<
>

UFC: Brasileiro é flagrado no doping e está fora do evento em Greenville

A razão para a saída de Bruno “Blindado” Silva do UFC Greenville, agora, está clara.

A Usada, órgão dos EUA de controle antidoping, confirmou nesta sexta-feira à ESPN que o brasileiro está enfrentando uma violação da política de antidoping do UFC. Por isso, ele está fora do evento deste sábado.

Em comunicado ao site especializado MMA Fighting, Blindado admitiu que foi flagrado um teste fora de competição, em amostra coletada no dia 5 de maio.

O lutador brasileiro deveria fazer sua estreia no UFC contra o norte-americano Deron Winn em luta válida pelos médios.

Na declaração, Blindado disse que não ingeriu a substância proibida de forma intencional e que está cooperando com a Usada, parceira antidoping do UFC, em um esforço para limpar seu nome.

"Eu sei, sem dúvida, que fiz tudo de acordo com os padrões estabelecidos pela Usada", disse Blindado. "Tenho fé na Usada que esta situação será resolvida em tempo hábil e que serei inocentado de qualquer irregularidade. Para todos os meus fãs e apoiadores, obrigado."

Em vídeo veiculado nesta sexta em seu perfil no Instagram, o lutador não fala sobre o doping. "Tenho um contrato normal com o UFC. Meus empresários estão resolvendo isso. E logo logo vamos ter uma data para estrear. Tenho o sonho de lutar pelo UFC, e agora só questão de tempo."

Blindado, de 29 anos, não revelou a substância proibida que apareceu no teste. A Usada tem como padrão não especificar a droga encontrada até a conclusão de sua investigação, a menos que o atleta a divulgue primeiro.

Sem o brasileiro, Winn vai agora enfrentar Eric Spicely em duelo dos EUA neste sábado, na Carolina do Sul. Blindado (19-6) vem de uma série de quatro vitórias seguidas e competiu pela última vez no M-1 Challenge, na Rússia, em novembro de 2018, quando derrotou o russo Artem Frolov e conquistou o título do peso-médio.