assumi-los e corrigi-los. E foi o que eu fiz. Eu posso não ser perfeito, Ariel, mas com uma boa noite de sono e uma barriga cheia, eu chego perto.

Que horas você está indo dormir?

Agora, estou com o relógio da luta em mente, e vou entrar no octógono às 22h de Las Vegas. Mas quando estava em casa, na Irlanda, eu dormindo cedo e acordando cedo. Eu tinha treinos às 11h da manhã e às 19h. Foi assim. Eu mantive essa estrutura. Agora que estamos aqui, estamos na academia na mesma hora da luta e seguindo em frente. Sinto que já estou acostumado ao fuso horário. Tudo está perfeito. O camp foi impecável.

Você assinou um novo acordo?

Sim, eu assinei um novo acordo.

Quantas lutas?

Vamos levar uma luta de cada vez.

Uma luta e aí você renegocia?

Acho que é isso que vai acontecer depois dessa.

Não tem mais por que fazer acordos de oito lutas se você vai renegociar toda hora...

Sim. Estou confiante de que vou receber um grande cheque.

O maior da sua carreira?

Na minha carreira no MMA, sim.

Você pode nos dar uma margem? Nós sabemos quanto você ganhou na luta com o Mayweather...

Pode ser algo perto de... eu acho que vai para US$ 80 milhões.

80? Para.

Sim. Como eu disse, nós temos a Austrália, Canadá, Inglaterra e Irlanda. Vai ser bom.

Quanto você ganhou contra o Khabib?

50 e alguma coisa.

80? Ninguém... A maioria dos lutadores de MMA combinados não ganhou isso.

Viu só, Ariel?

Isso é bom demais.

Eles acham que eu virei torrada, Ariel, mas eu continuo sendo pão fresco.

Você realmente acha que a luta entre Khabib e Tony [Ferguson] não vai acontecer?

Talvez, sabe? Possivelmente. Já era para ter acontecido outras quatro vezes. Eles são conhecidos por largarem as lutas. O Khabib era para ter lutado contra o Donald umas três, quatro vezes também, e acabou largando com uma lesão no joelho, nas costas, algo aconteceu com o rim dele.

Como assim?

Só estou dizendo que eles são conhecidos por largarem lutas. O Tony tropeçou em um porr* de um cabo em um estúdio da Fox porque usou aqueles óculos escuros. Você sabe como o Tony é. Vamos ver o que acontece.

Você viu a resposta do Usman aos seus comentários?

Não. O que ele falou?

Ele disse que se você quisesse que a sua carreira acabasse... e tudo mais.

É, segurando a minha perna. Não é assim que se luta. Nós vamos te mostrar como se luta. As pessoas sabem o que é uma briga e o que não é. E aquele método não é. No entanto, a última foi uma boa luta. Os dois ficaram de pé e tiveram seus momentos. Você sabe de qual maneira ele tentaria lutar comigo.

Mas não é um pouco falso?

Sim. É besteira. É besteira.

Você dá risada disso?

Exatamente.

Você continua gastando muito e essas coisas?

Bem menos.

Por quê?

Não sei. Eu já tenho muitas coisas. Eu disse isso para o Tony Robbins, porque eu li algo sobre o LeBron James há algum tempo, acho que um ano, que ele gastava US $ 1,5 milhão por ano com a sua saúde. Tudo. Nutrição, treinamento, tudo. E eu não gastava nada. Só no camp, para levar e trazer as pessoas. E eu fiquei tipo, esse não é o jeito certo de fazer isso. E eu fico gastando com carro, relógio. Vou gastar em mim, minha saúde, meu condicionamento. Isso tem me ajudado. Com isso, você vai ganhar mais. Você vai ganhar ainda mais quando está afiado, e é isso que estou agora.

Menos coisas de posse?

Menos em posses. Você tem que passar por isso. Você sempre passa por isso quando recebe muito dinheiro. Você começa a conseguir coisas. Você só fica um pouquinho ... não me excita tanto quanto teria, sabe o que eu quero dizer? O que me excita agora é criar. Eu gosto de criar as coisas que amo, como as roupas e tudo mais. Estou muito envolvido nos projetos e na construção de coisas com a Reebok e com minha empresa, August McGregor, e, claro, o whisky e esses empreendimentos. E é isso que eu gosto de fazer.

Você tem 31 anos agora. Você acha que ainda estará lutando aos 40?

Sim. Eu não sei, provavelmente. Mas ainda tenho manos sólidos pela frente, no entanto. Eu sei que estarei trocando até os 35 anos. Vou conseguir o bilhão aos 35 anos - serei bilionário aos 35 anos.

São três anos e meio.

Sim.

Você está chegando lá?

Sim.

Você vê aquelas listas e se compara com os outros atletas, sabe, onde colocam os atletas que mais ganharam dinheiro?

Essa é a minha lista. Eu quero aquela lista.

Onde você está na lista agora?

