<
>

Deiveson se irrita com o UFC por perder cinturão linear e ameaça deixar divisão: 'Eu salvei a categoria'

play
UFC: Americano acerta cotovelada SURREAL e vence sérvio de forma INACREDITÁVEL; VEJA (1:42)

Evento do UFC aconteceu em Las Vegas neste sábado (21) (1:42)

Brasileiro recuperou cinturão neste ano, mas verá meses depois uma disputa de título interino


Deiveson Figueiredo não gostou nada da confirmação do UFC, que haverá uma disputa de cinturão interino do peso-mosca (57 kg) entre Brandon Moreno e Kai Kara-France no dia 30 de julho, na edição 277 do show, em Dallas (EUA). Cerca de quatro meses após recuperar o título linear da categoria, o brasileiro revelou uma lesão na mão para não retornar ao octógono e se mostrou decepcionado com a postura da organização.

Em entrevista exclusiva à reportagem da Ag. Fight, ‘Deus da Guerra’ reforçou o motivo de não poder atuar na data que o Ultimate gostaria e admitiu que ficou incrédulo com a notícia do combate. Sendo assim, Deiveson ironizou o valor da luta entre Moreno e Kara-France e se mostrou magoado pelo tratamento recebido pela liga.

“Fiquei chateado, porque não esperava isso do UFC. Há poucos meses fiz a última luta e o evento já coloca um cinturão interino? Estou sem acreditar. Tenho como provar porque não aceitei a luta por causa da lesão e ainda questionaria (a luta) por não ser tão próxima. Sempre proporcionei grandes shows para o evento e me sinto desvalorizado por esse cinturão interino. Vou usar até uma frase do Charles ‘Do Bronx’: ‘O campeão tem nome e ele se chama Deiveson Figueiredo’. Esse cinturão de plástico é só mais um”, disparou.

A criação do título interino nos moscas pode até gerar consequências mais sérias para a categoria. Inconformado com a postura do UFC em promover esse confronto, Deiveson admitiu que pode até deixar a divisão e já subir para o peso-galo (61 kg) da franquia.

“Eu estou bem decepcionado. Eu te confesso que penso seriamente em abandonar a categoria. Quem salvou essa categoria fui eu, Henry Cejudo, e com essa do UFC, eu, sinceramente, estou prestes a tomar decisões. Espero não tomá-las, mas se fizer, vou sair da categoria e subir para 61 kg”, adiantou o atleta natural de Soure (PA).

Questionado sobre se teria uma previsão para definir se fica ou não no peso-mosca (57 kg), Deiveson adotou cautela, mas estipulou uma data limite. O paraense revelou que pretende ir até Dallas para assistir o embate entre Moreno e Kara-France e aproveitar para se reunir com os dirigentes do Ultimate, além de membros de sua equipe.

“Sempre antes de tomar decisões, gosto de refletir para não ter erros. Deixa rolar esse cinturão interino, eu estarei presente. O campeão se chama Deiveson. Vou estar lá para ver essa festinha de fachada. Eu ainda tenho muito a falar, se possível pessoalmente com o Dana White. Quero falar com eles nos Estados Unidos. Também vou me reunir com o Henry Cejudo, Eric Albarracin para ver o que fazer”, completou o atleta.

No MMA profissional desde 2012, Deiveson Figueiredo soma 21 vitórias, sendo 17 pela via rápida (nocaute ou finalização), duas derrotas e um empate na modalidade. O paraense estreou no Ultimate em 2017 e, dentro do octógono mais famoso do mundo, possui dez triunfos, dois reveses e um empate. Sua última apresentação aconteceu em janeiro, quando superou Brandon Moreno.