<
>

UFC: Whittaker responde Adesanya após campeão recusar trilogia: 'Sou o mais perigoso'

play
UFC: Deiveson diz que racismo 'ficou constante' em suas redes sociais após episódio com treinador de Moreno (0:35)

Lutador brasileiro falou com exclusividade à ESPN (0:35)

Robert Whittaker não esquece a rivalidade com Israel Adesanya


Robert Whittaker não esquece a rivalidade com Israel Adesanya. O ex-campeão do peso-médio (84 kg) do UFC se prepara para enfrentar Marvin Vettori, em setembro, em Paris (FRA), e o duelo é de extrema importância para a categoria, pois deve colocar o vencedor próximo de disputar o título. No entanto, ‘The Reaper’ não entra em rota de colisão com o atual adversário e sim com o rei da divisão, seu principal antagonista.

Em coletiva de imprensa realizada pelo UFC na última segunda-feira (20), Adesanya se negou a enfrentar Whittaker pela terceira vez e frisou que provou ser superior no octógono. Vale lembrar que o campeão do peso-médio enfrentou o australiano duas vezes e saiu como vitorioso dos embates. Em 2019, ‘The Last Stylebender’ nocauteou o rival no segundo round e, na revanche, disputada em fevereiro, o superou por decisão unânime.

Ao tomar conhecimento da declaração de Adesanya, Whittaker, em entrevista ao site ‘talkSPORT’, não escondeu sua insatisfação. Apesar do retrospecto negativo diante do campeão do peso-médio do UFC, o australiano segue motivado a dar o troco no rival e confiante de que possui o que é preciso para tirar a invencibilidade do mesmo na divisão e, consequentemente, destroná-lo. Na primeira posição no ranking da categoria, abaixo apenas de Israel, ‘The Reaper’ explica que não tem pressa para encontrar o desafeto pela terceira vez no octógono, pois tem plena consciência de que sua hora chegará. Enquanto isso, o atleta aceita se ‘divertir’ e provar sua qualidade e seu valor contra a concorrência.

“Sou a pessoa mais perigosa da divisão e ameaço todo mundo, ninguém está seguro nesta divisão e, claro, Adesanya quer que eu saia de lá. Eu sou o caçador e quero isso. Adesanya viu depois daquela última luta que eu queria e estou indo para isso. Não vou parar até conseguir. É assustador, apenas imagine olhando por cima do ombro e me vendo lá. Estou muito feliz onde estou agora. Estou fazendo um bom trabalho nos médios e a caçada para a luta é divertida de certa forma. Estou gostando da ideia de bater em todos na minha frente até que eles vejam uma lista com todos os nomes riscados tipo, ‘Bem, Rob sobrou'”, pontuou o ex-campeão do UFC.

Não satisfeito, na mesma coletiva de imprensa, Adesanya aconselhou Whittaker a trocar o peso-médio pelos meio-pesados (93 kg), pois, em seu entendimento, o rival não tem mais o que fazer na atual divisão. E o ex-campeão da categoria sinaliza que a ideia dada pelo nigeriano é boa, porém assegura que só vai atuar com 93 kg, quando chegar na reta final de sua carreira. Sendo assim, ‘The Reaper’ reforça que sua história no atual peso está longe de terminar e que não vai descansar até passar pelo carrasco.

“Quem sabe como é o destino? Talvez eu dê uma chance aos meio-pesados. A única coisa é, nos meio-pesados, não vai ser um sistema de subida e descida. Se eu subir para os meio-pesados, lá é onde vou terminar. Não faço as coisas pela metade. Vou fazer direito. Vou ficar enorme, entrar lá e jogar bombas”, concluiu.

Robert Whittaker, de 31 anos, mudou de patamar no MMA ao trocar os meio-médios (77 kg) do UFC pelo peso-médio. Não à toa, o australiano se tornou campeão da categoria e ganhou uma nova oportunidade de disputar o título dela ao passar por Darren Till, Jared Cannonier e Kelvin Gastelum em sequência. Contudo, o ex-número um da divisão perdeu para Israel Adesanya na revanche. Além do trio mencionado, seus principais triunfos no esporte foram sobre Brad Tavares, Derek Brunson, Ronaldo ‘Jacaré’, Uriah Hall e Yoel Romero (duas vezes).