<
>

'Durinho' valoriza status de 'salvador de lutas' no UFC: 'Gosto de agradar meu patrão'

play
No UFC, lutador intima Conor McGregor: 'Cale a boca nas redes sociais e aceite uma luta' (1:08)

'Dá um tempo, chega de tuítes. Entre lá e cale a boca', completa Ben Askren sobre McGregor (1:08)

Pela segunda vez em dois meses, Gilbert ‘Durinho’ vai “salvar” uma luta no UFC.

O brasileiro aceitou entrar de última hora para substituir Thiago ‘Pitbull’ e encarar Gunnar Nelson, na edição que será realizada na Dinamarca, no dia 28 de setembro. O lutador vai repetir o que fez em agosto deste ano, quando entrou na vaga de Laureano Staropoli, no UFC Uruguai, e venceu o russo Alexey Kunchenko.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag.Fight, ‘Durinho’ exalta o fato de aceitar duelos em cima da hora justamente pela mudança de categoria. Anteriormente, o atleta natural de Niterói, Rio de Janeiro, era da categoria dos leves (70kg), mas agora entre os meio-médios (77kg) ele não precisa mais fazer cortes bruscos de peso, uma vez que está mais próximo do limite da divisão, mesmo sem combates marcados.

“Eu gosto de agradar o meu patrão. Se puder fazer isso, defender minha organização, quero lutar. Sou um cara ativo, gosto de treinar, trabalho duro e agora não tenho tanto sacrifício de bater peso. Estarei pronto para lutar sempre. Quando me chamarem e for uma boa oportunidade, vou aceitar. Acredito que essa é a segunda luta em cima da hora de várias que vão vir”, afirmou o atleta de 33 anos.

Para ‘Durinho’, o risco de aceitar um duelo com menos de um mês de antecedência tem um elemento positivo que ele carrega para dentro do octógono. O brasileiro parece gostar da ideia de ser um “fator surpresa” para seus adversários, já que eles não estavam preparados para enfrentar alguém com as suas características.

“Acredito que meu jogo encaixa muito com o dele (Nelson). Para ele vai mudar mais, porque não devia estar esperando um cara do jiu-jitsu. Estava esperando um cara da trocação. Eu estava me preparando para o ADCC, fazendo muito jiu-jítsu, wrestling… Quando a chance apareceu, não tinha como deixar passar. Essa é uma luta que eu quero e não pensei duas vezes antes de aceitar”, acredita.

Gunnar Nelson, que antes tinha Thiago ‘Pitbull’ como adversário, um especialista na luta em pé, terá um problema e tanto pela frente. Assim como ele, ‘Durinho’ é oriundo da luta agarrada. O brasileiro tem oito vitórias por finalização em sua carreira, enquanto o islandês anotou impressionantes 12 triunfos.

“Ele é de altíssimo nível no chão. Acho que não vai correr. Vai querer o chão, mas vai buscar ficar por cima. Vai manter a estratégia dele, eu acho. Não sei se ele acha que estarei mais fraco subindo de categoria, mas na minha cabeça, vou fazer jiu-jítsu. Estou entrando para fazer meu ponto forte”, disse.

Gilbert ‘Durinho’ está no UFC desde 2014 e acumula nove vitórias e três derrotas. Já Gunnar Nelson tem mais experiência na organização e já foi top 10 dos meio-médios. O islandês está no Ultimate desde 2012, possui oito triunfos e quatro reveses.