<
>

São Paulo x Corinthians: Zidanilo conta como brilhou em rivais e diz que deseja ser treinador

play
Danilo cita a si mesmo como exemplo ao analisar desempenho de Luan no Corinthians e lembra Tite: 'Só com qualidade não joga' (4:50)

'O Luan é um grande jogador; mas no Corinthians é diferente; tem que jogar bem todo jogo', disse o ídolo corintiano durante o Expediente Futebol (4:50)

Danilo está marcado na história de São Paulo e Corinthians, que se enfrentam neste domingo, às 11h, pelo Campeonato Brasileiro.

O ex-meia venceu Brasileirão, Libertadores e Mundial de Clubes pelos dois rivais. Além disso, ficou marcado por ser um jogador que sempre se deu bem nos clássicos e apareceu em jogos decisivos com destaque.

Em entrevista exclusiva ao ESPN.com.br, "Zidanilo" contou sobre o começo de carreira, as passagens pelos times paulistas e a relação com as torcidas.

O ex-jogador quer ser treinador e deu detalhes sobre os próximos passos que irá tomar na nova profissão.

Começo no futebol

Meu pai era serralheiro e eu o ajudava, mas nunca trabalhei de forma fixa. Eu comecei jogando em Ibiá-MG e, aos 16 anos, jogava pelo Sparta de São Gotardo-MG em um torneio. O treinador do Goiás gostou de mim e fui para a base. Cheguei em outubro de 1996 e em 99 já estava jogando no profissional. Foi tudo muito rápido.

Goiás

Logo que o Cuca chegou, em 2003, eu tive uma lesão no púbis e demorei três meses para me recuperar. Só consegui jogar os seis jogos finais e me recuperei bem.

Ida ao São Paulo

O Gilmar Rinaldi era meu o empresário e tinha uma influência muito grande no São Paulo. O São Paulo tentou me contratar em 2001, mas o Goiás não me liberou. No final de 2003, meu contrato acabou e eu fui para o São Paulo junto com o Cuca, o Grafite e o Fabão.

Ano difícil em 2004

Foi difícil porque chegaram muitos jogadores. No papel, nosso time era muito bom, mas no campo as coisas não se encaixaram. Nós tínhamos qualidade, mas não adianta se não encaixar. Fizemos grandes jogos, mas não vencemos nada. Em 2005, as coisas deram certo.

play
4:50

Danilo cita a si mesmo como exemplo ao analisar desempenho de Luan no Corinthians e lembra Tite: 'Só com qualidade não joga'

'O Luan é um grande jogador; mas no Corinthians é diferente; tem que jogar bem todo jogo', disse o ídolo corintiano durante o Expediente Futebol

Apelido de Zidanilo

Isso foi criado pelos torcedores na época do São Paulo. O Zidane foi um ídolo mundial e o torcedor me comparou com ele, mas a gente sabe que cada um tem seu estilo.

Volta ao Brasil

Eu saí do São Paulo e fiquei três anos jogando no Japão. Mas achei que era a hora de voltar ao Brasil e conversei com a diretoria do São Paulo lá para setembro. Estava bem encaminhado, mas deu uma esfriada e não fechou. Nisso, veio o Corinthians. O tempo começou a passar e analisei que o São Paulo optou por levar outros jogadores (Léo Lima, Marcelinho Paraíba e Carlinhos Paraíba). Fechei com o Corinthians e foi uma decisão muito boa para mim. O Corinthians estava em um momento de ascensão com o Ronaldo e o Roberto Carlos. Foi uma escolha certa e deu tudo certo.

Jogar ao lado do Ronaldo

Ronaldo é um ídolo mundial e tive uma experiência muito boa em ter jogado com ele em 2010 e no começo de 2011. Foi uma experiência nova. Ele foi um dos melhores que já joguei e tinha uma qualidade incrível. Muito inteligente e que finalizava bem demais. Isso que eu joguei com ele no final de carreira. Imagina como era no começo? Era muito difícil de marcar.

Destaque em jogos decisivos

Eu acho que a minha carreira inteira foi assim. Algumas vezes eu estava em um momento ruim, de não fazer gols por quatro partidas seguidas, mas quando vinha um clássico eu pensava: ‘É a minha chance de fazer o gol e dar a volta por cima’. Por que depois disso tudo muda. Sempre nesses jogos eu fazia gols, dava passes ou era o melhor em campo. Foram vários assim. É coisa do destino. É uma marca importante, torcedor dá muito valor pra isso. Têm jogadores que vão muito bem nos jogos menores, mas em clássicos não conseguem fazer uma boa partida. Eu sempre me destacava nesses jogos.

Rei do clássico São Paulo x Corinthians

Quando eu estava no São Paulo, não me lembro de ter perdido nenhum jogo para o Corinthians. Mesmo quando tinham Tevez e Nilmar, a gente ganhava. Pelo Corinthians, eu perdi poucos jogos para o São Paulo; Eu venci a maioria.

Relação com as torcidas de São Paulo e Corinthians

Eu nunca tive qualquer tipo de problema porque sempre respeitei o lado do São Paulo e o do Corinthians. No Corinthians, o torcedor é um pouco mais apaixonado e eu fiquei nove anos por lá. Tenho uma identificação maior com o torcedor. Foram três anos no São Paulo e tenho maior respeito. Fui campeão de tudo. Agradeço a Deus e respeito as duas torcidas do mesmo jeito.

Como fica o coração em São Paulo x Corinthians?

É difícil falar porque tenho carinho e uma história nos dois. Isso aí ninguém vai me tirar.

Ideia de aposentar e virar treinador

Eu parei em abril do ano passado depois de jogar somente três meses no Vila Nova-GO. As coisas não caminharam, e decidi encerrar a carreira depois de 20 anos jogando. Eu parei, fui fazer outras atividades e vi que faltava alguma coisa. Estou com esse pensamento de começar ano que vem como treinador

Caminho para ser treinador

Ser jogador é uma coisa e treinador é outra. É um novo desafio na minha vida. Vou fazer alguns estágios esse ano para depois começar em 2021.

Maiores influências

Tite, Muricy Ramalho, Paulo Autuori, Mano Menezes... São grandes treinadores e tiro um pouco de cada um deles. Cada um tem seu estilo e um jeito de ser. Meu estilo é mais tranquilo como o Tite e o Autuori. Sobre o estilo de jogo vou esperar os jogadores que tiver na mão para fazer o melhor.