<
>

Vitória tem meta ousada para 2024, e presidente cutuca Bahia ao 'não pensar' em clássico na Série A: 'Já tem Ba-Vi demais'

play
Presidente do Vitória revela meta ousada em retorno à primeira divisão: 'Não pode entrar no campeonato querendo apenas ficar na Série A' (0:18)

Equipe foi campeã da Série B e estará na elite em 2024 (0:18)

2023 ainda não acabou, mas o Vitória já está com a cabeça no ano que vem. Com o acesso e o título da Série B confirmados com antecipação, o time baiano já planeja um 2024 ainda mais positivo.

O presidente do clube, Fábio Mota, concedeu entrevista exclusiva ao ESPN.com.br. Além de antecipar novidades na montagem do elenco, descartou a possibilidade da equipe disputar a primeira divisão desde 2018 apenas tentando evitar o descenso e já estabeleceu uma meta ousada.

"O Vitória tem 23 anos de Série A, é o clube do Nordeste que mais vezes disputou a Série A na história, é pentacampeão da Copa do Nordeste. Não pode entrar no Campeonato Brasileiro, pela sua história e pela sua trajetória, pensando em ficar na Série A. A gente pensa em entrar na Série A para, no primeiro ano, classificar para a Sul-Americana."

Para que o objetivo seja cumprido, o Vitória já começa a se acertar com alguns jogadores, muitos deles que fizeram parte da campanha do primeiro título nacional da história do clube.

"O Léo Gamalho tem cláusula de renovação automática se subíssemos para a Série A. Nós já o contratamos com essa cláusula. O Osvaldo nos interessa sim. É um grande líder e um grande atleta, um exemplo de profissional. Temos todo interesse em renovar com o Osvaldo e já estamos conversando".

"Quanto a outros, já estamos bem próximos de alguns acordos. Só estamos aguardando concluir a Série B para que a gente possa divulgar. Mas já está tudo pronto. No primeiro momento, vamos manter a base da Série B para disputar o Baiano e a Copa do Nordeste. E fazer algumas contratações, até porque, como todo ano a gente tem que fazer uma reformulação, muitos jogadores em fim de contrato, outros que vão sair. O nosso planejamento da Série A já está montado, inclusive com valor de folha, com o valor do que a gente pretende gastar."

Por falar em Léo Gamalho, o presidente fez questão de destacar o centroavante de 37 anos. Em junho, o jogador recebeu o diagnóstico de câncer de pele e precisou ser submetido a um procedimento cirúrgico. No primeiro momento, ele cogitou a aposentadoria. Mas não apenas conseguiu se recuperar e voltar aos campos, como foi fundamental na campanha da Série B, marcando 10 gols, alguns deles importantíssimos para que o título fosse alcançado. Toda essa força de vontade do atleta foi bastante exaltada por Fábio Mota.

"Nós começamos a Série B com três centroavantes. O Gamalho, o Santiago Tréllez e o Hélder. No meio do caminho, o Tréllez recebeu uma proposta do Operário, saiu e a gente ficou com dois centroavantes. Para a vaga dele, nós trouxemos o Yuri Castilho, que também faz essa função. Então resolvemos isso aí. O Gamalho teve dois problemas aqui. Logo quando ele chegou no clube, ele teve uma contusão séria, um acidente de trabalho no braço, ficou um tempão parado, demos todo o apoio possível. Depois, quando ele teve o segundo problema de saúde também. Mas o Gamalho é uma pessoa de uma personalidade forte, obstinado, um profissional de mão cheia, em momento nenhum a gente nem pensou em descartá lo. Então, toda a força que a torcida que o Vitória deu, com certeza ele correspondeu. Ele fez dez gols na Série B e gols importantíssimos, que nos ajudou muito, tanto em subir para a Série A, como para ser campeão."

Ba-Vi no Brasileirão 2024?

play
0:35
Torcendo pelo rebaixamento do Bahia? Presidente do Vitória é sincero: 'Acho que já tem Ba-Vi demais no ano que vem'

Enquanto o Rubro-negro já está garantido na Série A, Tricolor ainda tenta escapar do rebaixamento

Se o Vitória já se garantiu na primeira divisão em 2024, o mesmo não podemos dizer de seu maior rival, o Bahia. O Tricolor, que entra em campo nesta sexta-feira, contra o Corinthians, tem apenas 38 pontos e está atualmente na 17ª colocação, três pontos atrás do Cruzeiro, primeiro time fora da zona de rebaixamento. Para conseguir deixar a incômoda situação, a equipe comandada por Rogério Ceni precisa de uma grande arrancada nas últimas quatro últimas rodadas.

E mesmo que um eventual clássico entre os times seja um atrativo para o Brasileirão, a rivalidade acaba falando mais alto para o presidente do Vitória, que não esconde a sua torcida.

"No calendário do ano que vem, a gente já tem Ba-Vi programado no Campeonato Baiano, na Copa do Nordeste, podemos ter Ba-Vi na Copa do Brasil. Eu acho que já tem Ba-Vi demais. Tá bom, já vamos ter muito Ba-Vi", explicou.