Alterna por ano. Não tenho certeza de onde estive este ano. Não é ruim. Eita, eu esqueci agora, para ser honesto, mas eu estava lá em cima. Eu estava lá em cima. Eu vi a lista da década. Floyd foi o primeiro da década. Parabéns para ele. Ele não é tão bom em administrar, no entanto.

Quão perto você está do bilhão?

Ainda estou bem longe, mas eu vou chegar lá. Eu tenho os métodos, e isso me excita.

Você tem que continuar lutando para que isso aconteça, né? Você não pode simplesmente sair...

Não, não, não estou lutando por tudo isso. Lutar definitivamente ajuda em tudo. A luta está lá em cima. Olha o dinheiro que estou ganhando com as lutas. Não estou nem arranhando a superfície sobre o que eu realmente e provavelmente deveria ser pago. Quero dizer, tipo, o dinheiro dos bastidores é onde está o dinheiro real, e deve ser garantido. Mas quero dizer, seja o que for, é o que é. Lutar é, definitivamente, uma maneira de chegar lá. Assim como o resto delas.

Antes de se aposentar, você gostaria de ter outra luta de boxe?

Certamente. Eu gostaria de revanche com o Floyd. Acho que devemos fazer a revanche com o Floyd. Quero dizer, ele está flertando com isso, e eles querem tudo isso. E ele pode escolher outra pessoa. Não vai ser o mesmo. Não vai. Eu fui fenomenal naquela luta. E a única razão pela qual perdi essa luta foi porque me preparei para um adversário estilo Philly Shell. Enquanto a luta ficou assim, eu estava levando a melhor. Então ele avançou e começou a pressionar, e eu não estava tão comprometido com os golpes como estou agora, com o que meus treinadores de boxe estão passando, coisas específicas de boxe que estão colocando em mim novamente. Eu sei que venceria o Floyd, eu venceria o Floyd se tivéssemos a revanche, quando tivermos a revanche. Ele não fará uma luta de MMA como ele disse. Era para ser eu no boxe, e depois faríamos uma luta de MMA. Foi o que foi dito. E saiu da boca dele também, e não estava escrito, mas era um acordo verbal. E, obviamente, isso não vai acontecer. Também não vou pressioná-lo com isso. Mas eu gostaria de boxear com ele de novo. Eu acho que seria uma boa revanche.

Você já tocou nesse assunto?

Nós temos falado sobre isso.

Você já falou com ele?

Com ele, não.

Com os caras dele?

Sim, porque ele disse que está voltando e tal.

Ele sentou-se com o Dana White em um jogo de basquete. Disseram que eles firmaram um acordo com um aperto de mãos.

Foi um bom jeito de ele fazer barulho.

Isso poderia acontecer este ano? Isso é algo que...

Nunca se sabe. Eles são boas pessoas para fazer negócios, o pessoal da Showtime e o Floyd. Nunca se sabe.

Mas não é algo que você está perseguindo ativamente, é apenas algo que você quer.

Atividade é o que estou buscando. Estou apenas me mantendo em forma, renovado, focado, e tudo vai acontecer com isso, através disso. Até a [primeira] luta com o Mayweather, eu tive 10 semanas para me preparar para isso. E antes disso, eu não estava na melhor forma física. Eu estava fazendo besteira. Foram 10 semanas boas e sólidas. Agora estou totalmente focado. Veremos o que acontece.

Você olha para essa luta e diz: "Cara, eu poderia ter sido o único que não estivesse fazendo isso, não estivesse festejando. Eu poderia ter sido o único a vencê-lo"? Eu desperdicei...

Eu não desperdicei. Foi uma ótima conversa. Você tem uma boa conversa interna com um homem quando luta com ele. Foi ótimo lutar contra Floyd, ótimo estar lá com ele. Ele é um veterano astuto. Ele é realmente astuto. Você não ganha 50 lutas profissionais e uma extensa carreira amadora [caso contrário]. Foi uma ótima, ótima experiência e, você sabe, estou ansioso para estar lá novamente. Se não ... isso vai acontecer. Isso vai acontecer novamente.

Mas também estaria aberto a outras lutas de boxe. Você sabe, Manny [Pacquiao]. Na verdade, estamos perto de assinar contra o Manny.

Como assim? O que você disse?

Estamos falando muito dessa luta contra o Manny.

Você contra o Manny?

Uma oferta foi feita.

E o que aconteceu?

Ainda não. Ainda não.

Mas é uma possibilidade?

Muito mesmo. E então a luta contra o Paulie [Malignaggi]. Eu gostaria de lutar com o Paulie. Teria um barulho sobre essa luta também. Eu quero lutar boxe de novo. Eu vou lutar boxe de novo. Eu vou ser campeão mundial de boxe.

Você vai ter que lutar boxe várias vezes para conseguir isso...

Não.

Logo de cara?

Mas eu vou lutar boxe várias vezes. Eu amo boxe, e eu sou bem bom.

Quando você falou da assinatura para a luta contra o Manny, o que quis dizer?

Temos negociações acontecendo.